História

O que foi o congresso do Panamá? Qual seu papel histórico?

O Congresso do Panamá, que nasceu dos ideais de Simon Bolívar, tencionava unir os países de língua espanhola numa grande nação temendo a invasão da Espanha.

Atualizado em 16/02/2019

O Congresso do Panamá teve por finalidade uma aliança entre as Repúblicas Hispânicas. Ocorrido entre junho e julho de 1826, idealizava uma defesa comum, bem como a conciliação dos conflitos.

Nasceu dos ideais liberais de Simon Bolívar, que havia lutado pela independência da América Espanhola.

Entretanto contou com a oposição de muitos países, entre eles os Estados Unidos, a Argentina e o Brasil.

O Congresso do Panamá idealizou uma superpotência na América do Sul

Contexto Histórico

Quando da assinatura da Carta da Jamaica, em 1815, Simon Bolívar idealizou uma confederação hispano-americana. Queria a união das nações colonizadas pela Espanha, posto que adotavam o catolicismo e falavam a mesma língua.

Em 1826, Bolívar propôs um novo encontro, mas ampliou o leque das nações abrangidas por um tratado internacional. Além das ex-colônias espanholas, também entrariam nações que falavam outras línguas. Muitos foram convidados, mas poucos compareceram.

Simon Bolívar ficou retido no Peru, país onde era interventor, comandando um exército de milhares de combatentes num conflito.

O Congresso do Panamá idealizou uma superpotência na América do Sul

Os termos do acordo firmado

Compareceram ao grande encontro os atuais México, Venezuela, Equador, Colômbia, Peru e Bolívia. Eles assinaram os termos do Congresso do Panamá, que previa uma aliança perpétua entre os membros.

Haveria defesa comum em caso de agressão, assim como a previsão de resolver pacificamente as disputas. Soldados dos estados-membros se uniriam num exército único, para manter a íntegra territorial de todos. Também pregavam a abolição total da escravatura do negro africano.

Isso era devido ao temor de a Espanha decidir atacar numa ação de reconquista dos territórios perdidos. Probabilidade que não se efetivou.

O ideal do pan-americanismo

O Congresso do Panamá estava recheado com ideais liberais do pan-americanismo, que idealizava uma superpotência.

O chamado pan-americanismo foi um movimento que tinha o objetivo de unificação de toda a América espanhola. Queria que as ex-colônias espanholas se unissem e formassem um só Estado. Esse era o grande sonho de Simon Bolívar.

O Congresso do Panamá idealizou uma superpotência na América do Sul

O fracasso do Congresso do Panamá

A proposta pan-americanista fracassou porque houve a oposição dos Estados Unidos e Inglaterra. Estes não viam com bons olhos o surgimento de um Estado assim tão grande e forte, capaz de se opor a eles.

Também o Brasil sequer compareceu ao Congresso do Panamá, posto que era governado por um monarca. As ideias republicanas não eram bem-vistas pelo Império Brasileiro, principalmente a abolição da escravatura.

Também ficaram de fora Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai e Haiti, que não se interessaram pela proposta. Com poucos países aliados, ficou inviável a criação da superpotência imaginada por Bolívar.

É bem interessante saber desse Congresso do Panamá, concorda? Então leia também sobre a Guerra Cisplatina: o conflito que ninguém venceu ou perdeu.

Fonte: Wikipédia, Mundo Educação, Resumo Escolar, Descomplica, Infopédia, Redalyc, Passagens, Aprova ConcursosSeu History.

Fonte das imagens: TrotamundusMPPRI, Emaze, Geobau.