Geografia

10 maiores rios brasileiros

O Brasil possui a maior rede fluvial do mundo. É um imenso potencial hídrico que coloca o nosso país em 1.º lugar como a maior reserva mundial de água doce.

Atualizado em 10/09/2019

O Brasil possui a maior rede fluvial do mundo, com volumosos rios. É um imenso potencial hídrico que coloca o nosso país em 1.º lugar como a maior reserva mundial de água doce.

Calcula-se que cerca de 13% de toda água doce da Terra está no território brasileiro. Essa quantidade colossal de água é devido às chuvas, consequência do nosso clima tropical.

O critério para classificar os maiores rios é de extensão. E muitos dos rios mencionados atravessam outros países.

O Rio Juruá é uma hidrovia dos brasileiros do norte

O topônimo “Juruá” procede do nheengatu iuruã, que significa “boca alta ou boca aberta”. O rio Juruá é um rio que nasce no Peru e banha os Estados brasileiros do Acre e Amazonas. Deságua no Rio Solimões, depois de percorrer um percurso de aproximadamente 3.000 quilômetros. É muito importância para a região, por ser usado como hidrovia, já que rodovias são inexistentes na maior parte de seu curso.

Nas margens do Juruá ficam municípios importantes como Eirunepé, Itamarati, Carauari, Juruá, Ipixuna e Guajará (Amazonas) e Cruzeiro do Sul, Marechal Thaumaturgo, Porto Walter e Rodrigues Alves (Acre).

Recentemente foram criadas duas unidades de conservação do Rio Juruá: Reserva Extrativista do Médio Juruá e a Reserva Extrativista do Baixo Juruá.

O Rio Paraguai, o curso de água internacional

O topônimo “Paraguai” é originário da língua guarani antiga e significa “rio dos paraguás”. O Rio Paraguai é um curso de água da América do Sul que banha quatro países. Nasce no município de Alto Paraguai (Mato Grosso) e banha também o estado do Mato Grosso do Sul, sendo afluente do rio Paraná.

Percorre um trajeto de cerca de 2621 km até desaguar no rio Paraná. Desenha o mapa do Brasil na fronteira com a Bolívia por 58 quilômetros e com o Paraguai por 322 quilômetros.

O Rio Japurá é o colombiano que encorpa o Amazonas

O rio Japurá (chamado Caquetá na Colômbia) é um curso de água que nasce na Colômbia e que banha no Brasil o Estado do Amazonas. É afluente da margem esquerda do Rio Solimões.

O rio Japurá possui extensão estimada de 2.100 km, sendo 1.367 km em território colombiano e 733 km em território brasileiro. Tem sua foz em delta, com oito ramificações. O seu período de águas altas ocorre entre fevereiro e abril, e nos meses de julho a setembro ocorre o período de água baixa. É o rio mais sinuoso da Amazônia.

O alto Juruá não apresenta condições de navegabilidade. É a única via de interação entre alguns municípios e também de abastecimento de produções de grãos a partir do Município de Caracaraí.

Rio Araguaia, ponto turístico que virou tradição

O Rio Araguaia banha Goiás, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Mato Grosso e Pará. Nasce em altiplanos que dividem Goiás e Mato Grosso do Sul, e a nascente é localizada na Serra do Caiapó, perto do Parque Nacional das Emas, em Mineiros (Goiás).

Movimentado ponto turístico, há a tradição goiana de acampar em suas margens no mês de julho. Ali também se pratica a peça esportiva e os safaris fotográficos.

Seu comprimento é de cerca de 2.115 km e em suas margens estão diversos Municípios: Aruanã (Goiás), Britânia (Goiás), Alto Araguaia (Mato Grosso), Ponte Branca (Mato Grosso), Santa Terezinha (Mato Grosso), Araguacema (Tocantins), Araguatins (Tocantins), Couto de Magalhães (Tocantins), Conceição do Araguaia (Pará), São Geraldo do Araguaia (Pará) e Bela Vista do Araguaia (Pará).

Há dois parques importantes que o conservam: Parque Nacional do Araguaia e Parque Indígena do Araguaia. E em suas águas está localizada a maior ilha fluvial do mundo: a Ilha do Bananal.

Rio Tocantins, irmão do Araguaia e com praias turísticas

O Rio Tocantins nasce em Goiás, e passa por Maranhão, Pará e Tocantins, com foz no Golfão Amazônico próximo a Belém. Depois da união do rio das Almas, rio Maranhão e rio Paranã, entre cidades Paranã e São Salvador do Tocantins, o rio se torna Rio Tocantins.

