História

Guerra civil americana – O que foi, principais motivos e suas consequências

A Guerra Civil Americana, ou Guerra de Secessão, dividiu os Estados Unidos ao meio. Seu fim, aliás, foi desastroso social e financeiramente.

Atualizado em 14/11/2019

De toda a história dos Estados Unidos, a Guerra Civil Americana é uma das mais marcantes. Pois, deixou de herança para o povo mais de 600 mil mortos e grande gasto financeiro. Foram os quatro anos mais sangrentos vividos pelo país, com a devastação da parte Sul.

Mas, afinal, qual o motivo dessa guerra? Quais suas consequências e como terminou?

Também chamada de Guerra de Secessão, a Guerra Civil Americana começou em 1861 e terminou em 1865, tendo como ponto de partida a eleição do presidente Abraham Lincoln, representante do Norte. Aliás, vale lembrar, que desde a independência das treze colônias norte-americanas , em 1776, as antigas colônias se tornaram em estados independentes, unidos em uma federação.

Guerra civil americana, entenda o motivo e suas consequências
Fonte: História Militar

Para além disso, os estados do Norte eram mais desenvolvidos e possuíam indústrias. Certamente, necessitavam de mão de obra e operários nas fábricas. Todavia, a formação do operário e da burguesia nortista gerou uma forma singular de encarar o trabalho e os diretos civis.

Enquanto na região Norte havia grande desenvolvimento, a parte Sul era baseada em atividades agrárias. Ademais, baseado no modelo de plantation, que basicamente era a monocultura do algodão. Sem falar que, esse modelo dependia da mão de obra escrava e do lucro com a captura e transporte do africanos.

Divergências de ideologias

Era uma relação agridoce, opostos que se completavam. Aliás, por completa dependência, as fábricas têxteis nortistas necessitavam do algodão cultivado no Sul. Estes, por sua vez, precisava dos tecidos produzidos no Norte.

Entretanto, havia um incômodo dos líderes do Norte em relação aos escravos do Sul. Pois, a região Norte tinha uma  visão de liberdade individual, direito à propriedade, entre outros.

Por outro lado, os sulistas não aplaudiam o desenvolvimento do Norte, nem a liderança econômica. Além disso, questionavam os altos impostos em cima dos produtos industrializados.

Por isso, nas eleições de 1860, em que se elegeu o nortista Abraham Lincoln, o Sul já falava em separação. A intenção, aliás, era criar outro país, os Estados Confederados da América.

Nesse mesmo ano, inclusive, criaram uma constituição própria e elegeram o presidente Jefferson Davis.

O conflito

A separação da região Sul serviu de gatilho para a guerra civil americana. Pois, o presidente Abraham Lincoln não reconheceu a independência do Sul e foi a luta pela reintegração. Para mais, o exército nortista era mais organizado e numeroso. Enquanto, o do sul contava com os soldados do Norte que eram seguidores e aliados ao Sul, por exemplo o general Robert E. Lee.

O conflito se inicia com o ataque do Sul ao Forte Sumter, provocando o Norte. Em 1861, iniciava-se, portanto, a Guerra Civil Americana.

Guerra civil americana, entenda o motivo e suas consequências
Fotografia dos soldados nortistas. Fonte: MercadoLivre

Entretanto, era gritante as diferenças entre os exércitos. Certamente, a industrialização nortista tornou os armamentos mais eficientes, e trouxe equipamentos modernos, como canhão de longo alcance e submarino.

Além disso, possuíam a locomotiva a vapor e o telégrafo, que foram grandes aliados na guerra. Com essas tecnologias, o Norte chegava em pouco tempo na parte Sul, e ainda se comunicava mais rapidamente com os militares.

Cenários do conflito

Enquanto isso, o Sul contava com cavalos e a bravura dos soldados. Ademais, o general Robert E. Lee trouxe inúmeras vitórias ao Sul e enorme conhecimento estratégico, que dava vantagem aos Confederados.

Guerra civil americana, entenda o motivo e suas consequências
Fotografia de soldados negros sulistas. Fonte: Marco Hitórico

Embora, contassem com a astúcia do general, era visível a vitória da região Norte; e o Sul já não via mais recursos para continuar na batalha. Além disso, os conflitos em campo eram assustadores. Ambos os exércitos usavam as balas de minié, que eram capazes de explodir um corpo humano. Aliás, em uma única batalha, morriam de 10 a 30 mil homens.

Ademais, Abraham Lincoln elaborou uma lei, em 1862; que deu um salto para sua vitória. Conhecida como Lei de Terras, essa lei autorizava novos colonos a expandirem para o oeste, pouco povoado. O objetivo era atrair aliados ao Norte, uma vez que as plantações sulistas no oeste tiveram que dar uma freada.

Desfecho da guerra civil americana

Logo, em 1865 a guerra civil americana chega ao fim. Abraham Lincoln entrega a liberdade para os escravos e fica registrado na história como líder corajoso, determinado e defensor da liberdade civil, em um dos momentos mais terríveis dos EUA. Embora, não conseguiu viver a glória de seu esforço, pois foi assassinado por um simpatizante sulista.

Ademais, a guerra civil americana deixou mais de 600 mil mortos. Deixando uma herança mais devastadora que Segunda Guerra Mundial e a Guerra do Vietnã, para os Estados Unidos.

Além disso, destruiu a infraestrutura da região Sul e fez a região perder sua influência política e cultural. Enquanto a região Norte cresceu exponencialmente, aumentando o comércio por todo país.

Foi a partir daqui que os Estados Unidos começou a se destacar no mundo, como potência.

Gostou dessa matéria? Venha conhecer essa: Qual a história dos Estados Unidos?

Fontes: História do Mundo, InfoEscola e Ibeu 

Fonte imagem: Acredite ou não