Geografia

Revolução Verde – O que foi, conceito, técnicas, características e críticas

A Revolução Verde modificou o modo de produção de alimentos no mundo, otimizando a agricultura, só que gerou muitas críticas negativas.

Atualizado em 31/12/2019

A Revolução Verde é o conjunto de invenções tecnológicas cuja finalidade é melhorar a agricultura. Essas inovações foram inicialmente aplicadas no México, só que se espalharam pelo mundo, ante o sucesso que foi.

Ela multiplicou a produção de alimentos, o que causou um alvoroço generalizado, posto ser a solução para a fome global. Só que a Revolução Verde trouxe muitas críticas, principalmente na área ambiental e social.

Sem contar que a implantação de alimentos transgênicos ainda é uma incógnita que assombra o futuro da humanidade. Há quem diga que, por haver o trigo sido modificado geneticamente, a população mundial engordou.

Contexto Histórico

O pontapé inicial para a chamada Revolução Verde foi dado pelo agrônomo norte-americano Norman Borlaug. Ainda na década de 1930 ele decidiu se dedicar à pesquisa de variedades de trigo que melhor resistiam a doenças.

Revolução Verde – conceito, técnicas, resultados, características e críticas
Norman Borlaug, o pai da Revolução Verde.

Ele então se mudou para o México, onde em 1944 coordenou o Programa de Produção Cooperativa de Trigo do México. Por detrás da iniciativa estava a Fundação Rockefeller, entidade filantrópica que estimulava o ensino e a pesquisa, entre outros.,

Durante o conflito da Segunda Guerra Mundial, cidades inteiras foram destruídas e as fazendas arrasadas pelas extensas campanhas militares. O conflito se estendeu de 1939 a 1940, instante em que as práticas agrícolas nos países atingidos ficaram reduzidíssimas.

Com o final da guerra, restou um cenário de desabastecimento e a fome se espalhou, principalmente pelos países da África subsaariana e da Ásia meridional. Os meios tradicionais de cultivo do solo não eram mais suficientes para a grande demanda, necessário encontrar soluções.

A Revolução Verde apareceu então propondo empregar alta tecnologia, posto que o desafio era produzir mais em menos terreno. Empregou-se pela primeira vez a modificação genética de algumas plantas. Com isso elas passaram a produzir em maior escala, já que apresentaram resistências a diversas pragas.

O que foi a Revolução Verde?

Revolução Verde – conceito, técnicas, resultados, características e críticas

Além da modificação genética das sementes e do emprego de plantas resistentes, era preciso introduzir métodos melhorados de plantio. Incentivou-se em grande escala a irrigação agrícola, além do uso de máquinas de plantar e colher.

O Programa de Produção Cooperativa de Trigo do México foi tão bem-sucedido que o país, importador de trigo, agora era plenamente autossuficiente. O chamado Método de Borlaug, entre os anos de 1950 a 1960, foi adotado por países como Brasil, Paquistão, Índia e Filipinas.

Em nome do aumento da produtividade foram plantadas sementes transgênicas. O sucesso foi tão grande que, em 1968, o governo dos Estados Unidos chamou o movimento de Revolução Verde. A notoriedade de Norman Borlaug subiu tanto, que em 1970 ele foi contemplado com o Prêmio Nobel da Paz. Sua contribuição à humanidade teria sido a redução da fome mundial.

Novas Técnicas de Produção de Alimentos

Revolução Verde – conceito, técnicas, resultados, características e críticas

É necessário salientar que não foram apenas os países pobres que aderiram à Revolução Verde. Os Estados Unidos, por exemplo, empregando as técnicas de Norman Borlaug, tornaram-se exportadores de trigo a parte de 1960. Não tardou para que os princípios de produção fossem levados a outros produtos, a exemplo do milho, sempre visando a alta produtividade.

Embora a irrigação fosse usada pela humanidade desde a Antiguidade, Borlaug a desenvolveu dentro de um conceito capitalista. E o desenvolvimento de modernas técnicas para irrigar o solo fez crescer em muito o desempenho da agricultura.

É que anteriormente os produtores ficavam praticamente independentes dos ciclos climáticos. A indústria química também se aperfeiçoou, investindo em pesquisas para o desenvolvimento de melhores fertilizantes, pesticidas e fungicidas.

A Revolução Verde teve como fundamento os seguintes pontos:

  • alteração na genética das sementes
  • aplicação sem precedentes de produtos químicos, a exemplo de fertilizantes e pesticidas
  • produção altamente mecanizada
  • monocultura
  • melhoria de técnicas de plantio

A Revolução Verde no Brasil

Revolução Verde – conceito, técnicas, resultados, características e críticas

O Golpe Militar de 1964 herdou um país atolado em dívidas, principalmente a externa, advindas de governos anteriores. Então a solução era criar uma arrancada de desenvolvimento a que chamaram de Milagre Econômico. E um dos pilares desse plano era justamente a adoção da Revolução Verde, posto que ela poderia profissionalizar a agricultura.

Houve então uma mudança radical nos modos como se produzia nos campos brasileiros. O país só foi capaz de se tornar um amplo exportador de alimentos, quando implementou a produção em larga escala. Com a adoção das Técnicas de Borlaug, produtos como soja e milho ampliaram a fronteira agrícola no país.

O resultado foi muito satisfatório financeiramente para a agricultura brasileira, inclusive incentivando mais pequisas e abertura de crédito. Em 1973 foi fundada a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Críticas à Revolução Verde

Revolução Verde – conceito, técnicas, resultados, características e críticas

A Revolução Verde, que tanta inovação levou ao campo, também suscitou problemas sérios de cunho ambiental e até de saúde pública. Há cientistas que atribuem o aumento da obesidade mundial à alterações genéticas feitas por Borlaug no trigo. É que ele multiplicou o glúten presente no alimento, o que teria engordado a população.

Críticas também surgiram na área ambiental, principalmente no que se refere ao desmatamento, assim como o uso indiscriminado de agrotóxicos. Muitos ecossistemas foram profundamente alterados para dar lugar às lavouras, o que levou à erosão e esgotamento do solo.

A criação das sementes transgênicas, principalmente no que se refere à soja, acendeu um alerta mundial. É que ainda não é possível prever as consequências de se ingerir esses alimentos.

Quem realmente lucra são as indústrias internacionais produtora de insumos agrícolas. Por fim, os latifúndios mecanizados contribuíram para o êxodo rural, assim como a diminuição da produção familiar.

Leia também sobre a Mutação, o que é? – Conceito, como ocorre, tipos de mutação.

Fonte: Significados, Mundo Educação, Toda Matéria, Wikipédia, Brasil Escola, Stoodi, Ecola Kids, Info Escola, Alunos Online.

Fonte das imagens: Xapuri, O Explorador, Info Escola, Olhares, DescomplicaRevista Galileu.