História

Quais os motivos que levaram a China às Guerras do Ópio?

As duas Guerras do Ópio enfraqueceram a China e impuseram a abertura de seus portos, além do livre comércio da droga, que já viciava boa parte da população.

Atualizado em 08/01/2019

As Guerras do Ópio ocorreram na China no século XIX entre o Ocidente e a Dinastia Qing.

O primeiro conflito ocorreu nos anos de 1839 a 1824 entre a China e Grã-Bretanha. Já a segundo se deu entre 1856 e 1860 com China, Grã-Bretanha e França.

A China perdeu as duas guerras e teve que assinar tratados fazendo muitas concessões aos vitoriosos.

O ópio é uma droga extraída da papoula, com propriedades entorpecentes e que vicia rapidamente.

Você sabe os motivos que levram a China às duas Guerras do Ópio?

Contexto Histórico

No século XIX, o consumo de ópio na China havia se tornado um problema social grave, por causa de falta de mão de obra.

O vício nessa droga já abalava a economia do país e levava ao caos social. Era preciso agir logo para consertar isso.

Quem dominava o mercado mundial de ópio eram os ingleses, que contrabandeavam o produto e o revendiam com bom lucro.

Em 1839, o governo chinês então decidiu radicalizar ao apreender mais de uma tonelada da droga e, logo após, destruir tudo.

Posteriormente, marinheiros britânicos bêbados mataram um chinês e a China expulsou da cidade todo cidadão da Inglaterra.

Esses atos desencadearam a Primeira Guerra do Ópio.

A Primeira Guerra do Ópio (1839-1842)

A Grã-Bretanha então declarou guerra à China e essa foi a Primeira Guerra do Ópio (1839-1842). Foi enviada uma frota de 16 modernos navios de guerra britânicos, todos de aço e movidos a vapor.

Facilmente a Marinha Real destruiu os barcos à vela da China, tomou a cidade de Nanquim e isolou Pequim.

Você sabe os motivos que levram a China às duas Guerras do Ópio?

A China então foi forçada a assinar o Tratado de Nanquim, que impunha pesadas cláusulas. Foram abertos os portos, pagou-se robusta indenização de guerra e ainda a Ilha de Hong Kong passou para o domínio inglês.

A Segunda Guerra do Ópio (1856-1860)

Apesar da assinatura do tratado de paz, o clima na China continuava tenso. Em 1956, tropas chinesas invadiram um navio inglês que prendera tripulantes chineses.

Um navio da Grã-Bretanha que estava nas redondezas desferiu forte ataque a Canton, logo depois soldados dos dois lados entraram em conflito.

Você sabe os motivos que levram a China às duas Guerras do Ópio?

Os chineses atearam fogo em fábricas e armazéns comerciais ingleses e ainda assassinaram um missionário francês. Por conta disso, a França se uniu aos ingleses nas operações militares.

Enfraquecida e com exército menor, a China foi novamente derrotada e foi forçada a assinar o Tratado de Tianjin.

Impôs-se que novos portos fossem abertos ao comércio do ópio e que traficantes e missionários estrangeiros circulassem livremente. E além disso, a China pagou outra vultuosa indenização de guerra à Inglaterra e França.

Você sabia?

A Inglaterra somente devolveu a Ilha de Hong Kong para a China em 1997.

A Dinastia Qing saiu enfraquecida das Guerras do Ópio, mas ainda assim administrou a China até 1912.

É interessantíssimo conhecer algo mais sobre as Guerras do Ópio, não é mesmo? Leia igualmente uma curiosa matéria sobre como a Revolução Meiji transformou o Japão numa potência mundial.

Fonte: Sua Pesquisa, Info Escola, Só História, Toda Matéria, Históriazine, Infopédia, Brasil Escola, Carta Educação.