História

Sabinada: o conflito que pretendia criar a República Baiana

A Sabinada foi uma revoltar contra o Governo Regencial, mas não separatista. Pretendia criar a República Baiana até a maioridade apenas.

Por Adriano Curado

-

A Sabinada foi uma revolta dos militares e da classe média e rica da Bahia, entre os anos de 1837 e 1838.

Teve esse nome porque seu líder foi o jornalista e médico Francisco Sabino Álvares da Rocha Vieira.

Dela participaram profissionais liberais, comerciantes e funcionários públicos, que estavam insatisfeitos com o Governo Regencial.

Quais os motivos da Sabinada

As principais causas da revolta foram:

  • o desagrado da falta de autonomia política e administrativa da província
  • a ilegitimidade do Governo Regencial
  • o recrutamento obrigatório dos baianos para a Guerra dos Farrapos.

Suas características principais

A Sabinada foi outra rebelião do Período Regencial, assim como a Balaiada (Maranhão), a Cabanagem (Pará) e a Farroupilha (Rio Grande do Sul).

A diferença é que não visava o separatismo. Tencionava criar uma República Baiana até que D. Pedro II alcançasse a maioridade.

A Sabinada não queria a Abolição da Escravatura, pois tencionava obter o apoio das elites escravocratas, o que não ocorreu. Nem teve a adesão dos escravos, pois não concordaram em lutar.

Pois isso, o levante contou com a adesão das camadas médias urbanas, principalmente oficiais militares, funcionários públicos, profissionais liberais, comerciantes, artesãos e uma parcela das camadas mais pobres da população.

A revolta recebeu adesão de muitos militares

Era o dia 7 de novembro de 1837, quando um grupo de revoltosos comandados por Francisco Sabino se rebelou em Salvador. As tropas do Forte de São Pedro aderiram ao movimento e auxiliaram na conquista da cidade.

Após tomarem a Câmara Municipal, Sabino foi nomeado secretário de governo da República Bahiana. Daniel Gomes de Freitas foi indicado para Ministro da Guerra e Manoel Pedro de Freitas Guimarães, para Ministro da Marinha.

A Sabinada foi uma revolta que pretendia criar a República Baiana

No breve espaço de quatro meses, os revoltosos conquistaram os quartéis militares de Salvador. Chegaram até a criar uma bandeira.

O contra-ataque do Governo Regencial

No Recôncavo Baiano, as forças legalistas se organizavam para o contra-ataque. E no dia 16 de março de 1838, começa a ofensiva regencial.

Houve o bloqueio terrestre e marítimo da cidade. Com Salvador sitiada, a população saiu em massa e esvaziou a cidade, que foi logo reconquistada.

O movimento foi duramente reprimido. Mais de 2 mil pessoas morreram e 3 mil foram presas. Os líderes foram condenados à pena de morte, à prisão perpétua ou ao degredo.

Assim, em março de 1838 a rebelião chegou ao fim.

Curiosidades sobre a Sabinada

Durante a Sabinada, na ata lavrada na sessão extraordinária da Câmara Municipal, foi declarada a Bahia “inteira e perfeitamente desligada do governo denominado central do Rio de Janeiro”.

Francisco Sabino, o líder principal da revolta, não foi executado. Após ser julgado, foi condenado ao desterro e morreu de malária, em 1846, na Fazenda Jacobina, na então Província do Mato Grosso.

Você gostou de conhecer a Sabinada? Então não deixe de ler também sobre a Cabanagem, outra revolta ocorrida no Período Regencial.

Fonte: Sua Pesquisa, Toda Matéria, Info Escola, Brasil Escola, Historiazine, Estudo Kids.

Próxima página »