História

Arte Gótica – O que é, origem, contexto e representações

A arte gótica foi uma expressão artística da Idade Média, que perdurou até o Renascimento. Caracterizadas por vitrais e fachadas monumentais.

Atualizado em 19/05/2020

Desenvolvida na Baixa Idade Média, a arte gótica acontece logo após a arte românica como uma forma de reação ao movimento passado. Primeiramente, o estilo gótico tem inspiração religiosa, mas não só. O fator econômico, portanto, também rege esse período que, a partir das construções, concretiza a igreja e a monarquia.

Mas, nada disso teria sido possível sem o financiamento da burguesia. As obras eram imensas, as técnicas arquitetônicas se desenvolveram junto a arte gótica e trouxe materiais mais fáceis de serem manuseados. As igrejas são os maiores marcos da arquitetura e vamos ver algumas no decorrer da matéria.

Contexto da arte gótica

Arte Gótica - Conceitos

Associado a um contexto político, social e econômico, a arte gótica se desenvolveu no período da Baixa Idade média e teve influências dos povos Godos. Estes povos contribuíram, e muito, para o desenvolvimento da Europa Medieval e até afetou na criação da palavra “gótica” dada as estruturas da arquitetura nesse movimento.

Os godos, basicamente, eram guerreiros que andavam sempre armados e de origem germânica, atual Suécia. Depois de muito explorar acabaram migrando para terras cristãs e se misturaram com as crenças e costumes. Mas, onde é que está a relação entre eles e a arte gótica?

Resposta: quando houve a criação do modo de construções dos grande monumentos religiosos, como da imagem acima, várias críticas surgiriam em relação as características da arquitetura gótica. Sua estrutura rústica, pontiaguda trouxe estranheza a algumas pessoas.

Esse incomodo, portanto, veio de forma positiva, pois, começaram a relacionar a arte aos bárbaros o que acabou gerando o nome da “Arte gótica”. A palavra “gótico” é derivada de “Godos” e é uma deformação fonética da palavra “Argoth”.

As cruzadas na Arte Gótica

Arte Gótica - Conceitos

Do mesmo que os povos Godos, as Cruzadas também foram imensamente importantes para o crescimento. Com o chamado êxodo rural, ou seja, a migração dos ruralistas para a cidade, a Europa passou a ter mais acesso as mercadorias do mar Mediterrâneo e da Ásia.

Este acesso, sobretudo, com a participação dos trabalhadores vindos das fazendas, foi o trunfo para o desenvolvimento da arquitetura. A criação de novos materiais e a mão de obra de artesões, criadores de associações voltadas a classe, ajudou na ascendência do movimento artístico da época.

Características da Arquitetura gótica

Arte Gótica - Conceitos

Primeiramente, as abóbodas na arquitetura gótica, e os arcos em formatos ogivais, podem ser apreciados nas obras do movimento. As colunas de sustentação eram levantadas com suportes de na parte de fora da construção. Este suporte, todavia, era chamado de arcobotantes.

Os vitrais, portanto, são os que mais chama a atenção nas características góticas. As grandes janelas feitas para a entrada abundante de luz nas catedrais marcam o interior e exterior das obras. Acima de tudo, as imagens religiosas feitas em vidros coloridos, e muito bem elaboradas, fazem o charme nas grandes construções da igreja.

Outro fato curioso, por fim, é a contribuição dos moradores da cidade para a construção das catedrais. Sempre localizadas em centros urbanizados, todos tinhas um dedinho de ajuda no levantar das obras góticas da época. A mobilização social também se faz uma importante característica no contexto.

Escultura gótica

Arte Gótica - Conceitos

A principio, a escultura gótica veio para romper com ideias românicos e fez presente em suas esculturas características únicas do estilo. A exaltação e a busca pela beleza ideal se fez presente nas obras. Além disso, o naturalismo se tornou tendência na arte.

A imitação a natureza, ao esculpir folhas, se dava, porque a busca por um certo movimento era característico as obras. Isso também tornou-se fontes de expressividade nas esculturas.

Ao contrário do estilo românico, que tinha como centro o Deus Todo Poderoso, as artes desse período focou-se, sobretudo, na figura de Jesus Cristo e Maria. Todavia, uma observação importante sobre isso é a relação entre as esculturas, porque cada uma trazia sentimentos expressos em sua estrutura.

Pintura gótica

Arte Gótica - Conceitos

Nesse ínterim, ainda na busca pelo real, as pinturas continuam trazendo bem forte as característica acima. Aqui, a semelhança com pessoas comuns na representação de santos denotam uma arte simples e natural. Contudo, nessa perspectiva, se torna possível umas maior identificação entre as pessoas e o objeto retratado.

Lembrando, então, que toda criação veio para desfazer a o antigo, isto é, ideia de severidade desenvolvida pela Arte Românica. A cisão de períodos contribuiu para o surgimento da Arte Renascentista.

Iluminura

Arte Gótica - Conceitos

Antes de tudo, iluminura é o nome dada a ilustração de manuscritos e também pode ser atribuído a algumas pinturas. Dessa forma, os primeiros a usar a técnica foram as igrejas para ilustrar a bíblia.

Normalmente, os desenhos religiosos vinham para representar momentos de oração. A vida e a morte de Jesus Cristo e a imagem da  Virgem Maria estavam relacionadas a esse foco. Por último, as iluminuras são sempre relacionadas a algum texto. Sua posição costuma ser vistas entre frases, ou podem, então, ser intercalada de dentro da estrutura.

Por fim, leia sobre a Idade Média – o que foi, história e marcos da Idade das Trevas

Fonte: Toda matéria, Brasil escola, História das artes, Darkness and Carpe Noctem, História da Arte Web, História das Artes, Sua Pesquisa, Spectrum Ghothic, Mundo e Educação, Alunos Online.

Imagem de destaque: Arch daily