História

Jesuítas – quem eram, o que faziam e sua atuação no Brasil e no mundo

Os Jesuítas eram padres que fundaram a Companhia de Jesus, ordem religiosa voltada para o ensino, assim como para a obediência hierárquica total.

Atualizado em 26/12/2019

Os Jesuítas são padres ligados à Companhia de Jesus, ordem da Igreja Católica fundada por Inácio de Loyola.

A ordem foi instituída em 1534 com a missão de pregar o Evangelho mundo afora. Ela foi reconhecida, como ato oficial, pelo Papa Paulo III, em 1540.

Fundou no Brasil a Colônia dos Sete Povos das Missões, no intuito de evangelização. Vitimada por intrigas e invejas, acabou abolida pelo Papa Clemente XIV, e posteriormente restaurada.

Contexto Histórico

Conheça a história dos Jesuítas e sua atuação no Brasil e no mundo

A Companhia de Jesus foi fundada por estudantes da Universidade de Paris, sendo líder o basco Inácio de Loyola. Os seus seguidores passaram a ser denominados de Jesuítas.

Era o ano de 1534, quando a Igreja Católica padecia com a Reforma Protestante. Então surgiram os Jesuítas pregando a obediência cega, sem contestação, a todos os dogmas religiosos.

Era a chamada Reforma Católica ou Contrarreforma. Foi uma ajuda tão grande que a recente congregação logo foi reconhecida por uma Bula Papal (1540).

Os Jesuítas se espalharam rapidamente pelo mundo, posto que eram homens livres para pregar. O Rei de Portugal, Dom João III, se apegou a eles e recebeu missionários para diversas missões.

Muitos foram os que os apoiaram, a exemplo do Cardeal de Guise, na França, assim como a Casa da Baviera, na Alemanha. Por todos os lugares onde passavam eles se dedicaram à catequização, já que fundavam colégios e lecionavam em universidades.

A presença dos Jesuítas no Brasil

Conheça a história dos Jesuítas e sua atuação no Brasil e no mundo

Foi Tomé de Sousa, Governador-Geral da Colônia, quem trouxe os primeiros Jesuítas para o Brasil (1549). Seu líder era Padre Manuel da Nóbrega, que aqui chegou com a missão principal de conversão dos índios ao catolicismo.

Logo de início esbarraram na questão da linguagem, uma vez que os religiosos não sabiam falar o tupi. Então o Padre José de Anchieta escreveu: “A Arte da Gramática da Língua mais Usada na Costa do Brasil”, que continha os fundamentos da língua tupi.

Por conta das pequisas de Anchieta, surgiu a Língua Geral, que foi um idioma que misturava o português com o tupi. Esse idioma chegou a ser a língua mais falada no litoral brasileiro.

O Tratado de Madri

Os Jesuítas espanhóis haviam fundado uma imensa colônia chamada de Sete Povos das Missões, no local onde hoje é o Rio Grande do Sul. Ocorre que a área foi alvo de disputa entre Portugal e Espanha, o que culminou no Tratado de Madri em 1750.

Conheça a história dos Jesuítas e sua atuação no Brasil e no mundo

Ali ficou estipulado que Portugal ficaria com Sete Povos das Missões, já à Espanha tocaria a Colônia de Sacramento. No século XVIII, a região estava sob disputa entre Espanha e Portugal. Ocorre quem nem os padres espanhóis concordaram em sair das Missões, nem os portugueses deixaram Sacramento.

A perlenga então culminou em sangrentos conflitos, desencadeando a Guerra Guaranítica, que expôs a fragilidade do sistema missioneiro.

Com isso, Portugal expulsou a Companhia de Jesus de todo o seu império (1759), posteriormente seguido pela Espanha (1767). Com a saída dos Jesuítas, as reduções deixaram de existir, já que o governo tomou as terras e espalhou os índios.

A extinção da ordem

A Companhia de Jesus cresceu além da conta, construiu mosteiros, universidades etc. Havia muita inveja em seu sucesso e também ódio pela sua forte ligação com o Papa.

Conheça a história dos Jesuítas e sua atuação no Brasil e no mundo
Marquês de Pombal

Em Portugal, Dom João I tinha um ministro chamado Sebastião José de Carvalho e Melo, o Marquês de Pombal. O marquês acreditava que os Jesuítas eram empecilho aos seus planos, por isso resolveu atacá-los. Mandou prender todos os seus padres em Portugal e seus domínios, só que sem direito a processo ou defesa. Quase todos morreram na prisão.

Da França eles foram expulsos por Luís XV em 1764, posto que envolvidos num processo judicial de cobrança de dívida. Em 1767, todos os Jesuítas foram presos na Espanha, a mando de Carlos III, acusados da defesa das colônias.

E então começou a pressão sobre o Papa Clemente XIV, que era indeciso e confuso. As cortes europeias se juntaram para exigir a supressão da Companhia de Jesus. E então o Sumo Pontífice cedeu e a ordem foi extinta em 21 de julho de 1773.

Apesar da ordem papal, os monarcas da Rússia e da Prússia mantiveram a Companhia ativa, inclusive atraindo os sábios para seus países. Somente quando Bonaparte mudou o mapa da Europa, foi restaurada em 7 de agosto de 1814.

Hoje é novamente uma ordem enorme, voltada para o estudo e a pesquisa. O Papa Francisco é um Jesuíta.

Leia também sobre a Noite das Garrafadas, o conflito que levou à abdicação de Dom Pedro I.

Fonte: Wikipédia, Brasil Escola, Jesuítas do Brasil, História Brasil, Colégio dos Jesuítas, Revista Fórum, Sua Pesquisa, Jesuítas.

Fonte das imagens: Porto Alegre, Wikipédia, História do Brasil, Wikipédia.