Biografia

Tibério, quem foi? Biografia, reinado e influência no Império Romano

Integrante da dinastia Julio-Claudiana, Tibério foi o segundo imperador de Roma. Ele foi sucessor do seu padrasto, o imperador César Augusto.

Atualizado em 08/09/2020

Tibério Cláudio Nero, mais conhecido como Tibério, foi o segundo imperador de Roma. Nascido na Itália, em 16 de novembro, por volta do ano 42 antes de Cristo, ele fez parte da dinastia Julio-Claudiana. Nesse sentido, foi o sucessor do seu padrasto, o imperador César Augusto.

Seu reinado é repleto de contradições. Apesar de sua inteligência, Tibério deixou ser influenciado pela fama até se encontrar em declínio na carreira política e na vida pessoal. Em outras palavras, ele acabou se envolvendo em conspirações de assassinatos e se afundou em crises de depressão.

Em comparação ao seu antecessor, Tibério era enigmático, sombrio e complexo. Ao contrário, seu padrasto era acessível e carismático. Visto que, os historiadores afirmam que Jesus teria 32 anos quando Tibério governava o Império Romano, ou seja, Cristo foi crucificado durante esse tempo.

Biografia de Tibério

Tibério era filho do magistrado Tibério Cláudio Nero com sua mãe Lívia Drusila. Todavia, quando ele tinha apenas quatro anos de idade, sua mãe se separou de seu pai para casar-se com o imperador Augusto. O seu irmão, Nero Cláudio Druso, ainda estava no ventre de Lívia. Foi assim que ele passou a fazer parte da família imperial.

Imperador Tibério
Paulo Aluísio

Por ter sido criado na carreira militar, Tibério conseguiu apoio popular através de campanhas na Germânia, na Gália e na Armênia. Após isto, casou-se com Vipsânia Agripina, filha de Marco Agripa, general e amigo de Augusto, seu padrasto.

Na mesma época de seu casamento, foi nomeado a pretor, cargo onde exercia diversas funções para o governo romano. Assim, também foi enviado para o comando de campanhas no Ocidente, junto de seu irmão Druso.

Por volta do ano 13 antes de Cristo, Tibério foi promovido a Cônsul, o mais alto cargo político da República romana. Neste mesmo ano, nasceu o seu filho, Júlio César Druso.

Nesse ínterim, o imperador Augusto ordenou que Tibério se separasse de Vipsânia para casar-se com Júlia, sua filha, que havia ficado viúva de Marco Agripa, visto que já era o terceiro casamento da moça.

Há de se lembrar, que Marco era sogro de Tibério, sendo assim, sua nova esposa era, teoricamente, sua sogra.

Isolado na ilha

Após seis anos, Tibério resolveu deixar Júlia em Roma e exilar-se em Rodes, na ilha da Grécia. O motivo seria que ele não conseguia mais suportar a sua nova esposa, como também queria estudar retórica. Além disso, ele tinha acabado de ser nomeado ao posto de tribuno, um título de Oficial Militar na Roma Antiga.

Rodes
Falando de Viagem

Enquanto isso, os netos de Augusto, por parte de Júlia e Agripa, estavam sendo preparados para sucessão do trono. No entanto, todos foram pegos de surpresa com a morte misteriosa deles, sendo Caio César e Lúcio César. Desta forma, Augusto foi obrigado a reconhecer Tibério como o único herdeiro.

Ao voltar da ilha para Roma, Tibério ganhou novas campanhas na Germânia, como também se tornou o segundo homem no poder. Em primeiro, estava o seu padrasto.

Reinado de Tibério

Augusto, o primeiro imperador de Roma, morreu no ano 14. Como ele não tinha filhos, o Senado aprovou a nomeação de Tibério para o Império Romano, assim, ele passou a se chamar Tibério Júlio César Augusto.

No entanto, a natureza instável do novo imperador se revelou, logo após assumir o trono. Ou seja, ele se recusou a entregar uma parte da herança do seu falecido padrasto e os devidos privilégios para sua mãe Lívia.

Império Romano
Ensinar História

Em seu reinado, adotou medidas severas para colocar a economia em ordem, reduzir gastos públicos e realizar uma gestão eficiente. Porém, Tibério perdeu o seu filho Druso no ano 23. Em contrapartida, o acontecido abalou suas emoções de forma tão brusca, que ele começou a tomar decisões comprometedoras.

Diante disso, o novo imperador transferiu seus poderes aos conselheiros, um deles foi Lúcio Sejano, prefeito da guarda Pretoriana. Portanto, a corrupção e a prática de delação tomaram conta do governo, causando sérias consequências.

Por outro lado, houve as ações que marcaram o reinado de Tibério, sendo elas: o exilado da comunidade judaica e o fim das batalhas dos gladiadores.

Influência no Império Romano

Após o aumento da corrupção e os julgamentos por traição, o governo de Tibério entrou em declínio. Por causa da onda de assassinatos de membros da família imperial, ele fugiu para a ilha de Capri no ano 27, onde governava de longe, por meio de seu conselheiro Sejano.

Por muitos anos, Tibério submeteu Roma ao extremo terror, mas o império se tornou sólido e forte. Nesse meio tempo, o imperador adotou Calígula como filho e sucessor do seu reinado.

imperadores de Roma
GGN

Posteriormente, as regiões de Reno se rebelaram contra o reinado de Tibério, preferindo que o sobrinho dele, Germânico, tomasse o trono. Ao passo que, o imperador evitava confronto com o sobrinho, mas este morreu no ano 19, em circunstâncias nunca explicadas. Logo, Tibério foi cogitado como suspeito do crime.

A vida pessoal do imperador entrou nos holofotes, entre sua personalidade e caráter duvidosos, ele ficou paranoico com as conspirações de assassinatos. Como resultado, foi acusado de matar muitas pessoas, dentre elas: Agripina, a viúva de Germânico e os seus dois filhos mais velhos, Nero e Druso César.

Por fim, em seus últimos dez anos, viveu em sua Vila em Capri, morrendo aos poucos de causas naturais. O Império Romano foi herdado pelo seu sobrinho-neto, Calígula e seu neto Tibério Gemelo. Logo depois, Calígula mandou matar o primo, e tornando-se o único imperador romano.

Tibério faleceu no dia 16 de março do ano 37,em Miseno na Itália, durante uma de suas viagens ao continente.

O que achou da matéria? Se gostou, confira também: Augusto, quem foi? Biografia, ascensão ao poder e Império Romano

Fontes: ebiografia, InfoEscola e Portal São Francisco

Imagens: GGN, Paulo Aluísio, Falando de Viagem, Ensinar História e InfoEscola