Relevo brasileiro: quais são os principais tipos do Brasil?

Relevo, para quem não sabe, se trata da parte superficial da litosfera, ou seja, da camada sólida da Terra. Trocando por miúdos, é o conjunto de formas que modelam a superfície da crosta terrestre (parte do planeta onde todos nós vivemos).

Esse tal relevo pode ser modificado por terremotos, pela movimentação das placas tectônicas, pela erosão causada pelos processos naturais, como a chuva e o vento; e, claro, pela interferência humana.

No caso do relevo brasileiro, é possível dizer que é caracterizado por baixas e médias altitudes. As formas mais comuns encontradas em nosso território são o planalto, as depressões e as planícies; sobre os quais você entenderá um pouco mais na listagem que preparamos abaixo.

Os planaltos e as depressões, aliás, são as formas mais predominantes no relevo brasileiro e ocupam juntos cerca de 95% do território do Brasil. As planícies, por outro lado, ocupam 5%.

Confira os principais tipos de relevo brasileiro:

1. Planaltos

Um dos principais tipos de relevo brasileiro é o planalto, caracterizado por territórios relativamente planos e em áreas de altitude elevada, normalmente superiores a 300 metros. Essas formações são limitadas, pelo menos de um dos lados, por superfícies mais baixas..

O Planalto Central Brasileiro, o Planalto Centro-Sul Mineiro, os planaltos da Região Amazônica e os planaltos da bacia sedimentar do Paraná são os destaques desse tipo de relevo no Brasil. Aliás, o grande destaque de nosso planalto é o Pico da Neblina, no Amazonas, com seus 2.995,30 metros de altitude; considerado o mais alto relevo nacional.

Esse tipo de relevo é o mais predominante no território nacional e ocupa cerca de 5.000.00 km² da área total do país, do qual as formas mais comuns são os picos, serras, colinas, morros e chapadas. Eles distribuem-se, basicamente, em duas grandes áreas, separadas entre si por planícies e platôs: o Planalto das Guianas e o Planalto Brasileiro.

– Planalto das Guianas:

Situa-se na parte norte do país, e percorre parte da Venezuela, da Guiana, do Suriname e da Guiana Francesa. Pode ser dividido em duas grandes unidades:

  • Região serrana: Apresenta-se como uma linha de serras, geralmente com mais de 2.000 metros de altitude. Nessa região, na serra do Imeri ou Tapirapecó, localiza-se o Pico da Neblina, já mencionado. Também fazem parte desse planalto, as serras de Parima, Pacaraima, Acaraí e Tumucumaque;
  • Planalto Norte Amazônico: situado ao sul da região serrana, é formado por altitudes modestas, inferiores a 800 metros, intensamente erodidas e recobertas pela densa selva amazônica.

– Planalto Brasileiro

Esse se estende por toda a porção central do Brasil, até o nordeste, leste, sudeste e sul do território. É dividido em cinco unidades: Planalto Central, Planalto Meridional, Planalto do Meio-Norte (ou Maranhão-Piauí), Planalto Nordestino (da Borborema), e as Serras e Planaltos do Leste e Sudeste.

  • Planalto central: está localizado nas regiões sudeste e central do país, nos estados de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Tocantins e Goiás.
  • Planalto meridional: Compreende a região Sul, oeste da região Sudeste e extremo sul da região Centro-Oeste do Brasil. Esta região é banhada, principalmente, pelas águas dos rios Uruguai e Paraná
  • Planalto do Meio-Norte: localizada nos estados do Maranhão, Piauí e Ceará. Coincide com a Bacia Sedimentar Maranhão-Piauí.
  • Planalto da Borborema: também conhecido como Chapada Pernambucana – devido a estar situada em parte da antiga Capitania de Pernambuco – Serra da Borborema, ou ainda, Planalto Nordestino, é uma região serrana no interior da região Nordeste do Brasil. Medindo aproximadamente 400 km em linha reta norte–sul, localiza-se nos estados de Alagoas, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte.
  • Serras e Planaltos do Leste e do Sudeste: É conhecido pela denominação “mar de morros”. Envolve grande parte do planalto atlântico, no litoral do país, as serras e os planaltos do leste e do sudeste. Abrangem os estados do Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia.
  • Planalto sul-rio-grandense: Localizado no estado do Rio Grande do Sul, o escudo sul-rio-grandense apresenta elevações de até 550 metros, o qual caracteriza o conjunto de serras do estado.

2. Depressões

As depressões consistem em áreas rebaixadas, em consequência da erosão. São um conjunto de um conjunto de relevos planos ou ondulados, que ficam abaixo do nível de altitude das regiões vizinhas.

No Brasil, exemplos mais conhecidos de depressões são encontrados na Região Amazônica, como as depressões do Acre e do Amapá; e na Região Sudeste, onde grandes cidades foram formadas, como São Paulo e Belo Horizonte.

3. Planícies

Esse outro relevo brasileiro, como o nome mesmo sugere, é caracterizado por áreas planas ou suavemente onduladas. Elas normalmente são formadas pelas deposição de sedimentos transportados pela ação da água ou do vento e encontram-se em regiões de baixa altitude. Essas são as unidades de relevo geologicamente mais recentes.

Normalmente, as planícies estão localizadas nas proximidades do litoral ou dos cursos dos grandes rios e lagos, como as planícies da Lagoa dos Patos e da Lagoa Mirim, no litoral do Rio Grande do Sul. Outros bons exemplos são as planícies do Pantanal mato-grossense e do Rio Amazonas e seus principais afluentes.

No relevo do brasileiro, as planícies ocupam cerca de 3.000.000 km² de todo o território. As principais são:

  • Planície Amazônica: Localizada no estado de Rondônia, caracteriza a maior parte das terras baixas no Brasil. As formas mais recorrentes são a região de várzeas, terraços fluviais (tesos) e baixo planalto.
  • Planície do Pantanal: Compreende os estados no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Consiste em um terreno propenso às inundações e, por isso, é marcado por diversas regiões pantanosas. Aliás, o Pantanal é a maior planície inundável do mundo.
  • Planície Litorânea: Também chamada de planície costeira, é uma faixa de terra situada na região costeira do litoral brasileiro. Conta com aproximadamente 600 km.

E, falando no território brasileiro, não deixe de conferir ainda: Túneis enormes encontrados no Brasil foram cavados por criaturas pré-históricas.

Fontes: Brasil Escola, EBC, Toda Matéria, Sua Pesquisa, Mundo Geográfico, Infoescola, Sua Pesquisa, Brasil Escola


Comentários