Língua Portuguesa

Semântica, o que é? Conceito, características e exemplos de uso

A semântica é caracterizada como o estudo do significado de palavras, sinais, símbolos, etc, representada através da linguagem e escrita.

Atualizado em 04/08/2020

A Língua Portuguesa é um dos idiomas mais complexos, antes de mais nada, por causa da sua origem. A princípio, foram pensadas diversas regras e acordos que buscam aperfeiçoar essa linguagem, como no caso da semântica. De forma geral, a ela é responsável por refletir o significado das palavras na Língua Portuguesa.

Em síntese, esse campo busca atualizar a linguagem para a escrita e fala, criando novas perspectivas para o enriquecimento do idioma. Ou seja, o estudo da semântica está relacionado ao sentido da mensagem transmitida.

Categorias da semântica

Os principais conceitos de estudo da semântica estão divididos em 10 categorias de atuação. Em suma, essas categorias permitem dinamizar o entendimento dos significados das palavras.

Denotação e Conotação: 

A denotação está relacionada ao ato de usar a palavra partindo do seu sentido literal. Ainda mais que o seu significado, que tende a apresentar o sentido real.

  • A série The Crown retrata a realidade da Monarquia Britânica.

A conotação é mais voltada para o sentido figurativo.

  • A série The Crown retrata a Monarquia Britânica de maneira nua e crua. 
Semântica, o que é? Conceito e exemplos de uso
Série The Crown produzida pela Netflix. Fonte: Poltrona Nerd

Neste caso, as palavras nua e crua foram utilizadas, pois estão relacionadas ao ato de ser transparente.

Sinonímia e Antonímia: 

Sinonímia é o ato de analisar as palavras sinônimas. Em síntese, são aquelas que possuem significado ou sentido semelhante.

  • A escravidão no Brasil causou danos irreparáveis,  sendo assim, toda população negra no país sofreu.

No caso do exemplo citado acima, a palavra irreparáveis pode ser trocada por outras com o mesmo sentido ou sufixo. Portanto, poderia ser substituída por irremediáveis, insupríveis e irrecuperáveis.

Semântica, o que é? Conceito e exemplos de uso
Nesse caso a Mafalda questiona o amigo sobre o que eles vão ser quando crescer, embora se houver uma guerra elas não vão crescer. Fonte: Pinterest

Por outro lado, a antonímia busca compreender o significado de palavras semelhantes na língua, especialmente, quando elas possuem ação contrária da definição.

  • O menino deitou na cama.
  • O menino levantou da cama.

O exemplo citado acima demostra como funciona a antonímia, que é essa oposição. Dessa forma, o verbo deitou foi substituído por levantou. Ou seja, houve a contraposição entre as palavras e mudança no significado das frases.

 Hiperônimo e Hipônimo

O Hiperônimo pode ser conceituado como o estudo dos significados mais abrangentes das palavras, junto à sua versão mais genérica.

  • Carne é Hiperônimo de proteínas de origem animal.

O Hipônimo é feito de palavras que possuem sentidos específicos. Além disso, possuem o mesmo ponto de vista, sendo ligadas por meio de características próprias.

  • Moletom e bermuda são Hipônimos de roupas.

Paronímia

A Paronímia classifica palavras que possuem significados diferentes. No entanto, elas se parecem, na pronúncia e na escrita.

  •  “Descriminar” e “Discriminar” ou “Tráfico” e “Trafego”.

Polissemia 

Semântica, o que é? Conceito e exemplos de usos
Quadrinho do Armadinho apresentando o uso da polissemia. Fonte: Centro de Mídias

O sufixo Poli traz o sentido de “muitos”. Assim, essa categoria se chama Polissemia. Ou seja, representa as palavras com muitos sentidos.

  • Banco:

1. Assento.

2. Instituição que guarda dinheiro.

3. Ajudar alguém financeiramente.

Ambiguidade

A Ambiguidade é um dos estudos mais populares e classifica as palavras que possuem dois sentidos. Por isso, ela é bastante usada indevidamente quando há pronomes possessivos.

  • O irmão pediu para irmã colocar uma foto na parede.

Partindo disso, surgem questionamentos, como “qual foto?”; “foto do irmão ou da irmã?”

Essas são as principais categorias do campo de estudo da semântica. Sob o mesmo ponto de vista, elas estão cada vez mais presentes na atualização e na otimização da língua portuguesa, contribuindo para regras e acordos ortográficos.

Por fim, os sistemas de signos convencionais são regidos por essas regras de organização. Portanto, representam normas gramaticais.

Gostou de conhecer sobre semântica? Que tal da uma aprofundada no assunto e conheça Sintaxe, o que é? Conheça a forma, função e exemplos.

Fonte: Brasil Escola, Toda Matéria e Educa Mais Brasil.

Imagem: Comunicando, Poltrona NerdPinterestCanal Educação