História

Carta de Pero Vaz de Caminha, o que dizia relato da descoberta da Brasil?

A Carta de Pero Vaz de Caminha é considerada a certidão de nascimento do Brasil, uma vez que ela é o relato da chegada dos portugueses no Novo Mundo.

Atualizado em 08/11/2019

A denominada Carta de Pero Vaz de Caminha foi um documento redigido por escrivão da esquadra de Cabral. Também chamada de Carta a el-Rei Dom Manoel sobre o achamento do Brasil, ela é de autoria de Pero Vaz de Caminha.

Com o próprio nome indica, ali há a narração da descoberta do Brasil. É um forte relato sobre a impressão que Caminha teve nesse primeiro contato com a nova terra.

Ela foi redigida no dia 1.º de maio de 1500, em Porto Seguro na Bahia, posteriormente levada a Lisboa por Gaspar de Lemos.

A Composição da Carta de Pero Vaz de Caminha

Conheça a Carta de Pero Vaz de Caminha: relato da descoberta da Brasil

A Carta de Pero Vaz de Caminha começa num processo epistolar de costume. Ela reverencia o Rei Dom Manuel I, posto que seguia o protocolo regulamentar. Só que, daí em diante, a carta segue sem mais rodeios como um diário de viagem comum.

Ela foi escrita em sete folhas e usou a conotação fonética das marcas ortográficas. Esse era o estilo empregado nos textos portugueses até o século XV. Outro destaque é a periodização, posto que dá ao texto boa organização. O ordenamento cronológico também ajuda bastante.

Uma curiosidade é a pontuação do texto, certamente que visando segurar a atenção de um possível leitor. Outro efeito obtido é facilidade na leitura das frases, conquanto torna gostoso ler a carta como um todo.

Um documento desaparecido

A Carta de Pero Vaz de Caminha foi redigida no século XVI, entretanto ficou sumida por dois séculos. Até que o administrador da Torre do Tombo, que é o Arquivo Público de Portugal, a encontrou.

Conheça a Carta de Pero Vaz de Caminha: relato da descoberta da Brasil

Apesar de ter sido escrita no século XVI, a Carta foi descoberta muitos anos depois, no século XVIII por José de Seabra da Silva (1732-1813). Ele era estadista, ministro e guarda-mor da Torre do Tombo.

Sua aparição oficial e acadêmica é obra do filósofo e historiador espanhol Juan Bautista Munoz. Já no Brasil ela foi publicada na Corografia Brasílica, no Padre Manuel Aires (1817).

A Carta de Pero Vaz de Caminha é lembrada como o primeiro documento escrito no Brasil. Por tal razão é um marco da literatura nacional. O texto integra a primeira manifestação literária que faz parte do Movimento do Quinhentismo.

O que há na Carta de Caminha?

A respeito do seu conteúdo, trata-se de uma carta escrita para o Rei, visando a comunicação do descobrimento da terra. Dá para notar um certo deslumbre seu, que também é o do europeu em geral, em relação ao Novo Mundo.

Ali há a descrição do que ele viu neste território que, no futuro, se chamaria Brasil. Deixou documentada a paisagem do litoral por onde passaram, como também o desembarque na praia. Relata ali o encontro inicial com os nativos e os portugueses, além da primeira missa celebrada.

Um trecho da Carta de Pero Vaz de Caminha

O documento é longo, só que a descrição deslumbrante dos nativos é fascinante. Dá igualmente para vislumbrar a reação dos habitantes diante daquela visita inesperada. Eles possivelmente pensavam igual os portugueses, só que de modo contrário.

Disse o escrivão da frota:

Conheça a Carta de Pero Vaz de Caminha: relato da descoberta da Brasil

Leia também sobre Pero Vaz de Caminha, quem foi o narrador da descoberta do Brasil?

Fonte: Wikipédia, Educação, Biblio, Info Escola, Só História, Português, Docente, Escola Kids, Todo Estudo, Passei Web, EBC.

Fonte das imagens: Jornal Grande Bahia, Turismo MilitarSlide Player, História Brasil.