História

Baixo Império, o que foi? Contexto histórico, período e características

Baixo império foi considerado como o período de crise no Império Romano do Ocidente que resultou em sua decadência, em 453.

Atualizado em 07/10/2020

O Império Romano foi dividido em duas fases: Alto Império e Baixo Império. Sendo assim, o primeiro compreende desde o seu início, do governo de Augusto até chegar ao poder de Diocleciano, que, no ano de 305, devido as crises que estavam ocorrendo, deixou seu posto como líder.

Dessa forma, logo surgiu o segundo período, chamado de Baixo Império, que durou por mais de 170 anos, entre os séculos III e V. Entretanto, tal período é marcado pelo impacto negativo social que gerou a decadência do sistema.

Lembrando que, antigamente, o estilo político era diferente e todo o poder era concentrado apenas nas mãos do imperador. Por tais questões políticas que o nome é Império, ou seja, faz referência ao imperador, que era figura máxima de poder na época.

Contexto Histórico

Território Romano
Território conquistado pelos romanos

Durante o início do Império, Roma – que estava em busca de proteção e segurança contra invasores – iniciou uma expansão para todos os cantos com muito poder. Dessa forma, suas fronteiras foram construídas do sul do Saara até ao norte dos rios Reno e Danúbio.

Enquanto dominavam novas terras, o poder do império crescia. Entretanto, conforme conseguiram conquistar todas as áreas ao redor, não existia mais o que ir em busca.

Logo, a tropa do exército, que era enorme, começou a passar por desiquilíbrios e dificuldades para mantê-los daquele tamanho. A população começou a cobrar uma postura do imperador.

Crise Econômica no Baixo Império

Além do grande problema com o excesso de exército, já que todas as fronteiras já tinham sido conquistadas, outra questão que pesou muito no agravamento da crise que levou ao fim do Baixo Império foi a falta de mão de obra escrava.

Baixo Império, o que foi? Contexto Histórico, período e características
Ruínas da Civilização Romana.

A princípio, conforme os romanos conquistavam as batalhas e as áreas, consequentemente, os escravos eram rendidos.

Como as conquistas cessaram, os escravos ficaram escassos da mesma forma. Dessa maneira, a produção agrícola foi atingida, afinal ela dependia deles.

Com a falta de reabastecimento dos escravos e as péssimas condições de vida que eram oferecidas para eles (que geravam uma morte precoce), ficou cada vez mais difícil manter o Império Romano.

Além disso, a ideia do cristianismo foi implantada durante a época e foi uma das características mais marcantes daquele tempo.

Entretanto, a contradição era grande entre os ensinamentos cristões e a forma como os escravos eram tratados. Logo, muitos se revoltaram e faziam de tudo para se libertarem.

Com todos os acontecimentos, aos poucos, a escravidão foi ficando de lado e os próprios povos assumiram a produção no campo.

Consequências da crise

Posteriormente, a crise foi se intensificando e, até mesmo, o número de moedas do Império diminuiu.

Sacófagos
Sarcófagos do Baixo Império

Tais acontecimentos tentaram ser revertidos em busca da harmonia novamente entre o poder (imperador) e a população romana. Entretanto, infelizmente o momento delicado que eles estavam vivendo era muito mais profundo do que uma crise passageira e fácil de ser solucionada.

As consequências começaram a demonstrar o horror em que se encontrava a situação política do Baixo Império, com altos índices de crise econômica, militar e administrativa. Além disso, com as fronteiras e todo o território desestabilizado, migrações bárbaras começaram a surgir.

Com o Império já bem enfraquecido, prezando solucionar os problemas e tentar fortalecer melhor as fronteiras, o imperador decidiu dividir o Baixo Império em duas partes, sendo elas: a parte do Ocidente e do Oriente.

Divisão do Baixo Império

Depois da mudança de Alto Império para Baixo Império, a antiga cidade de Bizâncio foi definida como nova capital e o imperador nomeado foi Constantino.

Divisão
Divisão do Império em Ocidente e Oriente

Posteriormente, Teodósio assumiu e resolveu dividir em duas partes, para os seus dois filhos Arcádio e Honório, um ficando com a parte do Ocidente e o outro do Oriente.

Apesar das esperanças que o imperador possuía, as invasões continuaram e a situação foi ficando cada vez mais complicada. O primeiro a ser totalmente dominado foi o Império Romano do Ocidente, no ano de 476.

Já o Oriente, apesar de não ser a mesma coisa e sofrer grandes pressões, se manteve firme até 1453 como Império Bizantino.

Gostou? Então, que tal ler agora sobre os Gladiadores, quem foram? História, Batalhas e Império Romano

Fontes: Só História, Tudo sobre Roma, História Net e Educação UOL

Imagens: Opera Mundi, Cola da Web, Tribuna do Povo , Apaixonados por História e Prof. Gildo Santos