Biologia

Parasitismo – O que é, características e tipos de parasitismo

O parasitismo é uma relação ecológica onde um organismo se uni a outro para se alimentar de seus nutrientes. Entenda.

Atualizado em 07/06/2020

Dentro de todo o ecossistema, todos os seres vivos se relacionam entre si. Dessa forma, existem diversas relações, onde algumas são positivas para todos os organismos envolvidos, enquanto em contraste outras apenas uma espécie é beneficiada. O parasitismo é um exemplo de relação onde apenas uma espécie sai beneficiada.

Sendo assim, o parasitismo é uma relação ecológica interespecífica, ou seja, que envolve espécies diferentes, onde uma se sobressai diante da outra. Desse modo, para promover a sobrevivência, uma espécie denominada parasita, se alimenta das propriedades de outra espécie, a chamada hospedeira – que sai prejudicada no processo.

Nessa relação, o parasita pode viver tanto dentro, quanto fora do organismo hospedeiro. Portanto, quando sobrevivem na superfície externa do hospedeiro, recebem o nome de ectoparasitas, e quando vivem em seu exterior, são chamados de endoparasitas.

E para entender melhor como funciona essa relação, vamos conhecer tudo sobre o parasitismo e suas características. Vamos lá!

Características do Parasitismo

O parasitismo é basicamente a associação de dois organismos, onde um obtém o seu alimento do corpo do outro. Assim, o parasita é o organismo que suga o alimento do outro ser, o qual recebe o nome de  hospedeiro.

Contudo, na maioria dos casos, os danos causados ao hospedeiro não são tão graves a ponto de levar a morte. Isso porque dentro do processo de evolução, muitos deles estão adaptados uns aos outros. E até porque, o parasita depende do hospedeiro para conseguir seu alimento, então ele age de forma que os prejuízos não sejam tão drásticos.

Portanto, caso o hospedeiro morra rapidamente em detrimento do parasitismo, o parasita não terá mais fonte de alimento, e consequentemente também morrerá. Sendo assim, essa relação é considerada equilibrada, já que um organismo se adapta ao outro, ocasionando o fenômeno chamado coadaptação.

Desse modo, existem diversas formas de parasitismo na natureza, sendo a mais conhecida relação interespecífica. Essa, que o parasita suga nutrientes do hospedeiro, lhe causando muitos danos.

A seguir, iremos conhecer algumas dessas relações:

Parasitismo entre animais

Existem diversas formas de parasitismo entre animais, vejamos as principais:

Ectoparasitas

São os tipos de parasitas que se unem ao corpo do hospedeiro de forma externa, para sugar os seus nutrientes. Como exemplos, podemos citar: carrapatos, pulgas e piolhos que parasitam animais e seres humanos.

Assim, eles podem causar coceira e lesões em consequência do ato de coçar.

Carrapato parasita de seres humanos.
Fonte: Thpanorama

Endoparasitas

Já os endoparasitas, são mais perigosos, já que se encontram dentro do corpo do hospedeiro, podendo causar várias doenças e levar à morte. Como exemplos temos os  vermes nematódeos ou platelmintos, como as tênias e lombrigas que parasitam seres humanos.

  • A teníase, causada pelo verme do gênero Taenia, é um exemplo de doença causada por parasitismo. Ela é adquirida através da ingestão da carne de boi ou porco mal cozidas, contendo as larvas da tênia. Ao ingerir a carne contaminada, o verme adulto passa para o intestino do ser humano e vive preso através de ganchos e ventosas localizados em sua cabeça.
Tênia paralisando o intestino humano.
Fonte: Segredos do Mundo
  • Outra doença desse tipo é a ascaridíase, causada pelo Ascaris lumbricoides. Esse nematódeo vive no intestino do ser humano, e sua instalação ocorre por meio da ingestão de água e alimentos contaminados por seus ovos. Ao serem ingeridos, os ovos liberam as larvas que passam pelo intestino, pulmões, traqueia e intestino novamente, no qual se instalam definitivamente e se desenvolvem até se tornarem lombrigas adultas.
Doença causada por lombriga, ascaridíase.
Fonte: Opas

Portanto, os parasitas não se limitam somente aos animais, vírus, fungos, bactérias, protozoários e plantas também podem parasitar organismos.

Parasitismo entre plantas

Agora veremos os tipos de parasitismo entre plantas, e plantas e animais.

Parasitas Vegetais

Existem algumas plantas que não realizam fotossíntese, portanto, possuem estruturas adaptadas, parecidas com raízes, que servem para penetrar no tecido de uma planta hospedeira, para sugar sua seiva. Nesse caso, essas plantas parasitas podem levar o hospedeiro à morte.

Além disso, há também plantas que mesmo fazendo fotossíntese parasitam outras, com o mesmo propósito de sugar seiva bruta.

Vejamos alguns exemplos:

  • Cipó-chumbo: o cipó-chumbo é uma planta parasita que não possui clorofila, ou seja, não é capaz de realizar fotossíntese. Portanto, ela penetra suas raízes especializadas na planta hospedeira e retira dela a seiva orgânica. Sendo assim, plantas como o cipó-chumbo, que retiram da planta hospedeira todos os seus nutrientes, são denominadas como holoparasitas.
Cipó-chumbo.
Fonte: Coisas da Roça
  • Erva-de-passarinho: Erva-de-passarinho, ao contrário da cipó-chumbo, possuem clorofila, portanto, realiza fotossíntese. Então, diferentemente das plantas holoparasitas, ela não extraem das plantas hospedeiras os nutrientes produzidos na fotossíntese. Porém, ela retira das outras plantas a seiva mineral, por meio de suas raízes especializadas.
Erva-de-passarinho.
Fonte: Trocando Fraldas

Parasitas animais

Também existem animais que são parasitas de plantas, como acontece com os pulgões, que vivem em vegetais retirando deles a seiva. Então, da mesma forma como outras pragas da agricultura, eles também aniquilam ou levam à morte as plantas.

Pulgões parasitando planta e seu predador, a joaninha.
Fonte: Baumpflege

Outros tipos de Parasitismo

Contudo, o parasitismo não é como outras outras relações ecológicas desarmônicas que envolvem a alimentação. Sendo assim, não se pode confundi-lo com o predatismo por exemplo, relação em que uma espécie caça e captura a outra para se alimentar.

Uma das características do parasitismo, é que não há disputa entre as partes, uma simplesmente se aproveita da outra.

Parasitismo de Ninhadas

Existe ainda uma outra situação curiosa, chamada de parasitismo de ninhada. Nessa relação, os organismos utilizam de uma espécie de cleptoparasitismo, onde meio que roubam o lugar de outras espécies. Esse comportamento pode ser observado entre aves, peixes, e insetos.

Ela se dá através da manipulação de um hospedeiro, afim de criar os filhotes do parasita de ninhada. Isso é comum entre os cucos, que põem os ovos no ninho de outra ave que os cuida como se fossem dela, sem perceber. Assim, os filhotes de cuco geralmente nascem antes, e como são maiores, expulsam os verdadeiros filhotes da ave. Desse modo, são alimentados pelos pais adotivos até que se tornem independentes.

Cuco parasita sendo alimentado.
Fonte: Ars Thecnina

Enfim, o que você achou dessa matéria? Aproveite para conhecer mais sobre o amensalismo.

Fontes: Só Biologia, Toda Matéria, InfoEscola, Escola Kids

Fonte Imagem Destaque: Canal TOP