Para educadores

Semântica – conceito, divisão e significado dos termos

A semântica é o ramo da linguística que estuda o significado das palavras em um idioma, podendo ser dividida em "descritiva" e "histórica".

Atualizado em 04/04/2019

A semântica pode ser conceituada como o ramo da linguística que analisa o sentido dos vocábulos da língua. Sua origem vem do grego “semantiká”, que quer dizer “sinal”.

Há a semântica sincrônica, que analisa o significado atual das palavras, bem como a semântica diacrônica, que estuda a palavra no tempo.

Existem também muitos outros conceitos na semântica, como sinônimo e antônimo, homônimos e parônimos.

Semântica – conceito, divisão e significado dos termos

Considerações sobre a semântica

De acordo com as vertentes sincrônica ou diacrônica, pode a semântica ser dividida em descritiva ou histórica.

A semântica descritiva, chamada de semântica sincrônica, estuda o que as palavras significam hoje. Já a semântica histórica, que é a semântica diacrônica, estuda o significado das palavras num dado espaço de tempo.

É através da semântica que vamos entender o que significam os termos, para assim melhor empregá-los. Dois conceitos importantes para se saber o significado das palavras é o da sinonímia e o da antonímia.

Semântica – conceito, divisão e significado dos termos

 

O que são Sinonímia e Antonímia?

A sinonímia é o estudo dos sinônimos, ou seja, palavras que têm o mesmo significado. São exemplos: andar e caminhar, fraco e frágil.

A termo sinônimo se origina do grego sunonumon (semelhante nome). Podendo ser sinônimos perfeitos, quando possuem significados idênticos, exemplo: após e depois. Já os chamados sinônimos imperfeitos têm significados parecidos, como gordo e obeso.

A antonímia analisa os antônimos, que são as palavras que têm significados contrários. São exemplos: claro e escuro, bom e mau. Do grego antonumos, o termo antônimo quer dizer nome oposto ou contrário.

Semântica – conceito, divisão e significado dos termos

Que são Homonímia e Paronímia?

Os homônimos são aquelas palavras que ora têm a mesma pronúncia, ora são grafadas iguais, mas o significado é distinto. Se a pronúncia é a mesma, diz-se que são palavras homófonas. Já se tiverem a mesma grafia, são palavras homógrafas.

Nos homônimos perfeitos, as palavras possuem as mesmas grafia e sonoridade na pronúncia. Podemos exemplificar: o pelo do gato é liso – pelo morro distante.

Já os parônimos são as palavras que trazem significados diferentes, só que se assemelham na pronúncia e na escrita. Exemplificando: há acento como sinal gráfico e assento como local de assentar.

Semântica – conceito, divisão e significado dos termos

 

Que é a polissemia, conotação e denotação?

Quando há a multiplicidade de significados de dada palavra, diz-se que ocorre polissemia. É exemplo: o menino quebrou o braço – a cadeira perdeu a perna.

Já quando há a conotação, ocorre o sentido figurado e subjetivo da palavra, posto que isso aumenta seu campo semântico. Tudo vai depender em que contexto a palavra é empregada. A conotação é empregada bastante em poesias, afinal dá um bonito destaque.

Porém a denotação indica o sentido literal e objetivo da palavra, posto que usa uma linguagem mais informativa. É mais empregada nos jornais e revista, trabalhos acadêmicos etc..

São exemplos: esse político é cara de pau (sentido conotativo) – aquele cara é meu irmão (sentido denotativo). Ela é uma anta (sentido conotativo) – no zoológico tem anta. (sentido denotativo).

Lei também sobre a origem, história e desenvolvimento da escrita.

Fonte: Só Português, Wikipédia, Brasil Escola, Toda Matéria, Significados, Comunidade, Info Escola, Klick Pages, Norma Culta, Ok Concursos, Português.

Fonte das imagens: Estudo Prático, Ponte de Letras, Mau ou Mal, Gram Cursos Online, Braynli.