História

Século das luzes – O que foi o iluminismo e sua principal obra

O Século das Luzes é um nome que se refere à razão sendo uma luz para alcançar o conhecimento e compreender o mundo.

Atualizado em 31/05/2020

O século das luzes, ou Iluminismo, consiste na ruptura das ideias obscurantistas para um período de evolução científica e do pensamento. É, sobretudo, a transição das pesquisas teológicas para a ciência e a filosofia. Os interesses no desenvolvimento tecnológico são, principalmente, vindas da monarquia.

Esse movimento foi implantado pelos próprios iluministas antes da Revolução Francesa. Em contraposição a algumas monarquias e a fé absoluta das igrejas o século das luzes caracteriza a abertura das ideias no campos não só da ciência, mas também da literatura.

O século das luzes e a luz do saber

Século das luzes - O iluminismo
Fonte: História de Tudo

A princípio, a Idade Média teve o seu final com a chegada do Iluminismo. O ápice do novo pensamento pós-moderno veio no século XVIII, conhecido com século das luzes. René Descartes, filosofo e físico da Idade Moderna, previu a quebra do pensamento pautado pela teologia afirmando que era necessário questionar todas as coisas.

O conhecimento racional se tornou centro das investigações científicas. Assim, para fazer acontecer a expansão do conhecimento, a junção das escolas filosóficas, sociais e políticas proporcionou essa mudança tão necessário para a evolução dos sistemas da época.

Para os estudiosos, tudo deveria ser questionado no ser humano. Entre as críticas, as principais a serem levantadas foram o poder absoluto do clero, da monarquia e o mercantilismo. Para destacar os pensadores desse período os teóricos políticos Thomas Hobbes e John Locke foram importantes para evolução no Iluminismo.

O século das luzes se adaptou a bases de experimentações científicas determinas por Francis Bacon (1561-1626). Para o estudioso nada que não pudesse ser comprovado através do cinco sentidos seria, portanto, descartado, porque se tornou irrelevante para a ciência.

Século das luzes - O iluminismo
Da esquerda para à direita, os pensadores precursores do iluminismo: René Descartes, Francis Bacon, John Locke e Isaac Newton – Fonte: História do Mundo

A princípio, Jonh Locke defendia a ideia de todos os homens já nasciam, em sua essência, provido de direitos. Essa ideia, ainda que no mesmo período de Descartes, gerou muitas discussões. O próprio Descartes se opôs a teoria de Locke, afirmando que o homem, na entanto, nasce sem nada concebido.

A economia no séculos das luzes

Século das luzes - O iluminismo
Criadores da enciclopédia Diderot e D’Alembert – Fonte: Adm na história

Por sim, o avanço das ideia iluministas fez com que houve a modificação da política para um modo liberalista. Com isso, a economia, sobretudo, se impactou, porque os pensadores defendiam que o mercado deveria ditar as rotas econômicas. O contrário do que vinha sendo feito, onde a monarquia ditava o mercado.

Foram também através desses pensamentos modernos e com a influência da moral vinda da Revolução Francesa que se dissolveu atos de preconceito. Muitos políticos iluministas decidiram, por exemplo, adotar a abolição da escravidão de negros e indígenas.

No Brasil, sobretudo, as mudanças vieram com a nomeação de Marquês de Pombal. A sua estadia no governo português foi o primeiro passo para destruir as capitanias hereditárias e, portanto, barrar as rotas dos navios negreiros. Isso não mudou completamente o pensamento das pessoas, mas foi um passo para a história humana.

Leia também sobre o Renascimento: o que foi, quando e onde ele surgiu?

Fontes: Descomplica, Conceitos, Alunos Online. Editora Reflexão, Toda Matéria, História do Mundo.

Fontes imagens: Adm na história, História do mundo, História de tudo,

Imagem destacada: Imagohistória