Geografia

Lixo nuclear: onde é descartado, quais os perigo e os possíveis acidentes

O lixo nuclear produzido por diversas atividades humanas já é um problema para o meio ambiente, pois exige cuidados especiais.

Atualizado em 08/03/2019
Por Adriano Curado

O lixo nuclear (ou radioativo ou atômico) é aquele produzido principalmente nas usinas nucleares. Através de complexas estruturas, é gerada energia elétrica por meio de material radioativo.

Embora seja considerada uma forma de energia limpa, seu descarte se cerca de muito cuidado. É que o lixo radioativo produzido pode levar até 300 anos para cessar a radiação.

Grandes acidentes nucleares marcaram a história recente da humanidade, sendo o maior o de Chernobyl.

Saiba sobre o lixo nuclear: onde descartar, qual o perigo e os acidentes

A nocividade do lixo nuclear

A energia elétrica nas usinas nucleares é produzida por um processo bem completo, posto que exige apurada técnica. É que os isótopos de Urânio sofrem uma fissão nuclear, quando se desintegram e surgem as radiações gama. Essa radiação é muito prejudicial para a saúde, posto que penetra nas células e as destroem.

Por isso que, embora seja considerada uma energia limpa e inofensiva à camada de ozônio, é alvo de protestos. É que os ambientalistas a combatem pelos potenciais riscos de um acidente nuclear.

Mas a energia nuclear também pode ser empregada na engenharia, agricultura, medicina e por aí vai. E além do urânio, também podem ser utilizados césio, iodo, plutônio, estrôncio e criptônio.

Saiba sobre o lixo nuclear: onde descartar, qual o perigo e os acidentes

Acidentes nucleares

As Usinas Nucleares produzem energia limpas, só que se se acidentarem, os danos são terríveis. Geralmente isso ocorre por falta de manutenção das instalações ou por erro humano. Seja qual for o motivo, elas liberam substâncias radioativas bastante tóxicos. E assim tudo é contaminado e perdido.

O maior acidente nuclear da história ocorreu na Usina de Chernobyl, na Ucrânia, em 1996. A imperícia dos técnicos causou uma potente explosão, logo um incêndio tomou conta. Toneladas de partículas radioativas foram parar na atmosfera. A radiação atingiu a União Soviética e a Europa Ocidental.

Já no Brasil, deve ser citado o acidente com o Césio-137, ocorrido em Goiânia em 1987. O desastre se deu quando um aparelho de radiologia abandonado foi aberto. Milhares de pessoas se contaminaram, levando pânico à população e, posteriormente, a discriminação dos goianos.

Saiba sobre o lixo nuclear: onde descartar, qual o perigo e os acidentes

Para onde deve ir o lixo nuclear

Em se tratando de lixo nuclear, que pode levar até três séculos para se extinguir, deve se ter muito cuidado. Os rejeitos de usinas nucleares precisam ir para recipientes especiais e o descarte se dar de forma certa. Esse lixo ficará em estruturas de concreto por volta de 300 anos, quando a radiação finalmente desaparece.

Já o lixo nuclear de altíssima radioatividade precisa ser resfriado num tanque. Além disso seu invólucro tem que ser comporto por aço, o chumbo e o concreto.

Curtiu ler sobre o lixo nuclear? Então é sugerido para você ler sobre o pré-sal, saiba onde é explorado e quanto petróleo produz.

Fonte: Significados, Toda Matéria, Brasil Escola, Sua Pesquisa, Mundo Educação, Fragmac, Meio Ambiente, Info Escola, Todo Estudo, Geografia.

Fonte das imagens: Youtube, Agência Brasil, Vice News, Energy Transition.

Próxima página »