Astronomia

Supernova, o que é? Definição, como se formam e características

Supernova é um fenômeno astronômico caracterizado pelo colapso de uma estrela, ou seja, uma grande explosão do corpo celeste no espaço.

Atualizado em 11/09/2020

Você já parou para pensar na quantidade de fenômenos astronômicos que acontecem no espaço? Certamente, muitos deles ainda não são conhecidos, mas fenômenos como a Supernova causam fascínio e curiosidade nos cientistas.

Isso porque, o fenômeno em questão faz parte das explicações acerca do Universo e, de certa forma, explicam a constante transformação e expansão do mesmo.

Além disso, é por conta da supernova que diversos elementos químicos foram classificados na Tabela periódica, já que a explosão do Big Bang deu origem somente ao hidrogênio, hélio e parte do lítio.

A definição do que é uma supernova se refere, basicamente, ao colapso de uma estrela. Neste caso, existem dois tipos de supernovas, aquele originado de estrelas binárias e a supernova que ocorre ao final da vida de uma estrela.

Mas, antes de entendermos o que de fato é uma supernova, vamos compreender como uma estrela é formada!

Formação das estrelas

As estrelas são corpos celestes que nascem a partir do encontro entre uma nuvem de poeira e gás frio que, geralmente, são advindas de outras galáxias.

European Southern Observatory

Sendo assim, uma estrela só é formada caso haja algum tipo de perturbação na nuvem de poeira, sendo, a supernova, um exemplo dessa perturbação.

Ou seja, as estrelas, quando no final da vida, dão origem à supernova que, como consequência, também originam novas estrelas.

Pois bem, após a perturbação que ocorre na nuvem de poeira são formados alguns conglomerados de poeira e gás, chamados de grumos.

Esses grumos se juntam no centro da nuvem e, com o passar do tempo – ou seja, milhões de anos – começam a adquirir massa e temperatura.

Caminho até a supernova

Por meio da quantidade de massa e temperatura adquirida, o interior da nuvem entra em colapso e, dessa forma, mais matéria é absorvida para o interior da nuvem, que, mais tarde, origina uma supernova.

Em seguida, são formadas as protoestrelas que, mesmo com a quantidade de matéria e temperatura absorvida ao longo de milhares de anos, continuam o processo de aquecimento.

Supernova, o que é? Definição, como se formam e características
Revista Galileu

Com isso, quando o núcleo da protoestrela se forma de maneira completa, então, ocorre a estabilização, dando origem à uma estrela.

As estrelas são, basicamente, formadas por hélio e hidrogênio. Ao longo da vida, continuam a consumir combustível, ou seja, matéria e temperatura, até que o núcleo se esgote.

Neste caso, no momento em que o hidrogênio é consumido por completo, ocorre, então, a morte da estrela, ou seja, uma supernova. Porém, o fenômeno depende do tamanho do corpo celeste.

Ou seja, quando o hidrogênio é totalmente absorvido por uma estrela e, então, está explode, a supernova só ocorre quando a massa da estrela é maior que a massa presente no Sol.

Supernova em formação

Como vimos, uma supernova pode ser formada a partir do colapso do núcleo de uma estrela. Sendo assim, existem duas maneiras para se chegar ao colapso estrelar.

A primeira delas ocorre nos sistemas binários de estrelas. O que isso significa? Bem, o sistema binário de estrelas representa duas estrelas que estão em um mesmo ponto na órbita espacial.

Assim, para que a supernova aconteça a partir das estrelas binárias, uma anã branca precisa “roubar” a matéria de outra estrela, no caso, sua companheiro no espaço.

Hypescience

As anãs brancas são estrelas formadas por carbono e oxigênio, ou seja, possuem mais facilidade para absorver matéria de outras estrelas.

Com isso, a anã branca acumula grande quantidade de matéria o que, consequentemente, origina no acúmulo de partículas no núcleo da estrela.

O excesso de matéria faz, então, com o que a estrela simplesmente exploda, dando origem à uma supernova.

Já o segundo tipo de supernova ocorre quando uma estrela chega ao final da vida. Neste caso, o combustível que é adquirido pela estrela se esgota e, consequentemente, a massa do núcleo é expelida para fora.

No momento em que a estrela não consegue mais suportar a própria força gravitacional, adquirida a parte da massa, ela acaba explodindo e dando origem à supernova.

Importância da Supernova para os cientistas

As supernovas, de modo geral, dizem muito sobre a formação do Universo, sua expansão e constante transformação.

Para os cientistas, em específico, o estudo da supernova demonstra como os processos de transformação do espaço são contínuos.

Supernova, o que é? Definição, como se formam e características
Eternos Aprendizes

Apesar do brilho causado pelo fenômeno astrológico durar por pouco tempo, os cientistas conseguem estudar os detalhes da explosão por meio de observações auxiliadas por telescópios.

Além de entender melhor a formação do Universo, a supernova desempenha um papel fundamental na distribuição de elementos químicos por todo o espaço.

Isso porque, após a explosão de uma estrela, vários elementos são lançados no Universo, que, inclusive, corroboram para a formação de novas estrelas e, até mesmos, novos planetas.

Relação com a Tabela Periódica

As supernovas possuem relação direta com o surgimento e, posterior, classificação dos elementos químicos na Tabela Periódica.

Isso porque, parte dos elementos foram originados a partir da explosão de estrelas. O Big Bang, por exemplo, deu origem aos elementos hélio, hidrogênio e parte do lítio.

Supernova, o que é? Definição, como se formam e características
Hora da Escola

Com isso, os demais elementos foram, então, originados a partir das supernovas. Inclusive, de acordo com estudos científicos, o Sol e os planetas também surgiram por meio das supernovas.

Você sabia?

O termo supernova foi pela primeira vez, na década de 1930, na Califórnia (EUA). Dois astrônomos, Walter Baade e Fritz Zwicky, teorizaram o conceito e expandiram as observações feitas no Observatório Mount Wilson para o mundo da ciência astronômica.

Para chegar ao resultado dos estudos, os astrônomos passaram um longo tempo analisando os fenômenos no espaço. Isso porque, as supernovas são casos extremamente raros, que só ocorre, em média, três vezes por século na Via Láctea.

O que achou da matéria? Se gostou, confira também o que estuda a Astronáutica e quais as características da Energia Escura.

Fontes: Só Científica, Info Escola, Segredos do Mundo e Observatório UFMG 

Imagens: Superinteressante, European Southern Observatory, Revista Galileu, Hypescience, Eternos Aprendizes e Hora da Escola 

Por <a href='https://conhecimentocientifico.r7.com/author/dayane/' rel='dofollow' class='dim-on-hover'>Dayane Borges</a>
Por Dayane Borges
Jornalista e redatora com experiência em escrita criativa, adequação e produção de conteúdos multimídia para a web.