Geografia

Conheça os solos do Brasil, suas variedades, problemas e soluções para aumentar o produtividade

O solo é formado de rocha decomposta. Ali se instalou a vida microbiana e foram criadas condições favoráveis à vida e ao desenvolvimento das plantas.

Atualizado em 12/06/2019

O solo é formado de rocha decomposta. Ali se instalou a vida microbiana e, após uma série de transformações físico-químicas, foram criadas condições favoráveis à vida e ao desenvolvimento das plantas.

No Brasil, os diversos tipos de solos existentes podem ser classificados de acordo com a tonalidade, composição e granulação.

A farta variedade dos tipos de solos brasileiros

O Brasil possui uma geologia diversificada e singulares feições climáticas. Tudo isso contribui para que ocorram diversos tipos de solos agrícolas.

O massapé é um solo de coloração escura e rico em matéria orgânica, formado pela decomposição do gnaisse e do calcário. É encontrado na zona da mata nordestina, onde se cultiva a cana-de-açúcar.

A terra roxa é um solo avermelhado e formado pela decomposição de basalto. É portanto de origem vulcânica. É encontrado no planalto meridional brasileiro (Paraná e São Paulo), mas  aparece também em Goiás e Mato Grosso do Sul. Foi nesse solo que houve a expansão cafeeira.

O salmourão é solo argiloso e formado pela decomposição do granito em climas úmidos. Apresenta boa fertilidade e é encontrado no planalto atlântico e no centro-sul, onde se cultiva milho e feijão.

Os aluviais são solos formados pela acumulação de sedimentos nas várzeas, vales fluviais e depressões. Tem boa fertilidade e aí se cultivam arroz e feijão.

Os problemas nos solos do Brasil

Há muitos problemas que afetam os solos brasileiros: erosão, esgotamento, laterização e lixiviação. Ele são de grande intensidade e decorrentes das características climáticas (climas quentes e úmidos) e das técnicas agrícolas empregadas (técnicas rudimentares de cultivo).

A erosão e o consequente esgotamento dos solos são provocados pelas características climáticas predominantes no país, com a concentração de chuvas durante o verão. Tais fenômenos são também causados pela utilização de técnicas rudimentares de cultivo.

Já a laterização é um processo de transformação do solo por conta de um intemperismo químico em regiões de clima úmido e quente, fazendo surgir uma crosta ferruginosa. Enquanto que na lixiviação os sedimentos depositados no solo são levados pela água.

Algumas medidas são tomadas para combater tais problemas:

  • Terraceamento, também chamado cultivo em terraços ou socalcos, é uma técnica agrícola de conservação do solo aplicada em terrenos muito inclinados, permitindo o seu cultivo e, simultaneamente, o controle da erosão hídrica;
  • O plantio em curvas de nível, que são linhas com diferentes altitudes do terreno. Essa técnica é essencial para áreas íngremes, ajudando a conservar o solo contra erosões, além de contribuir com o escoamento da água da chuva, fazendo com que ela se infiltre mais facilmente na terra e evite os deslizamentos.
  • Utilização de adubos, irrigação e reflorestamento.

Algumas curiosidades sobre os solos

Você sabia que a pedologia é a ciência que estuda o solo, sua forma, origem, classificação e propriedade? E saiba também que 95% de todo alimento produzido no mundo têm origem no solo.

Ele é um grande filtro, pois as chuvas passam pelas camadas e ao chegarem ao lençol freático estão potáveis para o consumo humano. Saiba também que o solo diminui o gás carbônico na atmosfera. Sem contar que 25% da diversidade de vida existente do Planeta estão no solo.

A quantidade de micro-organismos em uma colher de chá de solo é maior do que a de pessoas no mundo inteiro.

Achou interessante saber um pouco mais sobre os solos, principalmente brasileiro? Então certamente que você adorará ler sobre as bacias sedimentares.

Fonte: Brasil Escola, Estudo Prático, Alunos online, Mundo Educação, Todo Estudo.