Biografia

Pisístrato, quem foi? História, transformações e governos tirânicos

Pisístrato (605 -527 a.C.) foi um político ateniense que instaurou a tirania e limitou os poderes da aristocracia em Atenas.

Atualizado em 22/09/2020
Por Júlia Alves

Pisístrato ( 605- 527 a.C.) foi um político de destaque na cidade-estado de Atenas, na Grécia. Em 561 a.C., ele foi o primeiro no poder durante o período dos governos tirânicos. Dessa forma, reduziu os poderes da aristocracia e apoiou a parte da população menos favorecida da época.

Antes de mais nada, é necessário entender o contexto em que Pisístrato tornou-se líder. A princípio, a cidade de Atenas estava sendo marcada por vários conflitos políticos envolvendo os aristocratas (elite) e as outras classes da população durante o período arcaico.

Logo, uma grande parcela da sociedade não estava satisfeita da maneira que estavam fluindo as coisas por lá.

Desse modo, artesões, comerciantes e outros queriam participar da política e buscavam por direitos. Logo, protestaram também contra antigas leis que só favoreciam os mais ricos.

Com isso, o Partido Democrático, apoiado por Pisístrato, foi criando forças. O seu propósito era tirar o poder da aristocracia.

Poder de Pisístrato

De início, Drácon e Sólon foram os responsáveis pela solução de algumas questões que eram muito cobradas por meio de protestos.

Entre as vitórias conquistadas, vale destacar o fim da escravidão por dívidas e a reorganização das assembleias.

Entretanto, o povo ansiava por mais mudanças. Dessa forma, Pisístrato assumiu o governo.

governador de Atenas
Escultura de Pisístrato

Nesse ínterim, o político – que tinha como objetivo implantar a tirania em Atenas – incluiu várias medidas que iam contra as ideias da aristocracia.

Em seu governo ocorreu a divisão das grandes terras, ou seja, os menos favorecidos que possuíam poucas posses conseguiram parte de propriedades.

Da mesma forma, Pisístrato criou políticas públicas em benefício aos comerciantes e artesões. Empréstimos foram dados para incrementar a produção da agricultura e, consequentemente, expandir os empregos aos atenienses.

As construções navais tornaram a cidade-estado de Atenas uma grande base marítima. Assim também, o comércio aumentou pelo Mar Egeu.

Nesse meio tempo, também iniciaram eventos esportivos e religiosos. Durante o seu governo, o político teve interrupções causadas pelos opositores Licurgo e Mégacles, porém, com o apoio popular, conseguiu retornar ao poder.

Posteriormente, devido a tantas mudanças e implementações, Písístrato conseguiu fazer Atenas ser uma potência na política grega colonial e internacional.

Após sua morte

Pisístrato morreu em 527 a.C. e os seus filhos, Hípias e Hiparco, foram os sucessores do governo que, de imediato, seguiram os passos do pai, mas sem grandes mudanças.

Atenas
Cidade-estado de Atenas

Em contrapartida, alguns anos depois, em 514 a.C., um aristocrata matou Hiparco. Com isso, Hípias se revoltou e iniciou uma perseguição contra a elite e, como consequência, perdeu o apoio do povo e, posteriormente, foi expulso de Atenas.

Mais tarde, foi implantada a Democracia Ateniense.

Gostou do assunto? Leia agora: Leônidas, quem foi? Vida do rei de Esparta e Batalha de Termópilas

Fontes: Click Escolar, Mundo Educação e Infopédia

Imagens: Britannica, Pinterest e AlaricoCelestino

Próxima página »