História

A história da descolonização da África no século XX

A descolonização da África foi um processo que se iniciou após a Segunda Guerra Mundial e levou certo tempo para se concretizar.

Atualizado em 02/01/2019

A descolonização da África se deu no século XX com a expulsão do invasor europeu e a conquista da independência.

O primeiro país africano a ser independente foi a Libéria, em 1947; e o último, a Eritreia, em 1993.

O contexto histórico

Os processos de independência na África começaram no início do século XX, com a independência do Egito.

Mas apenas depois da Segunda Guerra Mundial, quando as potências europeias se enfraqueceram, é que os países africanos alcançaram a independência.

É que o povo africano participou do esforço de guerra e lutou nos conflitos. Achavam que teriam mais autonomia, mas ao final não foi isso o que se deu.

O colonialismo continuou como antes da guerra.

Causas do fim da colonização

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, a Organização das Nações Unidas (ONU) pressionou pelo fim da colonização.

Era o tempo da Guerra Fria, isto é, a disputa pela hegemonia mundial entre Estados Unidos (capitalismo) e União Soviética (socialismo).

Os dois davam apoio ao lado rebelde que mais se aproximava das suas ideias para atraí-lo.

Do mesmo modo, as ideias Pan-africanistas conquistavam o continente com seu pensamento pela unidade africana.

O Pan-africanismo e a unificação do continente

O Pan-africanismo é um movimento de caráter social, filosófico e político. Ele quer promover a defesa dos direitos do povo africano, constituindo um único Estado soberano.

O objetivo da União Africana é implantar um continente livre para a circulação de pessoas, com parlamento, tribunal e banco central continental.

Algo assim como a União Europeia.

Uma nova África no século XXI não será tarefa fácil, uma vez que o continente é assolado pela pobreza, miséria, guerras, doenças e corrupção.

A descolonização da África se deu aos poucos ao longo do século XX

As independências foram graduais

A independência no Continente Africano se desenvolveu progressivamente.

As nações do Norte da África Ocidental e Oriental se libertaram a partir da década de 1950, mas a África Subsaariana, em 1960.

Os integrantes da África Austral e da região do Oceano Índico, entre 1970 e 1980. O Egito se tornou independente em 1922.

Na década de 1950, vários Estados conseguem sua autonomia, a exemplo da Líbia (1951), Marrocos e Tunísia (1956) e Gana (1957).

Entre 1957 e 1962, entretanto, 29 países se tornaram Estados independentes e aceleraram o processo de descolonização africana.

É muito curioso conhecer o processo de descolonização da África, concorda? Então não deixe de ler também interessantíssimo artigo sobre o Apartheid, o que foi e como dividiu a África do Sul entre negros e brancos.

Fonte: Mundo Educação, Brasil Escola, Toda Matéria, Info Escola, Estudo Prático, Click Estudante, Mundo Vestibular.