História

Batalha de Crécy, história, motivos e quem nela lutou

A Batalha de Crécy abre a Guerra dos Cem Anos entre Inglaterra e França, sendo um marco da estratégia no campo de batalha.

Atualizado em 27/12/2019

A Batalha de Crécy foi o confronto que começou a Guerra dos Cem anos, no dia 26 de agosto de 1346.

Após a disputa por um ducado, Eduardo III, da Inglaterra, decide reivindicar o trono do francês Filipe VI.

França e Boêmia se uniram para formar um fabuloso exército e enfrentaram a Grã-Bretanha na Batalha de Crécy.

Contexto Histórico

Com a morte do Rei Carlos IV, da França, sem um herdeiro, o sucessor passou a ser o Rei Eduardo III, da Inglaterra. É que a mãe do rei inglês era irmã de Carlos IV, só que a linhagem feminina não ascendia ao trono francês.

Então foi coroado rei Filipe VI, sobrinho-neto de Carlos IV. A princípio Eduardo III concordou com o novo rei, entretanto alguns entreveros o fizeram mudar de ideia. Com isso se inicia a Guerra dos Cem Anos.

Lei sobre a Batalha de Crécy. Por que ocorreu e quem nela lutou?

Início do conflito

Eduardo III e Filipe VI entraram em confronto pelo Ducado de Aquitânia, que era inglês. Só que os franceses passaram a cobiçar a região, que conseguirão tomar com o término da Guerra dos Cem Anos.

Em meados de 1346, a Inglaterra enviou uma esquadra de 750 navios, com 15 mil soldados na infantaria. Nesse momento a questão já ia muito além de defender a Aquitânia, posto que começaram a atacar a França.

Com o propósito de destronar Filipe VI, o inglês atacou, conquistou e saqueou diversas cidades da região. O francês se juntou a João I, da Boêmia, para reunir um poderoso exército capaz de deter a Grã-Bretanha. Essas tropas se encontrariam na Batalha de Crécy.

Lei sobre a Batalha de Crécy. Por que ocorreu e quem nela lutou?

A Batalha de Crécy

A Batalha de Crécy estava do lado da França e Boêmia, dado ao poderia militar reunido. O exército mobilizado por Filipe VI era realmente formidável, posto que somava aproximadamente 40 mil homens.

Portanto mais que o dobro do exército invasor, que era de 15 mil soldados. Mas Eduardo III era um grande estrategista, tendo posicionado suas tropas no alto de uma colina.

A iniciativa partiu da França, que havia contratado 6 mil besteiros mercenários na cidade de Gênova. Só que uma chuva forte havia caído na noite anterior, tendo assim estragado as armas de madeira. Os ingleses, no entanto, havia guardado os arcos para que não molhassem.

O resultado foi que os arqueiros ingleses saíram vitoriosos, só que a cavalaria francesa os abateu e avançou. E novamente a chuva atrapalhou a França, já que os cavalos não conseguiram subir a colina. Então os ingleses venceram também essa etapa da batalha.

Bem posicionados na colina, os ingleses firmaram posição e se tornaram um obstáculo intransponível. Além disso, o uso de arcos leves e capaz de atirar uma flecha a 40 metros foi decisivo.

Os franceses e aliados investiram dezesseis vezes contra a tropa inglesa, porém não obtiveram êxito.

Lei sobre a Batalha de Crécy. Por que ocorreu e quem nela lutou?

As consequências da Batalha de Crécy

A França saiu muito humilhada da Batalha de Crécy, posto que contava com um exército bem maior. Além disso, foram perdidas aproximadamente 6 mil vidas do seu lado, contra 300 ingleses.

Onze nobres também morreram na trágica batalha, entre eles João I, Rei da Boêmia. O valente monarca, que era cego, foi morto em balhata contra o exército da Grã-Bretanha.

Os ingleses venceram essa importante batalha, só que não a guerra, que se estenderia por mais um século.

Você curtiu ler sobre a Batalha de Crécy? Pois então leia também uma matéria que fala da Política do Big Stick.

Fonte: Wikipédia, História Militar, Info Escola, Amino, Knoow, Incrível História, Laifi, Sua Pesquisa, Humanas, Brasil Escola, Amazon.

Fonte das imagens: Amino, Caozada na HistóriaWahoo Arte, Os Carreiros da História.