Biologia

Anfisbena, o que é? Definição, características da espécie e curiosidades

As anfisbenas, conhecidas popularmente como cobra-de-duas-cabeças, não são cobras. Entretanto, sua cabeça e rabo são muito semelhantes.

Atualizado em 11/09/2020

A Anfisbena, mais conhecida como cobra-de-duas-cabeças, é um animal com hábito fossorial, ou seja, que vive debaixo do solo.

O seu apelido é devido à enorme semelhança entre sua cabeça e sua cauda. Com isso, este animal acaba deixando os seus predadores confusos e, assim, consegue uma vantagem para escapar.

Apesar do nome dar a ideia de cobra, as Anfisbenas não são serpentes e nem estão no grupo dos lagartos. Seu corpo é alongado, cilíndrico e sem patas.

Mas afinal, quais são as características das Anfisbenas? Vamos descobrir!

Definição de Anfisbena

De forma geral, as anfisbenas possuem olho pequeno, sendo difícil de ser identificado, e sua cauda é arrendondada. Com base nisso, muitos se assustam e acreditam se tratar de duas cabeças, mas é uma ideia totalmente equivocada.

Anfisbena, o que é? Espécie, curiosidades e características
Agência Pará de Notícias

Assim como as minhocas, as anfisbenas ficam a maior parte do tempo no subsolo e ajudam na aeração do solo.

A princípio, o crânio destes animais é bem rígido e, por conta disso, conseguem abrir túneis mais facilmente.

Todavia, nos momentos raros que elas não estão “escondidas”, optam por ficarem nas folhagens, devido a maior umidade.

Características do animal

Estes animais se reproduzem através de ovos, ou seja, são ovíparos. Em relação à alimentação, as anfisbenas se alimentam de pequenos artrópodes, minhocas, vermes, formigas e larvas que aparecem no subsolo.

Contudo, em alguns casos, estes animais também vão até a superfície em busca de alimento e conseguem capturar pequenos roedores.

características do animal
Estrutura do corpo do animal

Existem várias espécies de anfisbenas, mas, em geral, não são muito grandes. Em suma, o tamanho chega, em média, em 60 cm de comprimento, sendo assim, de porte pequeno ou médio.

De acordo com biólogos, são animais escamados, ou seja, possuem uma pele mais áspera. Pode haver diferença nas características, devido a diferença de idade delas. Sendo assim, sua cor altera de avermelhado, quando jovem, para acinzentado, na fase adulta.

Muitos confundem a cobra-de-duas-cabeças com a cobra-cega, pela característica do olho pequeno. Porém, vale ressaltar que não são o mesmo animal.

Ou seja, suas diferenças já se tornam nítidas por uma ser um réptil e a outra um anfíbio. Logo, são de classes distintas.

Anfisbenas não são venenosas

A anfisbena, apesar de conseguir se defender de outras formas dos seus predadores, não oferece perigo para nós humanos, pois não possui veneno.

Anfisbena, o que é? Espécie, curiosidades e características
Anfisbena

Em contrapartida, em forma de defesa, algumas espécies podem morder de forma agressiva, mas apenas para conseguir se afastar.

Portanto, se por acaso algum dia você veja uma por aí, evite tentar tocá-la. Mas, vale ressaltar que, se por algum descuido ou imprevisto ocorrer o toque com o animal, o contato não causará consequências graves.

Novas espécies

De acordo com biólogos, existem cerca de 67 espécies de anfisbenas no Brasil. Entretanto, em 2018, foi descoberta mais uma espécie da cobra-de-duas-cabeças.

Anfisbena, o que é? Espécie, curiosidades e características
Blog do Henrique Costa

O nome cientifico dado, Amphisbaena Kiriri, foi em homenagem aos índios Kiriri do sertão do Nordeste brasileiro, pois a nova espécie foi encontrada no município de Campo Formoso, localizado no bioma Caatinga.

Você sabia?

As anfisbenas movimentam a cauda como se uma cabeça para espantar possíveis predadores. O movimento tende a confundir outros animais, por isso, o réptil é conhecido como cobra-de-duas-cabeças.

Gostou de descobrir o que é uma cobra de duas cabeças? Então agora leia: Aracnídeos – características, anatomia, ciclo de vida e 5 tipos de espécies

Fontes: Brasil Escola, Portal UNIVASF e Mundo Educação 

Imagens: G1, Agência Pará de Notícias, Segredos do Mundo, Amino, Ciências Biológicas e Blog do Henrique Costa