Biologia

Clonagem – Definição, pesquisas realizadas, principais técnicas e riscos

Clonagem é a técnica de originar células idênticas a partir de espécies de plantas ou animais. Pode ser um processo natural ou artificial.

Atualizado em 05/03/2020

A clonagem é uma técnica utilizada para duplicar seres vivos como plantas e animais. Nesse sentido, um clone possui as mesmas características genéticas da célula original. Além disso, pode ser criado a partir de processos naturais ou artificiais.

Na história, existem casos de clonagem de plantas e animais. Isso porque, já em 1903, o termo clone já era debatido pelo botânico Hebert J. Webber. O pesquisador chegou ao termo clone ao analisar plantas no Departamento de Agricultura dos Estados Unidos.

Os primeiros processos de clonagem ocorrem de forma artificial. Porém, atualmente, se discute muito sobre a possibilidade de clonar por meio de óvulos não fecundados. A prática da clonagem já vem sendo desenvolvida desde o século XIX por agricultores, por exemplo.

O desenvolvimento da clonagem

A clonagem em animais foi vista pela primeira vez em 1996 quando o doutor Ian Wilmut clonou uma ovelha. O caso ocorreu na Escócia, no Instituto de Embriologia Roslin. Em síntese, a ovelha clonada recebeu o nome de Dolly e, a partir disso, vários outros animais foram clonados.

Clonagem - Definição, pesquisas realizadas, principais técnicas e riscos
Ian Wilmut, criador da ovelha Dolly. Fonte: The Times

Nesse sentido, a ovelha Dolly foi clonada a partir de células somáticas diferenciadas. A técnica utilizada se diferenciava da técnica utilizada em plantas, por exemplo. Ao clonar a ovelha, os estudos sobre clonagem obtiveram mais destaque, já que clonagem de plantas não chamava atenção.

Para que o clone da ovelha Dolly fosse feito, foram realizadas 277 tentativas. Nesse sentido, o processo foi realizado a partir da eletrofusão entre a raça Finn Dorset junto ao óvulo sem núcleo de uma ovelha da raça Scottish Blackface. Logo, a partir da eletrofusão deu-se origem à uma divisão celular. Ou seja, as células começaram a se dividir uma em duas, duas em quatro e assim, suscetivamente.

Clonagem - Definição, pesquisas realizadas, principais técnicas e riscos
Processo de como ocorreu a clonagem da ovelha Dolly. Fonte: Diário da Região

Visto isso, após a divisão celular se desenvolver e chegar na fase de oito a 16 células, o embrião da ovelha estava formado. Em seguida, o embrião – chamada de blastocisto quando atinge cem células – foi implantado no útero de uma ovelha que serviu como “barriga de aluguel”. A ovelha que hospedou o embrião era da raça Scottish Blackface. Sendo assim, quando o ciclo de gestação teve fim, o clone de Dolly nasceu.

Problemas enfrentados

Criar um clone de mamífero fez ascender a esperança de que seria possível duplicar vidas. Entretanto, a prática apresentou algumas complicações após determinado tempo. Isso porque, Dolly não nasceu totalmente idêntica à ovelha de origem.

Nesse sentido, a ovelha Dolly apresentou características cromossômicas tanto da ovelha branca (de quem herdou a célula primária) quanto da ovelha que a gerou. Por conta disso, Dolly começou a apresentar complicações na saúde apresentando envelhecimento precoce. Em síntese, os cromossomos da ovelha clonada continham as extremidades diminuídas.

Clonagem - Definição, pesquisas realizadas, principais técnicas e riscos
Dolly sofria de envelhecimento precoce dentre outras doenças. Fonte: Gizmodo

Por esta razão, Dolly sofria de problemas como artrite em algumas partes do corpo. Os cientistas explicam isso devido a ovelha ter sido originada a partir de uma célula já adulta. Ou seja, a célula primária foi retirada de uma ovelha que já tinha seis anos de idade.

