Física & Química

Corrente Contínua, o que é? Definição, características e aplicações

Corrente contínua é um tipo de energia elétrica, caracterizada como o fluxo ordenado de elétrons num único sentido em condutores elétricos.

Atualizado em 28/05/2020

Quando falamos em energia elétrica, dois termos devem ser levados em consideração: corrente alternada e corrente contínua. Essas duas formas de energia são classificadas por possuírem características específicas, além de serem utilizadas em locais diferentes. Vale lembrar, neste sentido, que corrente elétrica se refere ao movimento ordenado dos elétrons dentro de condutores.

O mundo seria um lugar totalmente estranho sem energia, já imaginou? Por isso, é importante conhecer, ao mínimo, quais os tipos de correntes elétricas presentes nos lugares.

No caso da corrente contínua, o uso mais frequente ocorre em carregamento de baterias, aplicações automotivas, além de aplicações que não custam grande quantidade de tensão. Assim, para produção desse tipo de corrente elétrica, normalmente, são necessários materiais como fontes solares, baterias e termopares.

Os painéis solares, por exemplo, funcionam por meio da produção de corrente contínua. Além disso, é uma forma de energia encontrada de maneira fácil em circuitos retificadores.

Mas, afinal, qual é a real funcionalidade desse tipo de corrente?

Definição de corrente contínua

A corrente contínua é um tipo de corrente elétrica que, durante sua propagação, não altera o sentido. Neste caso, as cargas elétricas se movimentam dentro de um condutor quando existe diferença de potencial entre elas. Assim, quando a velocidade do movimento das cargas dentro dos condutores é constante, temos a corrente elétrica contínua.

Corrente Contínua, o que é? Definição, características e aplicações
Gerador de corrente contínua.

Com isso, esse tipo de corrente elétrica estabelece, num intervalo de tempo, as mesmas variações de cargas elétricas. Ou seja, as cargas elétricas são da mesma proporção aos intervalos de tempo nos condutores. Para representar os valores da corrente contínua, a unidade de medida utilizada é o ampère.

O nome da medida é uma homenagem ao cientista francês André Marie Ampère (1775 – 1836). O estudioso ficou conhecido por desenvolver questões importantes relacionadas à eletricidade. A lei de Ampère, por exemplo, traz tópicos que discutem o campo magnético que é formado pela corrente elétrica.

Corrente Contínua x Alternada

Recapitulando: a energia elétrica pode ser classificada de duas formas. Ou seja, pode ser corrente contínua (CC) ou alternada (CA). Assim, o que vai diferenciar os dois tipos de corrente é a direção do fluxo das ondas dentro dos condutores.

Corrente Contínua, o que é? Definição, características e aplicações
Diferença entre as duas formas de energia elétrica

Com isso, quando a corrente elétrica possuir apenas um sentido, temos uma corrente contínua. Agora, quando o sentido adquire mais de uma direção dentro do condutor, temos uma corrente alternada. Neste caso, então, a corrente alternada possui fluxo de energia fluindo em várias direções.

Já na corrente contínua, a produção é feita por meio de fontes variadas. Algumas delas são: células solares, baterias e termopares. A partir da produção, a utilização é realizada em instrumentos que não possuem alta demanda de força elétrica. Ou seja, a CC é comumente utilizada em carregamento de baterias e aplicações automotivas.

Vantagens e Desvantagens da Corrente Contínua

A CC não é a forma mais utilizada para transmissão de eletricidade. Isso porque, a corrente alternada, por exemplo, possui mais vantagens na distribuição em relação à CC. Porém, quando o assunto são instalações especiais, a CC é mais recomendada.

Assim, a CC é utilizada quando a corrente alternada não consegue suprir as necessidades de uso desejado. Logo, a corrente contínua é muito utilizada, por exemplo, em transmissões de alta tensão submersas. Para que isso ocorra, a energia passa por uma série de transformações até que o uso se torne adequado.

Corrente Contínua, o que é? Definição, características e aplicações
Corrente contínua é gerada por pilhas e baterias e a corrente alternada é gerada por usinas.

Como exemplo de transmissões submersas podemos citar a ligação do cabo do Báltico, entre Suécia e Alemanha. A CC percorre uma distância de 250 km e, em seguida, é transformada em corrente alternada para que a utilização seja viável. Outro exemplo é a ligação do cabo de Noruega, entre a Noruega e Holanda, que percorre um total de 580 km.

A desvantagem desse tipo de energia elétrica é o alto custo de manutenção. Ou seja, para construir e manter vias de transmissão contínua, as aplicações teriam gastos muito elevados. Além disso, as estações terminais e os pátios de comutação precisariam estar em constante monitoramento, aumentando ainda mais os custos.

O que achou da matéria? Se gostou, não deixe de conferir o que é Dínamo e quais as características dos Polos Magnéticos. 

Fontes: Só Física, Info Escola, Mundo da Elétrica e Citisystems

Imagens: HCC energiaGreen Volt, Ensinado Energia Elétrica e Viver de Elétrica

Por <a href='https://conhecimentocientifico.r7.com/author/dayane/' rel='dofollow' class='dim-on-hover'>Dayane Borges</a>
Por Dayane Borges
Jornalista e redatora com experiência em escrita criativa, adequação e produção de conteúdos multimídia para a web.