Língua Portuguesa

Verbos de Ligação – o que são, verbos transitivos, intransitivos, predicativo

Os verbos de ligação apenas ligam certas características ao sujeito, compondo assim a predicação verbal ao lado dos verbos transitivos e intransitivos.

Atualizado em 22/10/2019
Por Adriano Curado

Os verbos de ligação possuem a função de ligar o sujeito ao predicativo do sujeito. Na Gramática, são igualmente denominados de copulativos.

Eles estão na predicação verbal, embora não se confundam com os verbos intransitivos nem com os transitivos diretos e indiretos.

Compõem o denominado predicado nominal, uma vez que introduzem o predicativo do sujeito. Alguns verbos de ligação se destacam: ser, estar, ficar, permanecer, tornar-se, parecer, andar, viver, virar e continuar.

Os verbos transitivos e suas variações

A predicação verbal é a forma como os verbos formam o predicado, ou seja, ligam o sujeito mais os verbos e complementos. Conforme a predicação, podemos classificar o verbo em transitivo, intransitivo e verbo de ligação.

Verbos de Ligação – qual sua função, onde se situam na oração

Os verbos transitivos são os que denotam ação. Seu sentido só é completado com o acréscimo de um objeto, ou seja, palavra que completa seu significado. Daí vem seu nome “transitivo”, posto que “transita” para o complemento com o objetivo de completar o sentido. Podem ser: (A) transitivos diretos, (B) indiretos ou (C) diretos e indiretos.

Nos transitivos direitos, não é necessária a presença de uma preposição para que o complemento se ligue ao verbo. Exemplo: “Elas presenciaram muitas alegrias”. “Presenciaram” é verbo transitivo direto. “Muitas alegrias” é o objeto direto, já que complementa o sentido do verbo transitivo direto.

Já nos transitivos indiretos, o verbo precisa de uma preposição para se ligar ao complemento. Exemplo: “Todos precisamos de alguém para aconselhar”. “Precisamos” é verbo transitivo indireto. “De alguém para aconselhar” é objeto indireto, uma vez que completa o sentido do verbo transitivo indireto.

Por fim, no transitivo direto e indireto, há a ligação do complemento ao verbo tanto direta quanto indiretamente e ao mesmo tempo. Exemplo: “Maria doou cobertores aos necessitados”. “Doou” é verbo transitivo direto e indireto. “Cobertores” é objeto direto, e “aos necessitados” é objeto indireto.

Os verbos intransitivos e de ligação

Os verbos intransitivos são aqueles que têm sentido completo, por conta disso não precisam de um complemento. Exemplo: “A moça sorriu”. O verbo sorriu é intransitivo, posto não precisar nem de objeto direito e nem indireto.

Verbos de Ligação – qual sua função, onde se situam na oração

Os verbos de ligação são vazios de significado, já que somente ligam características ao sujeito. Ou seja, indicam um estado, só que não uma ação realizada. Compõem o predicado nominal, introduzindo o predicativo do sujeito. Igualmente denominados verbos copulativos ou verbos não nocionais. Possuem a função de atribuir uma qualidade ao sujeito.

Alguns verbos de ligação se destacam: ser, estar, ficar, permanecer, parecer, tornar-se, andar, continuar, virar e viver. Podemos exemplificar assim: O auditório é idoso (verbo de ligação), Amanhã teremos auditório lotado (verbo transitivo), Não irei hoje (verbo intransitivo).

O predicativo do sujeito

O predicativo do sujeito se refere à característica que define ou modifica o sujeito. Tem esse nome porque compõe o predicado. Não adiciona nada ao verbo, apenas ao sujeito. Exemplo: Ambos continuam professores. O sujeito é “ambos”; o predicado, “continuam doentes”; o verbo de Ligação é “continuam”; por fim, o predicativo do sujeito é “professores”.

Verbos de Ligação – qual sua função, onde se situam na oração

Quase sempre o predicativo do sujeito é formado por substantivo, adjetivo ou pronome. Embora haja caso em que ele pode ser uma preposição. Exemplo: Maria é bela morena (“bela morena” é predicativo do sujeito).

Um macete interessante é ter em mente que o predicativo do sujeito, obviamente, modifica o sujeito. E portanto ele sempre vem acompanhado de um verbo de ligação, embora este possa estar oculto. Exemplo: A ansiedade (é) uma doença.

Outra dica é que o predicativo não pode ser um verbo de ligação, posto que assim ele não tem a função de ligar. Se isso ocorre ele não é mais um verbo de ligação.

Leia também sobre Homônimos e Parônimos – o que são, como diferenciá-los e exemplos.

Fonte: Só Português, Conjugação, Norma Culta, Toda Matéria, Wikipédia, Todo Estudo, Portal Educação, Português.

Fonte das imagens: Blog do Enem, Youtube, Centro de Mídias, Centro de Mídias.

Próxima página »

Escolhidas para você