Astronomia

Sol, qual é sua cor? Definição, características e espectro de cores

O Sol é uma das mais de 200 milhões de estrelas que compõem a Via Láctea, sendo formado por hidrogênio, hélio e outros elementos químicos.

Atualizado em 12/08/2020

O Sol é uma das estrelas mais importantes da Via Láctea, por isso está localizado no centro do sistema solar.

Diante disso, possui papel de protagonista, pois a Terra gira em volta dele. Isso ocorre porque sua massa é 332 900 vezes maior que a da Terra.

A distância entre esses dois astros é de cerca de 150 milhões de quilômetros. Por esse motivo, quando se olha para o Sol pode ser ter uma percepção diferente da sua característica original.

Durante muitos anos se acreditou que a cor do Sol era amarela, laranjada e, até mesmo, em tons de vermelho.

Porém, a ideia das cores é apenas uma suposição, já que o corpo celeste em questão está extremamente distante e a cor muda de acordo com a superfície da Terra.

A cor verdadeira do corpo solar

Em síntese, as estrelas são corpos celestes que possuem como características principais a emissão de luz, calor e outros tipos de radiação.

Isso ocorre em decorrência dos processos de fusão nuclear em seu interior. A princípio, o Sol está dentro do espectro eletromagnético.

Vista de uma sonda no Sol. Fonte: Super Interessante

No processo de fusão nuclear, o Sol produz diversas formas de radiação, do infravermelho aos raios gama.

Em função disso, diversas ondas de luz visível participam desse processo, como a luz violeta e a luz vermelha (entre 380 nm e 720 nm). Por causa disso, a cor original do Sol é branca.

Os raios solares, quando adentram a superfície da Terra, são modificados pela atmosfera. Isso ocorre por conta de irregularidades na camada de ar, além da distância que a luz percorre na atmosfera.

As cores sobre a atmosfera da Terra

Além da atmosfera, os fótons são as partículas responsáveis por modificar as cores. O principal impacto dessas partículas está relacionado com a cor final do espectro, como ocorre nas cores índigo, azul e violeta.

Logo, esse tipo de cores são mais propensas a serem espalhadas. Por isso o céu está na paleta azul, pois as partículas de fótons se espalham pelo céu dando impressão da cor azulada.

Vista da atmosfera. Fonte: A Magia do Universo

Enquanto isso, cores como vermelho, laranja e amarelo são menos dispersas. Por isso, é possível ver o Sol dessa cor.

As cores laranja e vermelho, por exemplo, conseguem ultrapassar as camadas da atmosfera sem sofrer espalhamento, especialmente durante o nascer ou pouco antes do pôr do Sol.

A maioria dessas partículas está relacionada à poeira, poluição e gotículas de água infiltradas entre as moléculas de gás que compõem a atmosfera.

Esse processo acontece por conta de um filtro natural entre as moléculas que a compõe. Assim, as ondas mais longas de luz, como o vermelho, contornam os obstáculos sem dificuldades.

Espectro de cores

Os raios solares, ao adentrarem a atmosfera, se aproveitam da fácil dispersão das cores vermelho, laranja e amarelo.

Ao medir a faixa espectral do Sol, é possível ver que há mais fótons na parte verde do espectro, embora a cor original seja o branco.

Espectro de cores. Fonte: Mistério do Universo

temperatura de sua superfície, de aproximadamente 5800 K, auxilia na emissão de diversas formas de radiação, contribuindo para distribuição de diversas cores e intensidade. Portanto, o Sol passa por todas as cores e acaba se tornando branco.

E aí, gostou de ler sobre a cor do Sol? Que tal se aprofundar mais e conhecer sobre a Teoria do Big Bang – A grande explosão que deu origem ao universo.

Fonte: Mundo Educação, Mistérios do Universo e Super Interessante.

Imagem: Vix, Super Interessante, A Magia do Universo e Mistérios do Universo.