Assim, por conta de diversos problemas de saúde, Dolly foi sacrificada com seis anos de idade. As dificuldades de desenvolvimento causadas por uma doença degenerativa fizeram as esperanças da clonagem em mamíferos serem questionáveis.

Principais tipos

A clonagem pode ocorrer de forma artificial ou natural. Dessa forma, um clone se caracteriza por ser um apanhado de células, moléculas ou organismos vindos de uma mesma célula. Um exemplo de clones naturais são os gêmeos idênticos. Além disso, existem dois tipos de clonagem: a reprodutiva e a terapêutica.

A clonagem reprodutiva foi a técnica utilizada na clonagem da ovelha Dolly. Nesse sentido, o que ocorre é a introdução de uma célula adulta em um óvulo vazio. Em seguida, esse óvulo é depositado no útero de aluguel do animal que vai gerar o óvulo fecundado. Após isso, o feto é gerado sendo idêntico à célula do animal que doou.

Clonagem - Definição, pesquisas realizadas, principais técnicas e riscos
Gêmeos idênticos são exemplos de clones naturais. Fonte: Polityka

Já na clonagem terapêutica a introdução de células no útero não ocorre. A fase inicial da clonagem ocorre da mesma forma. Ou seja, um célula de DNA é depositada em um óvulo vazio. Porém, ao invés desse óvulo ser introduzido em um útero de aluguel, ele é levado à um laboratório. Dessa forma, ocorre a produção de tecidos idênticos que não são rejeitados pelo doador, como ocorre na clonagem reprodutiva.

Como ocorre a clonagem?

Desde a criação do termo clone pelo botânico Herbert J. Webber, a prática da clonagem vem sendo bastante debatida. No Brasil já existem casos bem sucedidos de clonagem em animais, como é o caso da bezerra Vitória. Em síntese, a bezerra foi clonada por pesquisadores da Embrapa que, após a prática bem sucedida, passaram a clonar mais animais como vacas transgênicas.

Clonagem - Definição, pesquisas realizadas, principais técnicas e riscos
Célula de DNA. Fonte: Revista Adventista

Para entender melhor como funciona a técnica de clonagem, observe esse passa a passo:

  1. As células somáticas são retiradas do doador;
  2. Essas células são cultivadas em laboratório;
  3. De uma doadora colhe-se um óvulo não fertilizado;
  4. O núcleo contendo DNA é retirado do óvulo;
  5. A célula cultivada é fundida ao óvulo por meio de corrente elétrica;
  6. Agora temos o óvulo fertilizado com nova informação genética;
  7. Este óvulo vai se desenvolver até a fase de blástula (embrião com mais de 100 células) onde estão as células tronco.

Por mais que a clonagem vem se desenvolvendo ao longo dos anos, ainda sim existem fatores negativos em relação a prática. Isso porque, após a clonagem, diversos fetos morrem e as chances de nascerem animais com anomalias é grande. Além disso, grande parte dos animais clonados apresentam envelhecimento precoce acarretando em diversas doenças de degeneração.

Pontos positivos

Entretanto, existem pontos positivos nessa técnica. Como, por exemplo:

  • A obtenção de células tronco para restaurar órgãos ou tecidos;
  • Utilizando a clonagem terapêutica as chances de rejeição pelo doador seriam menores;
  • O tráfico de órgãos poderia diminuir ou, até mesmos, chegar ao fim;
  • Casais que não podem ter filhos poderiam ser ajudados;
  • Melhoramento animal, resgate de material genético, maximização do potencial genético de uma raça.

O que achou da matéria? Interessante, não é? Aproveita que já está aqui e corre pra conferir como se caracteriza o Reino Animal e o que são Animais vertebrados.

Fontes: Só Biologia, Biologia e Monografias Brasil Escola 

Fonte imagem destaque: Tecstudio

Por <a href='https://conhecimentocientifico.r7.com/author/dayane/' rel='dofollow' class='dim-on-hover'>Dayane Borges</a>
Por Dayane Borges
Jornalista e redatora com experiência em escrita criativa, adequação e produção de conteúdos multimídia para a web.