História

Renascimento: o que foi, quando e onde ele surgiu?

O Renascimento foi um movimento que modificou totalmente o modo medieval de viver e que revolucionou o mundo em todos os sentidos, criando grandes homens.

Atualizado em 06/11/2018

O Renascimento (ou Renascença ou Renascentismo) foi um movimento iniciado na Itália e difundido pela Europa entre os séculos XV e XVI. Foi caracterizado pela crítica aos valores medievais e pela revalorização dos valores da antiguidade clássica, ou greco-romana.

Na italiana cidade de Florença os textos clássicos da Grécia e de Roma passaram a ser estudados e as ideias renascentistas logo se difundiram pela Europa.

O berço esplêndido do Renascimento Itália no século XV

O berço do Renascimento foi a Itália do século XV, onde havia desenvolvimento comercial por conta do monopólio do comércio no Mar Mediterrâneo.

Havia ali também uma rica burguesia comercial que estimulava o consumo e disseminava a ideia do luxo e da opulência, além de praticar o mecenato (financiamento de artistas).

A Renascença surge com ideias inovadora

Os adeptos dessa nova corrente não reconheciam Deus como o centro de tudo e pregavam uma nova ordem de valores.

Os principais aspectos do Renascimento foram:

  • o racionalismo: abandono do mundo sobrenatural;
  • o antropocentrismo: o homem é o centro de tudo;
  • o universalismo: a descoberta do mundo;
  • o naturalismo: acentuando o papel da natureza;
  • o individualismo: valorizando o talento e o trabalho;
  • o humanismo.

No Renascimento foram desenvolvidas as artes plásticas, a literatura e os fundamentos da ciência moderna.

A sabedoria do humanista na propagação das novas ideias

O humanista era um sábio que criticava os valores medievais e pregava fervoroso uma nova ordem de ideias. Ela dava valor ao progresso e queria mudar o mundo através da educação. Foi o humanista que divulgou o Renascimento pela Europa.

E o humanista teve uma ajuda enorme em sua missão: a invenção da impressão pelo alemão Johan Gutemberg.

A Renascença e artes plásticas

As obras renascentistas prezavam o naturalismo e retratam o dinamismo comercial do período. São grandes destaques  Giotto ( 1276/1336 ), Botticelli ( 1444/1510 ) e Leonardo da Vinci (1452/1519).

E deve ser ressaltado ainda a pintura da nova Basílica de São Pedro feita por Rafael Sânzio e Michelângelo ( 1475/1564 ), este último foi também o grande escultor da Renascença.

Os novos tempos da literatura

Por conta da invenção de Gutemberg, os livros que antes eram manuscritos e restritos, ficaram mais acessíveis e se popularizaram.

Destaque para os autores: Dante Alighieri (A Divina Comédia), Francesco Petrarca (África) e Giovanni Boccaccio (Decameron).

Na Itália, Maquiavel (O Príncipe) e Campanella (A Cidade do Sol). Na França, Rabelais (Gargântua e Pantagruel) e Montaigne (Ensaios). Na Holanda, Erasmo de Roterdan (O Elogio da Loucura). Na Inglaterra, Thomas Morus (Utopia e Shakespeare).

Na Espanha, Miguel de Cervantes (Dom Quixote de la Mancha.) Em Portugal, Camões (Os Lusíadas).

Ciência Moderna

Houve a valorização da matemática, da experimentação e da observação da natureza. Tais procedimentos inauguraram a ciência moderna. E entre os principais nomes estão: Nicolau Copérnico (o sol é o centro do universo) e Galileu Galilei (fundou a ciência moderna).

Crise do Renascimento

O Renascimento entrou em decadência após a perda de prestígio econômico das cidades italianas. É que as Grandes Navegações mudaram o eixo econômico do Mediterrâneo para o Atlântico. Também foi atingido pela contrarreforma da Igreja Católica, que limitou a liberdade de expressão.

Não foi interessante saber sobre o Renascimento e como ele modificou o mundo? Então certamente que você gostará de conhecer o Iluminismo e suas ideias revolucionárias.

Fonte: Toda Matéria, Só História, Info Escola, Mundo Vestibular, Sua Pesquisa.