Geografia

Partes de um rio, quais são? Definição, características e hidrografia

As partes de um rio, em conjunto, são responsáveis pela estrutura do curso d´água. Logo, cada uma delas tem a sua importância.

Atualizado em 27/09/2020

Ao contrário do que muitas pessoas acham, as partes de um rio não se resumem somente em nascente, leito e foz. Logo, um rio é formado por 12 pedaços. Cada um deles é importante para sua circulação.

Antes de tudo, para entender as partes de um rio, é preciso saber o que é um rio. Sendo assim, rio é um conjunto de água doce, ou seja, água natural que desagua no mar, em outro rio ou em lagos. O seu percurso pelos continentes ocorre da parte mais alta em direção à mais baixa.

Dessa forma, a presença de rios é extremamente essencial para a nossa vida. Além de ser uma fonte de água doce, ele também é necessário para nosso dia a dia e contribui com as atividades econômicas no local.

Entre suas funções podemos citar: gerador de energia elétrica, é responsável pelo abastecimento de água nas casas, pela alimentação através da pesca e como via de transporte.

Em alguns casos, quando há um volume menor de água, um local de caminho mais estreito ou percursos menores, ele pode ser chamado de riacho, córrego e ribeirão.

Definição das partes de um rio

Dentre as partes de um rio, a nascente, como o nome já diz, é o local em que o rio nasce, ou seja, se inicia.

Tal fenômeno ocorre quando água subterrânea chega à superfície, devido ao afloramento de água do lençol freático. Outra definição que pode ser usada é cabeceira.

Nascentes
Partes de um rio: Nascente

O curso e o leito são parecidos. Sendo assim, o curso é a direção do percurso das águas de um rio, ou seja, desde o sair do local da sua nascente até chegar a foz.

Já o leito, é definido pelo caminho que ele corre. Logo, é todo o local que as águas passam. A próxima parte de um rio é a margem, que ao contrário das partes anteriores, não fica juntamente com a água. Ela está localizada na beirada do rio, ou seja, na terra.

Definições

A afluente é caracterizada pelo local em que deságua em um rio principal ou lago. Essa parte é responsável por encher um rio principal.

Em contrapartida, a subafluente faz o percurso oposto. Dessa forma, deságua no rio afluente. Ainda assim, falando do curso da água, confluência é a definição da união de dois fluxos d´água que, em conjunto, formam um novo rio.

Assim também, talvegue é o espaço mais profundo do leito. Já o meandro, é a parte do rio mais torta, ou seja, que possui muitas curvas. Assim como, a foz é o local exato em que as correntes de água se desaguam. Essa parte também é conhecida como embocadura.

Foz
Foz do Rio Doce

Logo mais, jusante é o lado pelo qual a água vai seguir. Logo, o local do seu destino final é a foz. Por último, o montante é o inverso do jusante, ou seja, é caracterizado pela sentido oposto do fluxo da correntes de água, voltando assim para a nascente.

Conceitos da Hidrografia

Além das partes de um rio, também é importante entender sobre o conceito de hidrografia. Em síntese, existem os cursos d’água de planalto e os de planície.

O de planalto é encontrado em locais de terras elevadas e, consequentemente, é caracterizado por quedas d´água, como cachoeiras. A energia elétrica geralmente é oriunda dele, além de ser utilizado para turismo.

Partes de um rio, quais são? Definição e características
Bacias Hidrográficas do Brasil

Já os de planície são mais ideias para pesca e para via de transporte, pois são calmos e em locais mais planos.

Para finalizar, é importante entender o conceito de Bacia hidrográfica. Sendo assim, ela é composta por regiões com cursos e correntes de água, ou seja, possui todos os elementos de um rio.

Gostou do assunto? Então agora leia: Rio Tigre, o que é? História, principais características e localização

Fontes: Mundo Educação, Brasil Escola e Prepara Enem

Imagens: EscolaKids, Meio Ambiente.Cultura, Fundação Renova e Toda Matéria