Biologia

Extinção dinossauros – teorias e consequências

Os dinossauros desaparecem da terra há 65 milhões de anos atrás, e a teoria do asteroide não é a única que existe para justificar essa extinção.

Atualizado em 03/06/2020

A extinção dos dinossauros aconteceu há 65 milhões de anos atrás. Esses animais habitaram o planeta a cerca 220 milhões de anos. O período de sua existência foi denominada por cientistas como mesozoico, jurássico e cretáceo. Infelizmente essas espécies de répteis foram extintas, assim como outro tipos de seres vivos da época.

Os animais, a princípio, costumavam pesar toneladas e possuíam várias formas e tamanho diferentes. Alguns deles eram carnívoros, outros viviam a base de frutos e plantas. Além disso, fato é que, segundo estudos feitos desses períodos, a extinção ocorreu, porque um meteoro caiu sobre a terra.

Teorias sobre a extinção dos dinossauros

Extinção dinossauros - teorias e impactos
Fonte: Só ciência

Para chegar a conclusão sobre a extinção dos dinossauros, as pesquisas se dividiram, sobretudo, em dois grupos. A primeira, chamada teoria obsoletas já foram descartadas pelos cientistas por não apresentar argumentos e formulações fundamentadas.

O segundo grupo, no entanto, é considerado plausível que aderiram pesquisas para estudar os movimentos do planeta. A teoria é que em algum momento do tempo de viva dos gigantes animas na terra, houve deslocamento dos continentes e isso influenciou diversos outros fatores na terra.

O mar sofreu mudanças e o planeta, consequentemente, enfrentou um clima baixíssimo e com invernos rigorosos. Os animais, portanto, não conseguiram resistir e acabaram morrendo. Essa ideia foi uma das que surgiram para desvendar o mistério do fim dos dinossauros há 220 milhões de anos atrás.

A outra, sobretudo, é a que se confirma e aceita nos dias de hoje que diz respeito a queda de um asteroide na terra. Essa enorme pedra com cerca de 10 km de diâmetro veio e erradicou os seres vivos existentes. Seu impacto foi fatal e a estimativa para a colisão se assemelha a 100 trilhões de toneladas de dinamite vinda a 72.000 Km/h.

A pergunta é: ainda há resquícios dessa colisão no planeta? Alguns cientistas dizem ter encontrado uma cratera com 180 km de diâmetro na região do Golfo, México, e a presença de um mineral nas rochas do período Cretáceo, somente encontrado em asteroides, comprovaram a teoria.

Consequências do impacto

Extinção dinossauros - teorias e impactos
Fonte: Veja

A princípio, não se pode dizer que somente a colisão acabou com a vida do planta. As consequências da queda do asteroide foram imensas. As queimadas foram responsáveis por destruir a fonte de alimentação e os habitats naturais dos seres vivos.

Com a quantidade imensa de partículas no ar uma grande nuvem de poeira encobriu, sobretudo, os céus impedindo  a entrada de luz do sol para iluminar o planeta. Essa foi a principal razão para que as temperatura abaixasse ao ponto de provocar os invernos.

Por fim, além da baixa temperatura, sem sol, não havia, por fim, a fotossíntese acabando com a fonte de alimentação das plantas. Sem vegetais, os animais que sobreviviam de frutos e árvores não continuariam em vida. Isso também provocou a erupção de vários vulcões, maremotos e outros desastres naturais.

Se você se interessou por esse assunto, descubra também um pouco sobre o período Triássico: o que foi, quando aconteceu e a origem dos dinossauros.

Fontes: Brasil escola, Infoescola, mundo educação. IstoÉ, Alunos Online.

Fontes imagens: Só ciência, Veja, só ciência.