História

O que foi a conquista de Ceuta? Quem dela participou e por quê?

Sobre a Conquista de Ceuta, com a economia fraca e o Estado endividado, o rei de Portugal decide pela expansão ultramarina, começando pela cidade de Ceuta.

Atualizado em 05/01/2020
Por Adriano Curado

A Conquista de Ceuta foi uma tentativa da Coroa Portuguesa de tirar o Estado da crise econômica. Ela se deu em 1415, marcando o início da expansão ultramarina.

Pela cidade de Ceuta passavam grandes caravanas africanas, posto que ali era um entroncamento comercial.

Só que a promessa de grandes lucros não se confirmou como o planejado. Isso frustrou a Burguesia e os nobres portugueses.

Saiba o que foi a conquista de Ceuta. Quem dela participou e por quê?

Expansão Marítima Portuguesa

Portugal se encontrava endividado em 1385, quando Dom João I (1351-1433) assumiu o trono lusitano. Havia também baixa produção da agricultura, carência de mão de obra, além de forte infração.

Era preciso reestruturar o país, visto que uma das alternativas encontradas foi aumentar o reino para o Mediterrâneo. A conquista de Ceuta foi a opção escolhida, por estar em uma região privilegiada. Tomada a decisão, Portugal começou a investir na construção de navios de guerra com esse fim.

 

O que motivou a escolha de Ceuta?

Há divergência quanto aos reais motivos de se escolher Ceuta, posto que havia outras praças de igual importância. Há especulação de que os filhos do rei queriam se armar cavaleiros por um feito de guerra.

Igualmente a Igreja Católica tencionava expandir o Cristianismo e por isso teria apoiado a invasão.

Fato é que Ceuta se situava na margem africana do Estreito de Gibraltar, sendo um cruzamento comercial. Ricas caravanas que transitavam entre a África e a Europa tinha que passar por lá, o que poderia favorecer os portugueses.

A sociedade portuguesa mobilizada

Tamanha foi a propaganda do governo, que todos os setores sociais portugueses se envolveram na questão. A Burguesia investiu dinheiro para ter um retorno explorando as trocas comerciais na região.

A Nobreza planejou ampliar suas terras e manter os títulos nobiliárquicos. Já a população, que era quem mais sofria com a crise econômica, passou a ambicionar uma fonte de renda. Com todo mundo apoiando e incentivando, começaram as ações para a tomada de Ceuta.

Saiba o que foi a conquista de Ceuta. Quem dela participou e por quê?

A grande ofensiva

No dia 25 de julho de 1415, partiu de Lisboa uma esquadra de duas centenas de embarcações. Dentro dos barcos estavam aproximadamente 30 mil soldados, que cercaram a cidade.

Quase um mês depois de acirrada ofensiva, finalmente Ceuta caiu, sendo que os portugueses a saquearam. Depois as mesquitas foram convertidas em igrejas Católicas e os símbolos do islã substituídos pelos cristãos.

Saiba o que foi a conquista de Ceuta. Quem dela participou e por quê?

A frustração posterior ao ataque

Ao contrário do que o rei esperava, entretanto, Ceuta acabou sendo um problema em vez de solução. Para custear a investida militar, por sua vez, foi preciso contrair empréstimos no exterior.

Além disso, agora era preciso manter o posto, o que gerava um gasto a mais para o endividado Estado Português.

Não bastassem esses problemas, quatro anos após sua tomada, os muçulmanos tentaram reavê-la. Foi necessário resistir a um mês de cerco militar, além disso refazer o que fora destruído, o que só aumentava os gastos.

Diante do fim da estabilidade na região, as ricas caravanas passaram a evitar Ceuta e tomar outra rota. Houve frustração dos burgueses, dos nobres e do povo. A grande promessa, por fim, se tornou um problema para a Coroa.

Não obstante todos esses percalços, Portugal decidiu ficar em Ceuta e a expandir seu território. Depois ainda tomou as Ilhas da Madeira (1419) e o Arquipélago dos Açores (1427).

Achou interessante saber da Conquista de Ceuta? É recomendado que leia também sobre a Revolução de Avis: o que foi e como salvou a independência de Portugal.

Fonte: Wikipédia, Toda Matéria, Ensina, Histórias de Portugal, Revista Militar, Projeto Memória, Os Descobrimentos Portugueses, Mundo Português, História.

Fonte das imagens: Wikipédia, Tribop, Jornal Diabo, O Guardião.

Próxima página »