História

Você sabia que a Ciência da Geografia nasceu com os gregos?

A Ciência da Geografia foi criada pelos gregos: Tales de Mileto, Hiparco, Heródoto, Eratóstenes, Aristóteles, Estrabão e Ptolomeu.

Atualizado em 23/10/2018

A Ciência da Geografia foi criada pelos gregos, destacando-se Tales de Mileto, Hiparco, Heródoto, Eratóstenes, Aristóteles, Estrabão e Ptolomeu.

Durante a Idade Média, árabes como Edrisi, Ibn Battuta e Ibn Khaldun desenvolveram a ciência, mas sempre se baseando nos conhecimentos gregos. Também deve ser ressaltado as viagens de Marco Polo, que despertaram o interesse pela Geografia na Europa.

Durante a Renascença e ao longo dos séculos XVI e XVII, as grandes viagens de exploração mostraram a necessidade de informações geográficas mais detalhadas e precisas. A Geographia Generalis, de Bernardo Varenius, e o mapa-múndi de Gerard Mercator são exemplos importantes disso.

Mas foi durante o século XVIII que a Geografia teve seu reconhecimento como disciplina e se tornou parte dos currículos universitários. Há uma ligação entre a Geografia, a Geologia e a Botânica.

Quatro fases de evolução da Geografia

Durante os séculos XIX e XX, a Ciência da Geografia enquanto disciplina passou por quatro fases importantes: determinismo geográfico, geografia regional, revolução quantitativa e geografia radical.

O determinismo geográfico pregava que as características dos povos se devem à influência do meio natural. Deterministas proeminentes foram Carl Ritter, Ellen Churchill Semple e Ellsworth Huntington. Hipóteses populares como “o calor torna os habitantes dos trópicos preguiçosos” e “mudanças frequentes na pressão barométrica tornam os habitantes das latitudes médias mais inteligentes” eram assim defendidas e fundamentadas.

A Geografia Regional representou a reafirmação de que os aspectos próprios da Geografia eram o espaço e os lugares. Os geógrafos regionais se dedicaram a recolher informação descritiva sobre lugares e os métodos mais adequados para dividir a Terra em regiões. Suas bases filosóficas foram desenvolvidas por Vidal de La Blache e Richard Hartshorne.

A revolução quantitativa foi a tentativa se redefinir a Ciência da Geografia, no renascer do interesse que se seguiu ao lançamento do Sputnik, expedição que enviou o primeiro satélite artificial da Terra. Os revolucionários quantitativos ou “cadetes espaciais”, diziam que o fim da Geografia era o de testar as leis gerais do arranjo espacial dos fenômenos. Adotaram a filosofia do positivismo das ciências naturais e se voltaram para a Matemática como uma forma de provar hipóteses.

A Geografia Radical surgiu como uma crítica ao positivismo. O primeiro sinal do surgimento da Geografia Radical foi a Geografia Humanista. Mais influente foi a Geografia Marxista, que aplicou as teorias sociais de Karl Marx e de seus seguidores aos fenômenos geográficos.

A Geografia nos dias atuais

Nos dias atuais ainda restam muitos lugares inexplorados na Terra, como a profundeza dos oceanos e o subsolo das geleiras. Mas o Google Earth já conseguiu mapear todos os países do mundo.

E se hoje as distâncias geográficas são diminutas, tudo se deve ao gregos, que foram os primeiros a considerarem a Geografia como ciência.

Achou interessante saber mais sobre a Geografia? Então você certamente gostará de entender o que são as bacias sedimentares e como elas contam o passado da terra.

Fontes: Info Escola, Mundo Educação,Brasil Escola.