Geografia

Solo, o que é? Definição, importância, principais tipos e características

O solo é caracterizado como uma massa natural que cobre a superfície terrestre composto por aglomerados minerais e matéria orgânica.

Atualizado em 03/04/2020

O solo é uma parte importante para o Brasil e a vida em geral. Isso porque, o país é um dos maiores produtores agrícolas do mundo, além da criação de bovinos. Por conta disso, conhecer os tipos de solos e a importância de cada um é de extrema importância.

Isso porque, a partir do conhecimento dos tipos de solo é possível manejar a área e, assim, atender as especificidades de cada tipo. Além disso, é por meio desse conhecimento que as potencialidades e funções de cada tipo de solo são reconhecidas.

Visto isso, são vários os tipos de solo que estão presentes no país. Dentre os mais comuns destacam-se a presença os latossolos, argissolos e neossolos. Juntos correspondem à um total de 70% das terras brasileiras.

Definição de solo

Solo é uma massa composta por areia, silte e argila. Assim, é caracterizado como toda massa natural que está presente na superfície terrestre e possui a capacidade de suportar plantas. O principal material que compõe os solos é a rocha. Ou seja, o solo é formado a partir da ação do relevo, clima e da biosfera sobre o material rochoso.

Visto isso, as partículas que compõem o solo são divididas em areia, silte e argila. Nesse sentido, a areia corresponde a parte áspera da superfície. Isso porque, é formada por pedaços de rochas e minerais, tendo o quartzo como o principal mineral. Além disso, também são encontrados na composição da areia minerais como muscovita, turmatita, feldspato, mica, magnetita e etc.

Solo, o que é? Definição, importância, principais tipos e características
Tipos de solo presentes no território brasileiro. Fonte: Quanticum

Já o silte corresponde à parte sedosa da superfície. Isso porque, é formado por muscovita, turmatita, feldspato, mica, magnetita. Além disso, tem diâmetro entre 0,05 a 0,002 mm.

Por outro lado, argila é uma composição formada por minerais secundários, ou seja, ilita, montmorillonita e caulinita. Seu diâmetro é menor que 0,002 mm e, por essa razão, é impossível enxergá-la à olho nu. Assim, é por conta da argila que um terreno possui um aspecto de plasticidade e pegajosidade.

Qual a importância?

Se pararmos para analisar, praticamente tudo o que consumimos em questão de alimentos vem do solo. Por conta disso, é uma parte essencial à vida. Além disso, é importante também na fauna e flora. Isso porque, é por conta da terra que as plantas conseguem crescer e se sustentar.

Solo, o que é? Definição, importância, principais tipos e características
O solo é a camada superficial da crosta terrestre e é composto por sais minerais e material orgânico. Fonte: Viavini

Ou seja, a vegetação necessita de terra junto à outros elementos como o oxigênio (O2), o gás carbônico (CO2), a luz e o calor para que cresçam de maneira saudável.

Entretanto, em algumas regiões, a utilização de terrenos ultrapassa a capacidade que possui, por mais que seja um recurso renovável. Com isso, a terra não consegue se recuperar para que exerça as funções necessárias. Por conta disso, existem solos que estão desgastados pelo uso intensivo de plantações.

Camadas

Os solos são divididos em camadas que possuem características específicas. Porém, conforme a profundidade da terra, essas camadas passam a compartilhar das mesmas características. As camadas são, também, chamadas de horizontes e são divididas em camadas superficiais e camadas subsuperficiais.

Camadas superficiais:

  • Horizonte O – parte em que existe a decomposição de material orgânico de origem animal e vegetal, ou seja, é a camada orgânica do solo.
  • Horizonte A – é chamado de solo humífero por conter grande quantidade de material orgânico decomposto. Além disso, há presença de minerais advindos da rocha mãe. Por conta disso, é denominado horizonte mineralógico.
Solo, o que é? Definição, importância, principais tipos e características
Camadas do solo. Fonte: Info Escola

Camadas subsuperficiais:

  • Horizonte B – é composto por minerais, além de ser formado pelo acúmulo de argila, oxi-hidróxicos de ferro e alumínio.
  • Horizonte C – é chamado de saprolito e corresponde a zona de transição que existe entre o solo e a rocha mãe. Sua formação é composta for grandes sedimentos advindos da decomposição da rocha.
  • Rocha-mãe – parte em que ocorre a desagregação e decomposição, dando origem ao solo. O processo ocorre por meio do intemperismo – conjunto de processos mecânicos, químicos e biológicos.

