História

Era Napoleônica – História, principais fases e como terminou

Era Napoleônica compreende o período da chegada de Napoleão Bonaparte ao poder no Consulado, em 1799, e sua derrota na Batalha de Waterloo.

Atualizado em 07/05/2020

Napoleão Bonaparte ficou conhecido pela maneira organizada e bem sucedida de governo. Se tornou, na França, uma figura nobre, visto pelas estratégias bem elaboradas, além do talento para encorajar as tropas de soldados. Dessa forma, quando o Golpe de Estado do 18 de Brumário teve fim, começou, então, a Era Napoleônica.

O período, que teve início em 1799 e foi até o ano de 1815, foi dividido em três partes para melhor compreensão histórica dos fatos. Dessa forma, os períodos da Era Napoleônica foram divididos em Consulado, Império e Governo dos Cem Dias.

Ou seja, o período napoleônico teve início após sua chegada ao poder no Consulado. Entretanto, Napoleão foi derrotado na Batalha de Waterloo. Por consequência, foi exilado na Ilha de Santa Helena, em 1815. Porém, antes mesmo do fim da Era Napoleônica, o líder político deixou algumas ações como legado. Dentre elas estava a consolidação entre instituições burguesas e a expansão territorial nos países europeus.

Era Napoleônica e suas fases

A Era Napoleônica teve como líder um jovem que possuía uma forma diferente de governo. Sempre muito astuto, os franceses enxergavam em Napoleão Bonaparte a capacidade de vencer guerras que pareciam sem alternativas de vitória. Assim, os franceses depositaram em Napoleão a imagem de um herói que defenderia o ideal revolucionário.

Era Napoleônica - História, principais fases do período e como terminou
Napoleão Bonaparte e o exército francês. Fonte: Estudo Kids

Dessa forma, a Era Napoleônica foi divida em três períodos, sendo eles o Consulado, o Império e o Governo dos Cem dias. Confira as principais características de cada divisão:

Consulado

A França passava por crises antes da Era Napoleônica começar. Isso porque, a economia não gerava lucros e a burguesia estava insatisfeita com o governo. Assim, os burgueses viram em Napoleão uma forma de mudar o cenário político francês. Dessa forma, o ajudaram na derrubada do Diretório – controlava a França na época – e, assim, criaram o Consulado, em 1799.

Era Napoleônica - História, principais fases do período e como terminou
A Era Napoleônica também ficou conhecida como o Grande Império da França. Fonte: Wikipédia

Todavia, foi um período marcado pelo crescimento da economia e pela reorganização do poder jurídico e administrativo francês. Como forma de organização, o Consulado era governado por três cônsules – Napoleão, Roger Ducos e Sieyés – responsáveis por cuidar do poder executivo. Entretanto, Napoleão era quem detinha grande parte do poder por ter sido eleito como primeiro-cônsul.

Dessa forma, era responsabilidade de Napoleão comandar o exército, propor novas leis, nomear membros da administração e controlar a política externa. Assim, vários acontecimentos marcaram essa fase do líder político. Dentre eles podemos citar a burguesia, que conseguiu se consolidar.

Império

Após Napoleão ter sido nomeado como cônsul permanente, em 1802, a opinião pública deu o impulso para que o líder político tomasse o poder do Império. Assim, com a monarquia restabelecida, Napoleão foi indicado como principal nome para o trono. Dessa forma, na Catedral de Notre Dame, no dia 2 de dezembro, Napoleão I foi oficializado.

Em seguida, com Napoleão liderando o exército francês, a França se tornou temida por outros países europeus. Além de liderar guerras, Napoleão tinha astúcia e habilidade e, logo, conseguiu expandir o domínio francês para outros territórios. Entretanto, os ingleses, preocupados com o crescimento do líder francês, começaram a traçar estratégias para que o expansionismo francês fosse desacelerado.

Era Napoleônica - História, principais fases do período e como terminou
Obra retrata o momento da coroação de Napoleão como Imperador francês na Catedral de Notre-Dame. Fonte: Causa operária

Com forte exército e um poder político fortalecido, a França tentou invadir a Inglaterra, em 1805. Porém, os ingleses conseguiram derrotar o exército de Napoleão, que revidou criando outras estratégias de dominação. Assim, construíram o Bloqueio Continental com o intuito de fechar os portos para que o comércio inglês fosse defasado.

Consequências da invasão na Rússia

A medida adotada pelo imperador francês não surtiu efeito, já que a França, sozinha, não era capaz de abastecer todos os  países europeus. A Rússia, que possuía grande produção agrícola, aderiu ao acordo. Porém, as fortes crises enfrentadas pelo país fizeram com o que o país voltasse com a decisão. Como forma de vingança, Napoleão ordena a invasão do país, em 1812.

Entretanto, a invasão na Rússia não saiu como Napoleão esperava. Derrotados pelo exército russo, Napoleão e sua tropa foram embora do país sem a vitória esperada. O fato fez com o que outros países europeus criassem coragem para enfrentar o poder francês. Assim, o exército inglês, austríaco, russo e prusso se uniram para lutar e capturar Napoleão Bonaparte. Em seguida, o líder francês foi levado para a Ilha de Elba.

Governo dos Cem Dias

Após a prisão na Ilha de Elba, Napoleão conseguiu fugir e retornar ao seu país. Recebido com gritos de “viva o imperador!”, a população o encorajou como líder absoluto francês. Assim, em 1815, Napoleão retoma o poder e expulsa a família real de Luís XVII.

Era Napoleônica - História, principais fases do período e como terminou
Batalha de Waterloo, em junho de 1815. Fonte: Wikipédia

Entretanto, o poder de Napoleão durou apenas cem dias. Isso porque, os países europeus se uniram novamente para eliminar de vez a Era Napoleônica. Dessa forma, na Batalha de Waterloo, o líder francês foi derrotado e mandado para a Ilha de Santa Helena. Por fim, permaneceu na ilha até a sua morte, em 1821.

Gostou da matéria? Então vem conferir outros temas aqui no site, como por exemplo, como ocorreu a Segunda Revolução Industrial e que é Matéria-prima?

Fontes: Toda Matéria, Info Escola, Mundo Educação

Fonte imagem destaque: Business Insider

Por <a href='https://conhecimentocientifico.r7.com/author/dayane/' rel='dofollow' class='dim-on-hover'>Dayane Borges</a>
Por Dayane Borges
Jornalista e redatora com experiência em escrita criativa, adequação e produção de conteúdos multimídia para a web.