História

Neocolonialismo, o que é? – História, objetivos, consequências

Processo de dominação política, social e econômica das grandes potências sobre países asiáticos e africanos, o chamado neocolonialismo

Atualizado em 18/11/2019

Durante o século XIX houve uma intensa industrialização no continente europeu. Devido as Revoluções Industriais, aconteceu o crescimento dos parques industriais e o acúmulo de capitais. Com isso, obrigou-se as grandes potências a buscarem uma expansão do mercado e matéria-prima barata. Foi nesse contexto, que países europeus buscaram explorar a região africana e asiática, aqui nasce o neocolonialismo.

Você sabe como começou esse processo? O porquê e as consequências?

Em primeiro lugar, precisamos esclarecer o que é colonialismo e neocolonialismo. Enquanto o colonialismo começou em no século XVI, com base no mercantilismo e no capitalismo comercial. Além disso, buscava metais preciosos e manter a balança comercial favorável para os países europeus. À medida que o neocolonialismo iniciou a partir do século XIX, alicerçado na Segunda Revolução Industrial. Devido a procura de mão-de-obra barata, mercado consumidor e a garantia de matérias primas.

Anúncio

A justificativa usada no século XVI era a disseminação da fé cristã, nas regiões colonizadas, principalmente na América. Já durante no neocolonialismo, usavam a justificativa de “superioridade européia”, sendo a Ásia e África as principais vítimas desse processo.

Contexto do Neocolonialismo

Pouco a pouco as nações europeias foram dominando politicamente essas regiões. Uma vez que, buscavam atender à demanda de seus parques industriais. Basicamente, esse modelo de exploração queria um mercado consumidor e, ao mesmo tempo, uma mão-de-obra barata e fonte de matéria-prima. Para além disso, naquela época estava ocorrendo um aumento da população no continente europeu. Devido a isso, o neocolonialismo serviu para abrigar o excedente da sociedade européia.

Por mais que houvesse muito espaço para dominação, o neocolonialismo desencadeou um forte acirramento entre os laços dos países europeus. Logo, tornou o XIX um período de muita tensão política.

Para além do domínio econômico e político, o neocolonialismo viu uma chance de controle ideológico, também. Com isso, colocaram em prática a teoria do darwinismo social, de Hebert Spencer, que traz a Europa como o topo de toda sociedade mundial. Deixando claro, a Ásia e África como civilizações retardadas e primitivas. Baseado nisso, o escritor Rudyard Kipling dizia que a cultura européia sobre os afro-asiáticos era “o fardo do homem branco no mundo”.

Neocolonialismo - História, objetivos e consequências
“O fardo do homem branco”. Fonte: ResearchGate

Conferência de Berlim

Podemos destacar, aliás, a Conferência de Berlim (1884-1885). Basicamente, essa conferência foi para dividir a África entre as nações européias. Aqui, vemos o forte domínio britânico que ficou com a maior parte do norte africano. Logo, garantiu o monopólio sob o Canla de Suez, que liga os Mares Vermelho e Mediterrâneo, sendo de grande importância econômica para o Império Britânico, durante o neocolonialismo.

Neocolonialismo - História, objetivos e consequências
Fonte: Estudo Kids

Na Índia, também houve forte presença inglesa. Uma vez que, após vitória na Guerra dos Sete Anos (1756-1763) houve um enorme controle na região, político-administrativa. Ademais, essa opressão britânica foi mira de uma guerra civil na Índia, a Guerra dos Sipaios. Com isso, para resolver a situação, a coroa inglesa transformou a colônia indiana em parte do império.

Ainda que resistissem ao processo de colonialismo, no século XVI. No fim do século XIX, no neocolonialismo, o Japão não conseguiu tamanha força. Pois, militares norte-americanos conseguiram fazer a abertura da economia japonesa. Com isso, a entrada de valores e de cultura ocidental gerou uma reforma político-econômica no Japão. Tal fato, ficou conhecido como Revolução de Meiji.

A Revolução de Meiji fez o Japão sair das práticas feudais para entrar nas disputas imperialistas. Aliás, em 1894, os japoneses declaram guerra à China e passaram a dominar a região da Manchúria. Que, por sua vez, atraiu o interesse russo, ocasionando a Guerra Russo-Japonesa (1904). Para além disso, os japoneses também disputaram territórios com os EUA, na região do Pacífico, que gerou conflitos entre os anos de 1930 a 1940.

Atualmente, o termo neocolonialismo ainda serve para se referir a dependência econômica de algumas nações da Ásia, América e África têm em relação aos grandes países ricos. Ademais, sendo chamado de imperialismo contemporâneo.

Consequências do Neocolonialismo

O neocolonialismo, portanto, serviu de engate para inúmeras revoltas. Podemos dar destaque, por exemplo, para a Primeira e Segunda Guerra Mundial. Para além disso, ocasionou guerras civias internas dentro dos países dominados e problemas sócio-econômicas. E para completar deixou uma desestruturação das culturas africana e asiática.

Para finalizar, o neocolonialismo fez surgir os conglomerados econômicos, como truste, cartel e holding.

Neocolonialismo - História, objetivos e consequências
Controle sob a cultura africana. Fonte: UOL

Gostou dessa matéria? Venha conhecer essa: O que foi a Conferência de Berlim e como ela dividiu a África

Fontes: Brasil Escola, Significados e Toda Matéria 

Fonte imagem: Instituto Claro