História

Teoria da comunicação – conceito, evolução, escolas e teorias

A Teoria da Comunicação, que foi apresentada ao mundo na década de 1920, nos Estados Unidos; evoluiu e passou a explicar o impacto da cultura de massa.

Atualizado em 31/12/2019

A Teoria da comunicação é o resultado das pesquisas feitas a partir de estudos sobre a comunicação social. Foram pesquisadas áreas da psicologia, antropologia, sociologia, linguística, além de filosofia, para melhor conhecer a comunicação humana.

A comunicação é imprescindível no desenvolvimento da sociedade moderna. Já a linguagem é o objetivo primeiro no estudo sobre a comunicação.

Diversas escolas surgiram, a partir do início do século XX, para explicar as diferentes forma de comunicação. Inclusive se desenvolveu o conceito da comunicação em massa, assim como as formas de manipulá-la.

Contexto Histórico

A necessidade de os seres humanos primitivos se comunicarem levou à evolução da própria humanidade. Não havia ainda a fala, já que os homens das cavernas se comunicavam com sons, gesticulações, além de expressões faciais.

Teoria da Comunicação – conceito, evolução, escolas e teoria a respeito

Depois vieram os desenhos rupestres, que utilizavam tintas naturais e retratavam o cotidiano daqueles tempos. Eles reproduziam as caçadas, os núcleos familiares, os locais onde habitavam etc. Ainda que não pronunciassem palavras, eles se comunicavam de forma eficiente. Depois surgiu a fala, as diferentes línguas e por fim a escrita.

Os estudos sobre a comunicação humana se tornaram mais efetivos a partir do século XX. É que houve uma melhoria dos meios de comunicação, ou seja, dos instrumentos de transmissão de informações.

Surgiram escolas com correntes doutrinárias diversas para falar sobre o fenômeno, como a Estadunidense, a Canadense e a Francesa.

A Escola Americana

Na década de 1920, começou nos Estados Unidos uma pesquisa de comunicação de massa. Também se concentrou na maneira como se comportavam as pessoas no meio social.

Teoria da Comunicação – conceito, evolução, escolas e teoria a respeito
Charles Horton Cooley

Essas eram basicamente as preocupações da Escola Americana, ou Estadunidense, na Teoria da Comunicação. Destacaram-se duas frentes de pesquisa, sempre buscando estudar a interação. A Escola de Chicago pesquisou a respeito do comportamento coletivo, assim como a interação social. Destacaram-se o sociólogo Charles Horton Cooley, bem como o filósofo Georg Herbert Mead.

Já a Escola de Palo Alto veio com a ideia de um modelo circular de informação. Destaque para Gregory Bateson, que era biólogo, além de antropólogo. Das teorias da comunicação desenvolvidas nas Escolas Americanas se destacaram: a Corrente Funcionalista e a Teoria dos Efeitos.

A corrente funcionalista estudou a função social da comunicação, com destaque para Paul Lazarsfeld, Harold Lasswell e Robert King Merton. Lasswell, inclusive, procurou interpretar os atos de comunicação com as indagações: “Quem? Diz o quê? Através de que canal? A quem? Com que efeito?”. Já a Teoria dos Efeitos é dividida em Teoria Hipodérmica ou Bala Mágica, bem como da Teoria da Influência Seletiva.

A Teoria Hipodérmica quer saber sobre as mensagens que passam os meios de comunicação de massa. Interessa a ela também quais os efeitos que tais mensagens causam nos indivíduos. Destaque para John Broadus Watson e Gustave Le Bom. Por sua vez, a Teoria da Influência Seletiva se divide em: Teoria da Persuasão e Teoria de Efeitos Limitados.

A Teoria da Persuasão considera os fatores psicológicos. A Teoria de Efeitos Limitados, ou Empírica de Campo, se baseia nos contextos sociais, que são os aspectos sociológicos. Destaque para Carl Hovland e Kurt Lewin.

A Escola Alemã

Teoria da Comunicação – conceito, evolução, escolas e teoria a respeito

Foi na década de 1920 que se criou a Escola de Frankfurt, na Alemanha, porquanto se desenvolveu a Teoria Crítica, de essência marxista. Criou-se aí o conceito de Indústria Cultural, similarmente ao sentido de cultura de massa, que é a cultura vista como mercadoria. Destacaram-se Theodor Adorno e Max Horkheimer.

Após a Segunda Guerra Mundial, a escola foi fechada, só que reabriu em Nova York nos anos de 1950. Aqui prevaleceu a ideia de que a esfera pública foi destroçada pelo consumismo, posto que perdeu o poder de crítica. Destaque para o filósofo e sociólogo Jürgen Habermas.

A Escola Inglesa

Nos anos de 1960, desenvolveram-se na Grã-Bretanha os estudos culturais focados na análise da teoria política. A ideia era buscar o papel social de cada pessoa na composição da estrutura da sociedade. Com isso se levou para mais adiante o conceito de cultura.

Também houve oposição da imposição da cultura de massa feita através dos grandes meios de comunicação. Destacaram-se Richard Hoggart, Raymond Williams, Edward Palmer Thompson e Stuart Hall (1932-2014).

A Escola Brasileira

Teoria da Comunicação – conceito, evolução, escolas e teoria a respeito

Foi o teórico Luiz Beltrão de Andrade Lima quem, nos anos 1960, criou uma corrente de estudos a que chamou de “Folkcomunicação”. Ele estudou a folclores e a comunicação popular por via dos meios de comunicação de massa.

Leia também sobre as artes – o que é, história das artes, formas de manifestação e evolução.

Fonte: Wikipédia, Info Escola, Toda Matéria, Pautar, Educação, Passei Direto, Estudo Prático, Ebah, In Novia.

Fone das imagens: Youtube, Lajedo de Soledade,  Museu de Arte Popular.