Língua Portuguesa

Variação linguística – Definição, tipos, exemplos e contexto social

Variação linguística é um sistema de alterações no idioma que os falantes fazem para se comunicar com mais eficiência. Confira os fatores determinantes.

Atualizado em 19/09/2019
Por Emilly Viana

A variação linguística é uma diversificação comum da língua, na qual seus falantes realizam alterações segundo suas necessidades de comunicação. Ela ocorre porque as línguas são dinâmicas e sensíveis a fatores como a região geográfica, o sexo, a idade, a classe social do falante e o grau de formalidade da situação.

Dessa forma, variações linguísticas surgem e apresentam diferentes características, sejam elas históricas, sociais, culturais e geográficas. Como um país extenso e de origem miscigenada, o Brasil apresenta variações linguísticas que podem ser observadas na língua falada por seus nativos. Ou seja, o português que é falado no Nordeste brasileiro pode ser diferente do português falado no Sul do país.

Assim, os diferentes falares devem ser considerados como variações, e não como erros. A seguir, você confere alguns tipos de variação linguística e como cada um ocorre na prática.

Tipos de variação linguística

Variações diafásicas

Como a maioria das variações, as diafásicas dependem do contexto no qual a situação comunicativa está inserida. A diferença é que, neste tipo de variação, a ocasião é o elemento central.

Isso significa que ela é a responsável por determinar o modo com o qual iremos nos comunicar com o interlocutor. Dessa forma, ela pode ser formal e informal.

Variação linguística - definição, tipos, exemplos e contexto social
In Learning

No caso da linguagem formal, também conhecida por culta, é preciso adotar as normas da língua. Sendo assim, é natural que tal formalidade seja utilizadas em situações comunicativas como palestras e reuniões empresarias.

Sobretudo, a linguagem formal é utilizada quando há pouca ou nenhuma familiaridade entre os falantes. Além disso, situações de maior elegância também pedem o uso formal da língua.

Em contrapartida, em situações descontraídas, o interlocutor pode usar a linguagem informal. Certamente em encontro de amigos e reuniões de famílias, não é necessário fazer uso de 100% da gramática normativa para ser compreendido ou ter boa aceitação social.

Nestes momentos, é comum haver familiaridade entre os ouvintes da comunicação.

Variações Históricas

Variação linguística - definição, tipos, exemplos e contexto social
Cena da telenovela Escrava Isaura, produzida pela Tv Record em 2004 – Fonte: Alto Astral

Com o tempo, é comum que a língua portuguesa mude suas estruturas, simplificando-se ou tornando-se ainda mais complexa de acordo com a modernidade. Isso porque o idioma está movimento, e essa característica faz com que ocorra uma alteração na maneira de escrever e no significado de algumas palavras.

Portanto, variações históricas podem ser observadas a partir de três formas. Em primeiro lugar, nas palavras que deixaram de ser utilizadas com o passar do tempo. Um bom exemplo para ilustrar essa variante é mudança do tratamento “vossa mercê” para você. Atualmente, vossa mercê só aparece mesmo nos vocabulários de séries e novelas de época.

Existem, ainda, variações no vocabulário próprio entre as diferentes faixas de idade, bem como nos acentos gráficos ou grafemas que entraram em desuso. A remoção do uso do “ph” de algumas palavras, como pharmácia, que se tornou farmácia, é um exemplo.

Variações diatópicas

Variação linguística - definição, tipos, exemplos e contexto social
Minas faz ciência infantil

Em suma, as variações diatópicas ocorrem conforme o lugar no qual falante vive ou nasceu. Elas demonstram, especialmente, a diferença entre as falas dos habitantes de diferentes regiões, estados e cidades do país.

Quem é de Minas Gerais, por exemplo, possui suas peculiaridades na língua, com palavras e expressões próprias. Isso o diferencia dos falantes do Rio de Janeiro, que também apresentam suas características de fala.

Com isso, esse tipo de variação acontece pois diferentes regiões têm culturas diversas, com hábitos, modos e tradições distintos. Logo, outras estruturas linguísticas são estabelecidas.

As diferenças podem, inclusive, serem notadas quando se quer chegar a um mesmo conceito. Isso já que é notável a quantidade de palavras diferentes para os mesmos conceitos, ou ainda com diferentes sotaques e redução de palavras.

Deste modo, dependendo da região, o que muitos conhecem por mandioca pode ser ‘aipim’ ou ‘macaxeira’.

Variações diastráticas

Variação linguística - definição, tipos, exemplos e contexto social
JW

As variações diastráticas são determinadas segundo o grupo social em que estão sendo utilizadas. Consequentemente, trata-se de um tipo de variação que ocorre em virtude da convivência entre os grupos sociais, tais como advogados, médicos e surfistas.

Neste contexto, enquanto a gíria é uma variação linguística normalmente relacionada à linguagem de grupos de jovens, o jargão é, em geral, associado à linguagem de grupos profissionais.

Contexto social da variação linguística

 

Variação linguística - definição, tipos, exemplos e contexto social
‘Operários’ (1933), obra de Tarsila do Amaral – Fonte: Editora Contexto

É comum verificar variações de natureza social, seja em nível fonológico ou morfossintático. No primeiro caso, palavras e expressões são ditas de forma incompleta ou reelaborada. Como exemplo, é possível citar o uso de ‘bão’ em vez de ‘bom’.

Já em nível morfossintático não são as palavras que deixam de seguir a norma padrão, mas a estrutura das frases. Neste sentido, um situação cotidiana é ouvir alguém falar “eu vi ela” em vez de “eu a vi”.

Leia também sobre Complemento Verbal – o que é, para que serve e como usar.

Fontes: Brasil Escola, Stoodi, Português

Fonte da imagem de destaque: English Live

Próxima página »