Biologia

Reino monera – O que é, seus organismos, doenças e divisões

O reino monera é um grupo que inclui todos os organismos vivos que são procarióticos, como bactérias, cianobactérias e arqueobactérias.

Atualizado em 27/05/2020

O Reino Monera é formado por seres microscópicos, unicelulares e procarióticos, que também são conhecidos como Reino Bacteria e Archaea. Nessa categoria, portanto, estão as bactérias, cianobactérias e arqueobactérias. A amplitude de espécies no segmento monera é extensa, porque abrange as bactérias e as algas azuis.

Esta reunião de organismos pode ser (ou não) coloniais, ou seja, apresentam estrutura transitória (ou não). São classificados como autótrofos, pois não precisam de alimento para se manter com energia e heterótrofos.

Bactérias do reino monera

Reino monera e os seus organismos
Fonte: Toda matéria

A princípio, pela extensa existência desses organismos vivos, os seus habitats abrangem uma grande diversidade de ambientes, como o solo, a água e o interior dos próprios organismos. Por serem coloniais, os compositores do reino monera tem a habilidade de formar grupos de varias formas, mas também podem viver isoladamente.

Suas estruturas definem, sobretudo, os grupos que formariam. Cada especificação guarda suas próprias características. Os bacilos, por exemplo, apresentam um formato alongado, os cocos são pequenas esferas e se dividem em diplococos, estreptococos, pneumococos e tétrade.

Ainda na diversidade de grupos, temos no reino os Espirilos que, como o nome sugere, apresenta estrutura espiral. Por fim, os Vibriões lembram a estrutura de uma vírgula.

As bactérias estão presentes em muitos lugares e são muito úteis para a natureza. A sua digestão, principalmente de folhas, só pode ocorrer com a ajuda das bactérias, pois sem elas, o processo digestivo seria prejudicado. Há muitos desses seres em alimentos como queijos, coalhadas, entre outros.

Estrutura bactérias

Reino monera e os seus organismos
Fonte: Quero bolsa

Primeiramente, dentro das bactérias, há 4 componentes que são a membrana plasmática, o hialoplasma, os ribossomos e a cromatina. Todas elas possuem esses elementos na sua estrutura, independente de seu formato.

Os ribossomos, produtores de proteínas para as bactérias, estão livres pela célula e o nucleoide é o local onde estão concentrados os cromossomos. Por fora, sobretudo, há uma membrana responsável por delimitar e separa o interior das células com o citoplasma, fluído de aparência gelatinosa.

Por fim, dentro do citoplasma está o hialoplasma, que nada mais é que um líquido preenchedor do interior do citoplasma. Dentro desse líquido se encontra o DNA, essas moléculas são conhecidas como plasmídeos e não possuem ligação com os cromossomos.

Cianobactérias do reino monera

Reino monera e os seus organismos
Fonte: Professora Lucia Cangussu

As cianobactérias são capazes de viver sozinhas, ou seja, com a ausência de colônias. Seus formatos podem variar entre bastões e filamentos e são normalmente encontradas em ambientes úmidos. Essas bactérias conseguem, sobretudo, realizar fotossíntese, sua fonte de energia.

Mas, não confunda-a com plantas. A cianobactérias se diferem do reino plantae, porque a clorofila não está organizada nas bactérias como nas plantas, em cloroplastos. Os cloroplastos são, sobretudo, o que dá o pigmento da cor verde.

Inegavelmente essas bactérias conseguem sobreviver em ambientes úmidos como a água, porque há a incidência de muita matéria orgânica. Com o ambiente perfeito, as cianobactéria se proliferam facilmente e, no entanto, realizam a eutrofização.

Temos que tomar cuidado com esses organismos vivos, pois eles são perigosos para a saúde. As toxinas liberadas na água podem até envenenar os animais e causar sérios problemas nos humanos.

Doenças causadas por bactérias

A princípio, dizemos que as bactérias podem ser boas ou más. As boas estão no nosso organismo para ajudar no funcionamento. As más adentram no corpo e podem gerar doenças como botulismo, cólera, difteria, hanseníase, pneumonia e outras patologias.

Tratar, portanto, das bactérias não é fácil. Esse micro-organismos pode ser muito resistente aos antibióticos. Esses casos são chamados, no entanto, de superbactérias. Uma das doenças mais conhecidas, chamada de gonorréia, sexualmente transmissível é, por exemplo, um desses casos.

A Niesseria gonorrhoeae prejudica a vida de muitas pessoas, porque além de ser muito difícil de cura, ela sofre mutações já há 50 anos. A cada antibiótico criado e aderido, elas são capazes de se adaptarem ao medicamento e sobreviver. A mutação é uma característica importante do reino monera.

Outra não menos conhecida é a Mycobacterium tuberculosis, que causa a tuberculose. Essa doença aterrorizou a vida de muitas pessoas no passado e não perdoou ninguém que a contraiu. Sua resistência é muito grande mas, felizmente, os casos diminuíram em 90% até os dias de hoje.

Leia também sobre a Quimiossíntese, o que é e como acontece a fotossíntese das bactérias.

Fonte: Toda matéria, Só biologia, Brasil escola. Bio em Foco, Stoodi, Mundo e Educação, Educa Mais Brasil.

Imagem de destaque: Aprovei exercicios