Língua Portuguesa

Substantivos – O que são, tipos, suas funções e flexibilidades

Os substantivos são uma das dez classes gramaticais que formam a língua portuguesa. Aprenda a forma correta de usá-los e todas as suas flexões.

Por Bruna Perilo

-

A língua portuguesa tem todas as suas palavras divididas em dez classes gramaticais distintas. Sendo assim, temos preposições, pronomes, interjeições, artigos, substantivos, adjetivos, verbos, advérbios, conjunções e numerais. Portanto, tudo isso constituí os elementos e os processos que formam o sistema do idioma português.

Contudo, entre todas essas classes gramaticais, a mais numerosa é a dos substantivos. Sendo assim, conhecer os seus conceitos e variações, é indispensável para se ter uma boa escrita e fala, dentro das normas da língua portuguesa.

Os substantivos dão nome às coisas, desde seres, objetos, até ações, lugares e etc. Dessa forma, os substantivos são divididos em: comum, próprio, coletivo, abstrato, concreto, composto, simples, derivados e primitivo. Além de serem flexionados em número, gênero e grau.

Portanto, hoje iremos aprender mais sobre essa classe gramatical tão importante na língua portuguesa.

O que são os substantivos?

Então, como já adiantamos acima, os substantivos são uma classe de palavras que dá nome às coisas. Sendo assim, vejamos os exemplos a seguir:

  • Às pessoas (Bruna, Elisa, Marcela, João…);
  • Aos sentimentos (amizade, raiva, rancor, amor…);
  • Aos objetos (tênis, mesa, cadeira, cigarro…);
  • Aos lugares (casa, escritório, loja, aeroporto, Estados Unidos, São Paulo…);
  • Aos seres reais e imaginários (homem, fada, Papai Noel, gato…);
  • Às ações (tapa, corrida, movimento…).

Contudo, os substantivos podem estar acompanhados de outras classes gramaticais, como por numerais (um menino), pronomes (o menino), adjetivos (menino bonito).

Tipos de substantivos

Desse modo, os substantivos são classificados em nove tipos, como dito anteriormente. Sendo: comum, próprio, simples, composto, concreto, abstrato, primitivo, derivado e coletivo. Contudo, um mesmo substantivo pode possuir várias classificações.

Portanto, vamos conhecer cada uma dessas classificações a seguir:

  1. Substantivo Comum

Começando pelo comum, que serve para referir-se a qualquer ser ou  objeto de forma genérica. Sendo assim, temos:

  • mulher;
  • gato;
  • cachorro;
  • caneta;
  • jornal;
  • cidade.
  1. Substantivo Próprio

Já o substantivo próprio refere-se a um ser em particular dentro de determinada espécie. Portanto, geralmente é escrito com letra maiúscula, por se referir a um ser específico, como nesses exemplos:

  • Maria;
  • Japão;
  • Itaberaí;
  • Atlético.
  1. Substantivo Coletivo

substantivo coletivo se refere a um conjunto de seres da mesma espécie. Por exemplo:

  • flora (conjunto de flores);
  • multidão (conjunto de pessoas);
  • colmeia (conjunto de abelhas);
  • álbum (conjunto de fotos);
  1. Substantivo Abstrato

O substantivo abstrato é usado para dar nome a ações, qualidades, sentimentos e estados, esses que dependem de um ser concreto para existir. Como por exemplo:

  • beleza;
  • bondade;
  • bravura;
  • pobreza;
  • alegria.
  1. Substantivo Concreto

O substantivo concreto por sua vez, nomeia coisas reais e concretas, sejam elas pessoas, objetos, lugares ou animais. Desse modo, temos:

  • lápis;
  • mulher;
  • cachorro;
  1. Substantivo Composto

Já o substantivo composto é aquele constituído por mais de um elemento, através da “composição de palavras”. Sendo assim, temos como exemplos:

  • couve-flor;
  • beija-flor;
  • guarda-roupa.
  1. Substantivo Simples

Desse modo, o substantivo simples refere-se a nomes formados por apenas uma palavra. Por exemplo:

  • terra;
  • casa;
  • água;
  • amor;
  • carro.
  1. Substantivo Derivado

O substantivo derivado é aquele que existe a partir de outras palavras. Como nos exemplos:

  • livraria (derivado de livro);
  • folhagem (derivado de folha);
  • casarão (derivado de casa);
  • chuvarada (derivado de chuva).
  1. Substantivo Primitivo

Já o substantivo primitivo, é o contrário do derivado, portanto, é  único e não deriva de outras palavras. Contudo, pode originar diferentes termos. Como por exemplo:

  • livro;
  • folha;
  • casa;
  • chuva.

Flexão do substantivo

Portanto, o substantivo pode ser flexionado em número (singular e plural), gênero (masculino e feminino), e grau (diminutivo e aumentativo).

