História

Pós-Modernismo – O que foi, contexto histórico, características, destaques

O Pós-Modernismo foi um movimento que impôs mudanças nas artes, como consequência das alterações mundiais oriundas da Segunda Guerra Mundial.

Atualizado em 31/01/2020

O Pós-Modernismo foi, basicamente, um movimento cultural de mudanças expressivas em vários segmentos sociais. Em suma, houve modificações nas artes, na filosofia, na sociologia, como também na ciência.

Sacudido pela Segunda Guerra Mundial (1939-1945), o mundo ansiava por mudanças significativas. Portanto, o Movimento Modernista já não respondia mais a esses anseios sociais.

Esse conceito de pós-moderno, criado em 1945, foi modificado nos anos 1960, numa segunda fase. Aqui, aliás, ele foi marcado pelo surgimento da internet, assim como da Era Digital.

Quando surgiu o Pós-Modernismo?

Pós-Modernismo: surgimento, características e quem dele participou

O movimento se divide em duas fases bem distintas. A 1ª Fase Pós-Modernista começa com o final da Segunda Guerra Mundial (1945) e vai até os anos de 1960. Nela atuaram grandes nomes das artes em geral, posto que foi uma fase de inquietação intelectual.

Já a 2ª Fase Pós-Modernista se inicia com grandes inventos tecnológicos, assim como modificações sociais, artísticas e até arquitetônicas. A internet conecta pessoas e encurta distâncias, só que junto vem o individualismo e o consumismo.

Quais são as características do Pós-Modernismo?

Pós-Modernismo: surgimento, características e quem dele participou

Surgida a partir dos anos de 1960, a 2ª Fase desse movimento foi pega em cheio pelos intensos avanços tecnológicos. Com a entrada na Era Digital, as pessoas se abstraíram, tornaram-se mais individualistas e integradas à globalização.

São características principais do Pós-Modernismo:

  • falta de regras e de valores até então consolidados
  • individualismo, imprecisão e pluralidade
  • confusão entre o que é real e hiper-real (imaginário)
  • produção de produtos em série
  • linguagem com espontaneidade
  • liberdade de expressão
  • oposto ao modernismo e ao racionalismo
  • sobressaem-se a ciência e os valores burgueses

O Pós-Modernismo, na verdade, não é uma corrente única, mas sim uma combinação de diversas tendências. Está em vigor até os dias atuais, promovendo uma nova forma de se fazer arte.

A tendência à diversidade

Essas tendências vigoram ainda nas artes, posto que influenciam na literatura, nas artes plásticas e até na arquitetura. Mas também há influência na política, como também no âmbito social.

A arte no Pós-Modernismo não é pura, mas influenciada pela ampla variedade de estilos. Inexistem as diferenciações de gêneros no sexo, por isso essa mistura abstrata.

A sociedade está despida de qualquer formalismo, tanto no trajar, quanto no linguajar. E essa informalidade reflete obviamente na maneira de o artista se expressar.

A Pós-modernismo que surge a partir dos anos 1960 logo é alcançada pelo avanço da tecnologia digital. Com a internacionalização da Internet, os relacionamentos são abstratos, uma vez que reduziram os contatos físicos.

Nos momentos de lazer, não se veem mais leitores de livros, mas sim frequentadores de redes sociais. Os textos são curtos e displicentes, a arte é descartável e efêmera. Até a arquitetura é marcada pela praticidade, em detrimento da beleza.

Autores da literatura Pós-Moderna

Vários autores continuam atuando no Pós-Modernismo, só que alguns deles se destacaram mais. É o exemplo de Adélia Prado, que publicou Bagagem (1975), A Faca no Peito (1988) e A Duração do Dia (2010).

Já Dalton Trevisan publicou Novelas nada Exemplares (1959), Chorinho Brejeiro (1981) e Concerto Carioca (1985). De Antônio Callado destacamos: A Assunção de Salviano, (1954), A Madona de Cedro (1957) e Memórias de Aldenham House (1989).

Pós-Modernismo: surgimento, características e quem dele participou

De Dias Gomes: Sucupira, Ame-a ou Deixe-a (1982), Roque Santeiro (1985/1986), Irmãos Coragem (remake, 1995). João Ubaldo Ribeiro: O Sorriso do Lagarto (1989), O Feitiço da Ilha do Pavão (1997) e A Casa dos Budas Ditosos (1999).

A arquitetura Pós-Moderna

Essa nova visão arquitetônica, aliás, se notabilizou pela crítica à arquitetura moderna, em especial ao Estilo Internacional. Eles passaram a reavaliar o papel da história, além de buscarem reabilitar a composição arquitetônica.

Pós-Modernismo: surgimento, características e quem dele participou

A chamada “austeridade modernista”, então, passou a ser alvo de críticas. Os arquitetos do Pós-Modernismo buscaram também o resgate da cultura popular. Destaque para Robert Venturi, Philip Johnson e Michael Graves, além de Aldo Rossi, James Stirling e Michael Wilford.

Leia também sobre o Pré-Modernismo, o que é, características e os autores que brilharam.

Fonte: Stoodi, Wikipédia, Toda Matéria, Educação, Info Escola, Brasil Escola, Só Literatura, Sua Pesquisa, Passeia Web, Mundo Educação, Cola da Web.

Fonte das imagens: Legio VitrixArch Daily, Publicon, O Rei do FaroesteRevista Zunai,