Pela época das cheias, o trecho navegável do Tocantins se resume em torno de 2000 km, entre Belém e Lajeado. Assim como o Araguaia, o Rio Tocantins é muito usado por turistas no mês de julho. Em suas margens são montados acampamentos.

Rio São Francisco: está em risco pela degradação ambiental

O Rio São Francisco é um dos mais importantes do Brasil. Nasce no Município de Medeiros (MG) e atravessa a Bahia, realizando sua divisa ao norte com Pernambuco, e constitui a divisa natural de Sergipe e Alagoas, desaguando no Oceano Atlântico.

O nome indígena designando o São Francisco é Opará, e de maneira carinhosa é denominado também de Velho Chico. Vem sofrendo danos que o impactam fortemente, como o crescimento das irrigações e a transposição de parte de suas águas. Esse projeto de transposição visa desviar parte das águas do São Francisco para irrigação da região nordeste e semiárida do Brasil. São mais 700 km de canais de concreto que custarão R$8.5 bilhões ao erário público.

O Rio Purus tem águas barrentas e ricas em sedimentos

O Rio Purus nasce em Arco Fitzcarrald (Peru) e entra no Brasil pelo Município de Santa Rosa do Purus (Acre). Depois segue pelo Município de Manoel Urbano e pelo Estado do Amazonas, Município de Boca do Acre, onde recebe as águas do Rio Acre. No Estado do Amazonas deságua no Rio Solimões.

Suas águas são barrentas, ricas em sedimentos andinos, classificado como rio de água branca e bastante sinuoso. Vem sofrendo danos ambientais imensos, como a exploração madeireira, agricultura familiar, caça e pesca.

Quando o Rio Madeira se inunda, destrói florestas inteiras

O Rio Madeira nasce com o nome de Rio Beni na Cordilheira dos Andes, Bolívia. Ele desce das cordilheiras em direção ao norte e recebe o Rio Mamoré-Guaporé, tornando-se o rio Madeira. É um rio de planície que traça a divisória entre Brasil e Bolívia.

O Rio Madeira tem esse nome porque, no período de chuvas, seu nível sobe e inunda grandes porções da planície florestal, trazendo troncos e restos de madeira da floresta, época em que são negociadas pelos madeireiros e transportadas pelo próprio rio.

Ele segue em direção ao nordeste atravessando dezenas de corredeiras (provisórias) até chegar a Porto Velho, onde se iniciará a Hidrovia do Madeira. No delta do Madeira, fica a ilha Tupinambarana em uma região de alagados.

Rio Paraná: o segundo maior gigante na América do Sul

O rio Paraná é o segundo maior rio sul-americano. Nasce na confluência de dois importantes rios brasileiros: o Rio Grande e Rio Paranaíba, entre os Estados de Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Estende-se por uma extensão total de 4.880 quilômetros. Separa os Estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Paraná, além de demarcar a fronteira entre Brasil e Paraguai numa extensão de 190 quilômetros até a foz do Rio Iguaçu. A partir deste ponto marca o início da fronteira entre Argentina e Paraguai. O rio continua correndo para o sul até próximo a cidade de Posadas, onde muda para a direção oeste. Na confluência do rio Paraguai, o Rio Paraná entra inteiramente em terras argentinas e passa a percorrer a direção sul, desaguando no delta do Paraná e, consequentemente, no Rio da Prata.

Rio Amazonas, o majestoso

O Rio Amazonas se origina na nascente do Rio Apurímac (Cordilheira dos Andes), no sul do Peru, e deságua no oceano Atlântico junto ao rio Tocantins no delta do Amazonas, no norte brasileiro. Ao longo de seu percurso recebe, ainda no Peru, os nomes de Carhuasanta, Lloqueta, Apurímac, rio Ene, rio Tambo, Ucayali e Amazonas. Ele entra no território brasileiro com o nome de Rio Solimões e em Manaus, após a junção com o Rio Negro, ele recebe o nome de Amazonas e segue até a sua foz no oceano Atlântico.

É um dos rios mais extensos do mundo, com 6.992,06 km de comprimento. tem também mais de mil afluentes, e alguns deles, como o Madeira, o Negro e o Japurá, estão entre os 10 maiores rios da Terra.

Você gostou se saber mais sobre os rios brasileiros? Estão talvez se interesse em conhecer os escudos cristalinos.

Fontes: Top 10, Vou Passar, Conhecendo o Brasil, Pesquisa Escolar.