Sendo assim, vejamos o exemplo da palavra “gato”, aqui singular e masculina. A partir flexibilização ela pode originar:

  • Plural: gatos.
  • Feminino: gata.
  • Aumentativo: gatarrão.
  • Diminutivo: gatinho.

Desse modo, vamos entender melhor como funciona cada uma dessas flexões.

Flexão de gênero dos substantivos

Sendo assim, a partir dos gêneros masculino e feminino, os substantivos são classificados em:

  • Biformes: aqueles que possuem duas formas, ou seja, uma para o masculino e outra para o feminino. Por exemplo: professor e professora; amigo e amiga; boi e vaca; genro e nora…

Contudo, existem alguns substantivos que com a flexibilização do gênero, mudam de significado. Como por exemplo, a palavra “cabeça”, onde “o cabeça” significa líder, e “a cabeça”, significa uma parte do corpo.

  • Uniformes: aqueles em que um termo especifica os dois gêneros. Esses são classificados em:
  1. Epicenos: palavra que apresenta somente um gênero e refere-se aos animais. Por exemplo: foca (macho ou fêmea).
  2. Sobrecomum: palavra que apresenta somente um gênero e refere-se às pessoas. Desse modo: criança (masculino e feminino).
  3. Comum de dois gêneros: que se refere aos dois gêneros, portanto, sendo identificado através do artigo que o acompanha. Como por exemplo: “artista” e “artista”; “o dentista” e “a dentista”.

Flexão de número dos substantivos

Quanto ao número do substantivo, ele pode ser classificados em singular e plural.

  • Singular: palavra que designa uma única coisa, pessoa ou um grupo. Por exemplo: bola, mulher.
  • Plural: palavra que designa várias coisas, pessoas ou grupos. Por exemplo: bolas, mulheres.

No entanto, para usar as palavras no plural corretamente é preciso estar atento a algumas regras básicas. Vamos a elas:

  1. As palavras que terminam com as letras “al”, “el”, “ol” e “ul”, devemos trocar a letra “l” por “is”. Ou seja, papel – papéis; jornal – jornais.
  2. As palavras cujas últimas letras são “r” e “z”, devemos adicionar o sufixo “es”. Ou seja, amor – amores; dor – dores.
  3. Todos os substantivos terminados em “n” formam plural em “es” ou “s”. Desse modo, pólen vira pólens.
  4. Os substantivos terminados em “m”, flexionam-se com adição do “ens”. Ou seja, armazém vira armazéns.
  5. Tudo que termina em “ão” pode virar “ões”, “ães” ou “ãos”. Contudo, depende da palavra que estamos flexionando. Por exemplo, eleição vira eleições. já a palavra pão, vira pães e cidadão transforma-se em cidadãos.

Flexão de grau dos substantivos

Quanto ao grau dos substantivos, as flexões variam em aumentativo e diminutivo. Sendo:

  • Aumentativo: palavra que indica o aumento do tamanho de algum ser ou alguma coisa. Sendo assim, divide-se em:
  1. Analítico: substantivo acompanhado de um adjetivo que indica grandeza. Exemplo: casa grande.
  2. Sintético: substantivo com acréscimo de um sufixo indicador de aumento. Exemplo: casarão.
  • Diminutivo: palavra que indica a diminuição do tamanho de algum ser ou alguma coisa. Sendo assim, divide-se em:
  1. Analítico: substantivo acompanhado de um adjetivo que indica pequenez. Exemplo: casa pequena.
  2. Sintético: substantivo com acréscimo de um sufixo indicador de diminuição. Exemplo: casinha.

Funções sintáticas do substantivo

Por fim, o substantivo também pode atuar como o núcleo em várias funções sintáticas. Sendo assim, vejamos os exemplos a seguir:

  1. Sujeito (José foi embora; cigarros causam câncer);
  2. Predicativo (ela é um anjo; o primeiro colocado foi João);
  3. Objeto (preciso de um livro novo; procurei algumas flores lá fora);
  4. Complemento nominal (a leitura do livro é necessária para a prova);
  5. Vocativo (Pai, vamos embora!);
  6. Adjunto (o rosto de Maria é muito bonito; comprei arroz no supermercado);
  7. Aposto (Fernanda Silva, a vítima, morreu na hora);
  8. Agente da passiva (fui assaltado por aquele homem).

Então, como vimos até aqui, os substantivos são uma classe gramatical cheia de especificações e classes. Contudo, a questão não é memorizar todas elas, mas sim compreendê-las para assim, saber como usá-las de forma correta.

Portanto, agora que você já aprendeu mais sobre essa classe gramatical, que tal aprender mais sobre a morfologia das palavras? Aliás, falamos sobre ela nesse outro texto.

Fontes: Toda Matéria, Só Português, Comunidade Rockcontent

Fonte Imagem Destaque: Substantivos.com

Próxima página »