Tipos de solo no Brasil

O Brasil é formado por uma variedade de solos formados a partir do clima, do material de origem, o relevo, os organismo e o tempo. São solos importantes para a agricultura no país, além de outras funções essenciais para a vida.

Assim, de acordo com o Sistema Brasileiro de Classificação de Solos, o país é formado por 13 tipos de solos diferentes. Cada um possui uma característica específica e é utilizado de maneiras diferentes.

Classificação

Em síntese, os solos podem ser classificados de acordo com a cor que apresentam. Nesse sentido, podem ser avermelhados e amarelos – indicam presença forte de óxido de ferro; escuros – forte presença de materiais orgânicos e claros – quando a presença de material orgânico não é tão presente.

Solo, o que é? Definição, importância, principais tipos e características
Um pouco da divisão dos solos pela Brasil. Fonte: Doc Player

Confira quais os tipos presentes no Brasil:

  • Argissolos – possui coloração cinza, vermelha ou amarela, sendo a tonalidade avermelhada e amarelada as mais comuns. Possui grande quantidade de argila nas camadas subsuperficiais.
  • Cambissolos – são solos em fase inicial de desenvolvimento que não apresentam muita diferenciação em relação às camadas. No Brasil, cerca de 25% do território é formado por esse tipo de solo.
  • Chernossolos – presentes nas regiões Sul e Nordeste, correspondem 5% do território do Brasil. Além disso, são férteis e possuem a camada superficial densa e escura, além da presença de argila.
  • Espodossolos – são solos considerados pobres e ácidos, porém, apresentam matéria orgânica e alumínio. A cor pode variar entre acinzentada, amarelada e avermelhada, estando presente em 2% do território brasileiro.
  • Gleissolos – são comuns nas regiões Norte, Centro-oeste, Sudeste e Sul do País e são encontrados próximos à cursos d’água. Sua formação é composta por argila e a cor é, geralmente, acinzentada.
  • Latossolos – representam cerca de 39% do solo brasileiro e são encontrados em quase todo o país. Além disso, a cor pode variar entre vermelho e amarelo, sendo formados por argila.
  • Luvissolos – são formados por argila nas camadas superficiais, além de serem rasos e possuírem a cor vermelha ou amarela. São comuns no Nordeste e ocupam cerca de 3% do território brasileiro.
  • Neossolos – Constituídos por material mineral ou por material orgânico. Ocorrem aproximadamente em 15% do território brasileiro, além disso, são considerados solos jovens.

Outros tipos de solo

  • Nitossolos – as cores entre as camadas são bem superficiais, sendo solos profundos, formados por argila de cor avermelhada. Além disso, são bem drenados, estruturados, moderadamente ácidos e de fertilidade natural muito variável. Representam cerca de 15% do território, sendo comuns nas regiões Sudeste e Sul.
  • Organossolos – são solos mal drenados e com muita matéria orgânica. Portanto, não possuem áreas de representatividade no território brasileiro, pois, são pequenas manchas e se encontram de maneira dispersa.
  • Planossolos – encontrados na região Nordeste, Centro-Oeste e Sul. Correspondem à um total de 2% da área do país, sendo formados por argila e, quando secos, são duros e possuem baixa permeabilidade.
  • Plintossolos – constituído de material mineral. Corresponde à 6% do território brasileiro, além de ser comum no Centro-Oeste, Norte e Sudeste.
  • Vertissolos – são compostos por grande quantidade de argila e correspondem à 2% do território do país. Além disso, são comuns na zona seca do Nordeste, no Pantanal Mato-grossense, na Campanha Gaúcha e no Recôncavo Baiano. Assim, são solos férteis, ricos em cálcio, magnésio e rochas básicas.

O que achou da matéria? Se gostou, corre pra conferir o que são Abalos Sísmicos e como são classificadas as Coordenadas Geográficas.

Fontes: Boas práticas agronômicas, Embrapa, Brasil Escola e Só Geografia

Fonte imagem destaque: SPlabor

Por <a href='https://conhecimentocientifico.r7.com/author/dayane/' rel='dofollow' class='dim-on-hover'>Dayane Borges</a>
Por Dayane Borges
Jornalista e redatora com experiência em escrita criativa, adequação e produção de conteúdos multimídia para a web.