História

Democracia brasileira: Por que demorou tanto a acontecer?

A democracia brasileira vem de tempo recente e ainda não se consolidou totalmente, tendo um histórico de dois Impeachment.

Atualizado em 26/10/2020
Por Adriano Curado

Sobre a democracia brasileira é preciso tecer certo esclarecimento. Embora desde a Proclamação da República o brasileiro pudesse votar, era um voto pouco representativo. Apenas um grupo de privilegiados tinha de fato acesso ao voto.

Dessa forma, foi no último mandato de Getúlio Vargas que a população de fato pôde votar. Embora sua morte interrompesse o principiante processo democrático.

Depois veio a eleição de Juscelino Kubitschek e a renúncia de Jânio Quadros. E o Golpe de 1964 depôs João Goulart.

Após 21 anos, chegou ao fim da Ditadura Militar, o Brasil finalmente retorna à Democracia (1985).

O início da democracia no Brasil

Em 1950, Getúlio Vargas é eleito pelo voto direito a presidente da República e fica no cargo até 1954, quando morre.

Logo, no ano seguinte, Juscelino Kubitschek é eleito presidente pelo voto direto com mandato até 1960.

Nesse mesmo ano, Jânio Quadros vence as eleições e renuncia em 1961, quando João Goulart, seu vice, toma posse.

Você sabia que a democracia brasileira ainda é muito jovem?

Mas a democracia brasileira é interrompida pelo Golpe Militar de 1964, que destitui Goulart e os militares tomam o poder.

Depois de 21 anos de Ditadura Militar no Brasil, o país passava por uma crise econômica, social e política.

Nesse contexto surge a Constituição Federal de 1984. Em síntese, ela institucionaliza o sistema democrático e contempla a liberdade de direitos e a igualdade social.

O sistema é presidencialista, há a liberdade de voto, de expressão e as eleições são livres.

A fragilidade da jovem democracia brasileira

Em síntese, o movimento Diretas Já (1984) avançou democraticamente o país, posto que reivindicava a realização de eleições diretas para eleger o presidente.

Mas na época o processo democrático não pôde ser consolidado.

Somente com Fernando Collor de Mello (1989), que o país elegeu o presidente pelo voto direto, entretanto ele sofreu um Impeachment em 1992.

Com Collor afasto, Itamar Franco, seu vice, assumiu a presidência.

Você sabia que a democracia brasileira ainda é muito jovem?

Em 1995, é eleito Fernando Henrique Cardoso, que promove uma democracia social através de uma política neoliberal, assim como estabiliza a economia.

O Partido dos Trabalhadores no poder

A partir de 2003, o Partido dos Trabalhadores sobe ao poder com a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva, que governou até 2011.

Também pelo Partido dos Trabalhadores, Dilma Rousseff foi eleita, e governou o País até o primeiro semestre de 2016.

Tal como Collor, Dilma sofreu um processo de Impeachment, acusada de praticar pedalada fiscal, termo que se refere a operações orçamentárias.

Com a queda de Dilma, assumiu a presidência seu vice, Michel Temer, do Partido Movimento Democrático Brasileiro (MDB).

O fim do governo Dilma e a condenação criminal e prisão de Lula, entretanto, puseram fim ao PT no poder.

Os passos inseguros da democracia brasileira

Na disputa presidencial de 2018, Jair Bolsonaro venceu o candidato do PT, Fernando Haddad.

Ele foi eleito com um discurso de direita e com uma equipe de governo formada por muitos militares.

Há ainda uma crescente manifestação no país pela volta do Regime Militar no Brasil, possibilidade que é rechaçada pelas Forças Armadas.

Por fim, a democracia no Brasil ainda é frágil e caminha a passos inseguros, mas pelo menos o povo tem liberdade de expressão e pode votar livremente.

Não é interessante ler sobre um tema tão contemporâneo de nossa história? Não deixe de conhecer também uma curiosa matéria sobre o que foi a Passeata dos Cem Mil e como ela desafiou a Ditadura.

Fonte: Toda Matéria, Significados, Estudo Kids, Aventuras na História, Estudo Prático, Mundo Vestibular.

Próxima página »