História

Império Otomano, o que foi? – A história da maior potência islâmica global

O Império Otomano foi um importante estado que abrangia o Oriente Médio e parte da África e Europa. Foi responsável por difundir as religiões islâmicas.

Atualizado em 03/12/2019

Importante estado, o Império Otomano começou a nascer no século XI. Durando de 1299 a 1922, formou-se a partir de tribos turcas nômades. Seu território compreendia o Oriente Médio, sudeste da Europa e norte da África.

O império se estabeleceu na região da Anatólia, onde hoje é a Turquia. Seu nome deriva de Otman I, fundador da Dinastia Otomana e governador deste estado. Ele reuniu as tribos e difundiu a religião muçulmana em territórios que viviam sob o domínio do Império Bizantino.

Durante os séculos XV e XVI, transformou o Império Otomano em um dos mais fortes do mundo. Sendo considerado, até hoje, a última potência global de origem islâmica. Este estado teve várias capitais: Söğüt, Bursa, Edime e Constantinopla. A última foi conquistada em 1453, marcando o fim da Idade Média.

Império Otomano - a história da maior potência islâmica global
Brasão de armas do Império Otomano – Fonte: Brasil Escola.

Expansão do Império Otomano

O território Otomano se expandia por 29 províncias e vários outros estados que tinham suas próprias estruturas administrativas. Mas essa conquista só por possível porque havia uma tolerância dos otomanos com as tradições religiosas dos povos que ali viviam. Por exemplo, as igrejas cristãs das terras bizantinas foram mantidas. Bem como as terras otomanas serviram de refúgio para judeus.

A conquista de Constantinopla, em 1453, marcou a vitória sobre o Império Bizantino. A partir daí a capital passa a se chamar Istambul. Nela se localizavam diversos povos como albaneses, sérvios, búlgaros, gregos, romenos, croatas, árabes, curdos, turcos, berberes. Sendo assim, várias denominações religiosas existiam ali como católicos, maronitas, muçulmanos, judeus, mandeus, drusos.

Império Otomano - a história da maior potência islâmica global
Desenho de Constantinopla – Fonte: Guia Geográfico.

Então, entre 1520 e 1566, o Império Otomano ganhou a posição de centro de comunicação entre os dois lados do mundo. Posteriormente, ganham a Guerra da Criméia contra a Rússia e tomam posse da Romênia e da península da Criméia. Dessa forma, por quatro séculos, os otomanos tiveram papel crucial nas negociações entre oriente e ocidente.

A decaída dos otomanos

A vitória sobre o Império Bizantino foi bastante significativa. Porém a mesma expansão que permitiu o crescimento dos otomanos, também foi responsável por sua queda. Uma vez que o território era bastante extenso e os povos tinham controle de suas próprias economias, aos poucos isso gerou uma instabilidade.

Entre 1715 e 1718, ocorre o fracasso de uma expansão e o Império Otomano é derrotado pela Áustria. Desse modo, os turcos são mais uma vez abalados. Depois, se aproximam da Alemanha e, juntos, lutam e perdem na Primeira Guerra Mundial. Sendo assim, passam o século XIX inteiro perdendo territórios.

Império Otomano - a história da maior potência islâmica global
Soldados na trincheira durante a Primeira Guerra Mundial – Fonte: El País.

Até que, em 1909, uma rebelião é responsável por depor o sultão Abdul Hamid II, trazendo para dentro do império o processo de modernização. No entanto, foi tarde demais, pois o estado já estava muito enfraquecido e em 1913, perdem os territórios africanos para Itália e França.

Dez anos mais tarde, o Império Otomano acaba por se desintegrar oficialmente. Então, em 1923, o militar Mustafá Kemal, conhecido como “Ataturk” (pai dos turcos), proclama a República da Turquia.

Império Otomano - a história da maior potência islâmica global
Istambul – Fonte: CI.

Se você achou interessante, então vai ler também sobre a Primavera Árabe – O que foram as revoluções políticas no mundo árabe?

Fontes: SuperInteressante e InfoEscola.

Imagem de destaque: Natan Rufino.