Biografia

Edward Hopper, quem foi? Vida, estilo artístico e principais obras de arte

Conhecido por pinturas misteriosas, Edward Hopper foi um artista apaixonado pelo realismo, retrando a solidão da vida urbana.

Atualizado em 24/09/2020
Por Kariny Bianca

Edward Hopper foi um artista conhecido por suas representações da solidão no ambiente urbano, especificamente por conta do olhar pessoal da vida moderna norte-americana.

Nascido em 22 de julho de 1892, em Nova Iorque, viveu sua carreira artística como pintor, artista gráfico e ilustrador.

Em síntese, Edward Hopper retratava sua arte impactando psicologicamente o observador, visto que suas misteriosas pinturas eram carregadas de subjetividade.

Por outro lado, os estudos da psicologia de Freud e a teoria intuicionista de Bergson foram inspirações diretas para as obras de Hopper, já que essas fundamentações têm como reflexão subjetiva o homem e seus problemas.

As obras de Edward Hopper expressavam a individualidade de forma chocante, visto que, geralmente, entoavam um silêncio, o vazio perturbador e uma melancolia que chega a incomodar.

Considerado como realista imaginativo, os espaços de suas pinturas, normalmente, eram paisagens urbanas, como edifícios e localidades imóveis. Na maioria das vezes, sombrias ou desertas, marcados por ambientes comuns, mas com fortes características de tristeza.

Vida de Edward Hopper

O artista Robert Henri foi um dos professores de Edward Hopper em Nova Iorque, quando ele estudava design gráfico, ilustração e pintura no século XX.

Desse modo, uma das lições que aprendeu com ele foi sobre usar a arte para movimentar o mundo, onde Henri ensinava seus alunos sobre a arte realista da vida urbana.

Hoppers
Big Apple

Dessa forma, muitos alunos do professor Henri se tornaram  importantes artistas, inclusive Edward Hopper, através da  Escola Ashcan de Arte norte-americana.

Posteriormente, Edward Hopper viajou pela Europa, entre 1906 e 1910, para estudar a arte local, experimentando referências do cubismo.

No entanto, sua paixão acendeu pelo idealismo dos pintores realistas, momento em que começou a exercer essa influência em sua arte. Logo, ganhou notoriedade artística, em 1915.

Edward Hopper casou-se com Josephine Verstille Nivison, em 1924. Em virtude de sua convivência com a arte do marido, Josephine investiu na carreira artística. Assim, Hopper utilizava sua esposa na maioria das suas pinturas de figuras femininas.

Estilo Artístico

O trabalho que deu início a melhor fase artística de Edward Hopper foi a Casa ao lado da Ferrovia, produzida em 1925.

Como características principais, a obra é destacada pelas linhas finas e formas largas, com cenário urbano e, ao mesmo tempo, rural.

Casa ao lado da Ferrovia
Arte na Rede

A iluminação com jogo de sombras retrata o abandono, ou seja, coloca em evidência o reflexo do contorno das estações, da ferrovia ou de uma rua vazia, por exemplo.

Um das mais aclamadas pinturas de Edward Hopper é a Aves da Noite. Produzida em 1942, a obra contextualiza uma noite pacífica do lado de fora de um restaurante, no entanto, mostra que do lado de dentro existem clientes sentados com expressões desanimadoras.

Edward Hopper
Comunidade Cultura e Arte

Por conseguinte, outras pinturas que refletem evidentemente o seu estilo realista são Chop Suey, Automat e Office in a Small City.

Edward Hopper ganhou homenagens com versões de Aves da Noite utilizando personagens de desenho animado ou ícones famosos, como James Dean e Marilyn Monroe.

Principais Obras

A princípio, dizem que a casa do filme Psycho de Alfred Hitchcok foi inspirada na pintura Casa ao lado da Ferrovia.

Como também, o guitarrista John Squire lançou um álbum, em 2004, intitulado Marshall’s House, sendo que cada música representava uma pintura de Hopper.

O Sol da Manhã
DASartes

No mesmo ano, as pinturas de Edward Hopper passaram por diversos lugares da Europa, Colômbia, Alemanha, até chegar no Tate Modern em Londres.

Sem dúvida, esta última foi considerada a segunda mais popular na galeria de história, totalizando 420 mil visitantes em três meses.

O famoso Whitney Museum comemorou 75 anos, em 2006, utilizando todo o quinto andar do museu com obras de Edward Hopper. Assim, o artista pintou durante a velhice, se locomovendo entre a cidade de Nova Iorque e Massachusetts.

Edward Hopper
Perce Polegatto

Por fim, Edward Hopper morreu, em 1967, em Nova Iorque, dentro de seu estúdio de arte. Josephine Nivison, pintora e esposa de Hopper, morreu após dez meses da morte do marido.

Anteriormente, ela havia doado as artes do marido para Whitney Museum of American Art, outras obras ficaram divididas entre o Museu de Arte Moderna de Nova Iorque, o The Des Moines Art center e o INstituto de Arte de Chicago.

Assim, dentre as principais obras de Edward Hopper, estão:

  • Bistrô (1909);
  • Noite azul (1914);
  • Escadas (1919);
  • Sombras da noite (1921);
  • Moça na máquina de costura (1921);
  • Casa perto da estrada de ferro (1925);
  • Autorretrato (1925 a 1930);
  • Automat (1927);
  • Janelas Noturnas (1928);
  • Chop Suey (1929);
  • Domingo de manhã cedo (1930);
  • Quarto de hotel (1931);
  • Filme de Nova Iorque (1939);
  • Gás (1940);
  • Agosto na cidade (1945);
  • Noite de verão (1947);
  • Conferência da Noite (1949);
  • Uma mulher ao Sol (1961).

O que achou de Edward Hopper? Se gostou, conheça também esse outro artista: Salvador Dalí, quem foi? Biografia, vida na arte e as principais obras

Fontes: arlindenor, História das Artes e Sua Pesquisa

Imagens: Artref, Big Apple, Comunidade Cultura e Arte, DASartes, e Perce Polegatto

Próxima página »