Geografia

Você está vivendo um dos maiores El Niño da história

O fenômeno El Niño de 2015 é um dos maiores da história, desde quando ele é catalogado. Veja os efeitos do fenômeno em cada parte do globo

Atualizado em 08/11/2018

Toda essas reclamações de calor no dia e a dia e nas redes sociais não são sem justificativa. A realidade é que estamos vivenciando um dos mais intensos El Niño da história, pelo menos desde 1950 (quando começaram a registrar os dados) por causa da mudanças climáticas. O monitoramento que confirma essas informações foi feito pelo Apolo 11, que trabalha com imagens obtidas por satélite.

Infelizmente, ainda estamos um pouco longe de se livrar dos efeitos, segundo especialistas da Organização Meteorológica Mundial (OMM) os meses de outubro e janeiro o El Niño possui efeitos mais catastróficos.

O El Niño é entendido como um aquecimento anormal das águas do oceano Pacífico na região tropical. Esse fenômeno pode afetar tanto o clima regional e quanto o global. Os principais efeitos do El Niño são alterações no padrão de vento, o que acaba influenciando os regimes de chuva em regiões tropicais e de latitudes médias.

Veja no vídeo do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais que diferencia El Niño de La Niña:

Efeito Desproporcional

download
Diferença entre El Niño e La Niña

O que é esperado do El Niño são efeitos bastante desproporcionais ao redor do globo. Em algumas áreas, pode ocorrer inundações, por exemplo na América Latina, Ásia, Oceania e África. Porém em outras áreas do globo, os registros são de secas – dentro dos mesmos continentes citados.

Como o El Niño deste ano é diferente?

ElNiño
Veja os efeitos do fenômeno El Niño em cada continente do globo. Fonte: NASA

O que diferencia significativamente o atual El Niño com os do passado, principalmente os ocorridos em 1997 e 1998, é que o fenômeno de 2015 é que a camada de gelo do oceano Ártico está bastante reduzida, foi registrada uma perda de até 1 milhão de km² de superfície de neve no hemisfério Norte.

Segundo o chefe do Programa de Pesquisa do Clima da OMM, David Carlson, “novos padrões foram estabelecidos, e o que acontece agora de inédito é que eles estão coincidindo pela primeira vez com o El Niño”.

Existe fenômeno que causa resfriamento?

Sim e o nome é La Niña, esse fenômeno se caracteriza por acontecer no sentido contrário e causa o esfriamento das águas na superfície de certas regiões do Pacífico. Outro fato incomum é que o fenômeno de esfriamento não acontece desde 1997/1998.

No Brasil

Os efeitos do El Niño em nosso país tende a concentrar chuvas na região Sul e seca na Amazônia oriental e no Nordeste, por conta do enfraquecimento dos ventos alísios que distribuem a umidade. Dessa forma, os riscos de incêndios florestais elevam em partes da Amazônia e as enchentes dominam o cenário no sul do país.