Outros assuntos

Fases do capitalismo, quais são? Contexto Histórico e características

As três fases do capitalismo mostram o desenvolvimento econômico e as mudanças que ocorreram desde o século XV até os dias atuais.

Por Júlia Alves

O capitalismo está dividido em Comercial, Industrial e Financeiro. Contudo, para entender as três fases do capitalismo, é preciso compreender o que é o sistema capitalista. O seu principal intuito é acumular capital e garantir lucros.

O capitalismo surgiu no século XV e acabou com o feudalismo, que era o sistema  predominante na Idade Média. Nessa estrutura de organização, não existia evolução econômica e as pessoas eram divididas em dois grupos sociais: senhores feudais e servos. Nesse sentido, uma terra era a coisa mais valiosa que alguém poderia ter.

Entretanto, ao longo do tempo, as sociedades foram passando por transformações, a população começou a crescer mais e mais, surgiram feiras livres, o comercio desenvolveu e surgiu uma nova classe social: a burguesia. Tais acontecimentos resultaram na decadência do sistema feudal.

Com isso, surgiu a Idade Moderna e com ela as fases do capitalismo.

Características das fases do Capitalismo

Fases do capitalismo, quais são? Contexto Histórico e características
Como o capitalismo funciona

As etapas do capitalismo possuem semelhanças. Nesse interim, no sistema capitalista há a propriedade privada, que nada mais é do que bens particulares. Outra característica, como dito anteriormente, é a busca pelo lucro e acúmulo de riquezas. Se não houver lucro não há sentido no capitalismo.

Para se obter lucro é necessário trabalho e mão de obra. Portanto, o trabalho assalariado também entra na lista de características principais. Com isso, quem trabalha é assegurado por lei a receber pelo serviço.

Além disso, há a famosa lei da oferta e da procura, que constrói a economia de mercado. Dessa forma, os preços, que são regulamentados com pouca interferência do Estado, são definidos pela quantidade do estoque do produto e a procura pelo mesmo.

Logo, tais características estão presentes das três fases do capitalismo.

Fases do Capitalismo

Apesar de todas as fazes fazerem parte do mesmo sistema econômico, por serem de períodos diferentes, há transformações e divergências entre as mesmas.

Capitalismo Comercial

As trocas comerciais se intensificaram no século XV trazendo a primeira das três fases do capitalismo, que pode ser considerada como pré-capitalismo.

Ele pode ser chamado também de Capitalismo Mercantil. Isso porque, nesta primeira fase, usava-se o sistema econômico Mercantismo, afinal a riqueza não era vista como algo que pudesse ser aumentada, mas poderia ser melhor distribuída entre as pessoas.

Mercantil
Presença do Mercantilismo

Sendo assim, adotaram a manufatura, para que o trabalho fosse produzido de forma mais rápida, com divisão da mão-de-obra artesanal. Além disso, com o avanço no comércio internacional, cresceu a exportação e a troca comercial para ter uma balança comercial favorável.

Como consequência, surgiu a moeda. Além disso, vale destacar como pontos marcantes nesse período da primeira das três fases do capitalismo, o metalismo, o monopólio comercial e o protecionismo.

Capitalismo Industrial

A segunda das fases do capitalismo surgiu em meados do século XVIII, após a Revolução Industrial, que teve inicio na Inglaterra. O contexto histórico justifica o nome desta fase, que pode ser denominado também como Industrialismo.

Fase Industrial
fase que teve inicio após a Revolução Industrial

Ao observar as fases, sem dúvida, essa é a que teve mudanças mais drásticas, trocando a manufatura pelo industrializado, de forma que as máquinas ocuparam funções que antes eram feitas pela força do homem, bem como aumentando as escalas de produção para que conseguissem entregar mais produtos em curtos períodos de tempo.

Neste período surgiu a máquina à vapor. Com toda a industrialização, houve um aumento significativo de pessoas que mudaram do campo para cidade em busca de emprego, o famoso êxodo rural. Além disso, a ideia de liberalismo econômico foi predominante na época.

Como principais características, vale citar o predomínio da burguesia, de forma que a aristocracia ia se acabando. Além disso, cresceu o grupo da classe operária e os preços das mercadorias foram reduzidos, graças ao aumento de produtividade e evoluções no desenvolvimento industrial e de transportes.

Por fim, nessa fase surgiu o Imperialismo e a ampliação das relações internacionais. Entretanto, houve consequências negativas também do avanço acelerado, com uma produção muito grande que saturava os mercados. Além de que as condições dos trabalhadores eram precárias.

Capitalismo Financeiro

Já a terceira das fases do capitalismo surgiu após a Segunda Guerra Mundial, no século XX. Em grandes potencias a economia passou a não se concentrar mais só no industrial e sim em empresas e bancos. Tal fase pode ser chamada também de capitalismo monopolista.

Nesse interim, o que ocorreu foi uma junção entre o capital bancário e o industrial em busca da criação de ações que serviam como mercadoria na bolsa de valores. Logo, expandiu-se mais e mais a globalização e deu inicio para a terceira revolução industrial.

Fase Financeira
Ações, bolsa de valores, bancos e grandes empresas possuem grande influência

Com isso, marcas foram expandidas pelo mundo todo e empresas se uniram. Além de que, países emergentes com a chegada da industrialização foram urbanizados, como, por exemplo os Tigres Asiáticos.

Entre as principais características, podemos destacar o aumento da concorrência nacional e internacional, inserção de novas tecnologias, monopólio e especulação financeira.

Por fim, para muitos estamos vivendo atualmente na terceira fase do sistema capitalista. Contudo, há outros estudiosos que falam sobre uma quarta fase chamada Capitalismo Informacional, que corresponde à Era Digital.

Gostou? Então leia agora: Política, o que é? Definição, história, como surgiu e partidos políticos

Fontes: Toda Matéria, Educa Mais Brasil, Brasil Escola e Beduka

Imagens: Escola Educação, Jornal Tornado, ADMFácil, Economia de Serviços e Rede Brasil Atual

Próxima página »