Biologia

Pluricelulares, o que são? Definição, característica, surgimento e exemplos

Pluricelulares são organismos formados por várias células. Possuem reprodução sexuada ou assexuada e podem ser autotróficos ou heterotróficos.

Atualizado em 15/07/2020

Os organismos pluricelulares, também chamados de multicelulares, são aqueles formados por mais de uma célula. As células são fundamentais para a formação e estruturação dos seres vivos. Ou seja, um ser vivo não consegue exercer atividades vitais sem a presença de uma célula.

As células presentes nos seres multicelulares apresentam estrutura complexa e atuam de forma conjunta para manter o funcionamento do corpo em equilíbrio. Assim, um grupo de células formam os tipos de tecidos, que formam os órgãos e depois os sistemas do corpo. Cada parte desempenha uma função específica.

Os organismos multicelulares, então, compõem os seres vivos do reino Animalia e do reino Plantae. Além disso, parte do reino Fungi também é composta por organismos que possuem mais de uma célula. Não se sabe ao certo como os seres multicelulares surgiram. Entretanto, existem algumas teorias que tentam explicar como ocorreu o processo evolutivo das células.

Características dos seres pluricelulares

Os organismos pluricelulares são formados por uma grande quantidade de células. São diferentes, por exemplo, dos seres unicelulares, que são formados apenas por uma única célula. Dessa forma, por conta da variedade celular, os seres multicelulares apresentam maior complexidade em relação à estrutura.

As células que compõem os organismos multicelulares trabalham de forma conjunta para que o funcionamento do corpo se mantenha em equilíbrio. Os multicelulares, assim como ocorre com os organismos unicelulares, podem se reproduzir de forma sexuada ou assexuada. 

Pluricelulares, o que são? Definição, característica, surgimento e exemplos
O ser humano realiza o tipo de reprodução sexuada

Ou seja, a reprodução assexuada ocorre por meio da fragmentação, multiplicação vegetativa, partenogênese, esporulação, estrobilização e brotamento. Já na reprodução sexuada, os gametas masculino e feminino se unem e ocorre o processo de fecundação. Sendo assim, os seres pluricelulares apresentam ciclo de vida com nascimento, crescimento, reprodução e morte.

Alimentação dos multicelulares

Os organismos multicelulares podem ser autotróficos ou heterotróficos. Os seres autotróficos são aqueles que produzem o próprio alimento por meio de processos naturais, como a fotossíntese e quimiossíntese. Neste caso, as plantas são um exemplo de seres multicelulares autotróficos.

Pluricelulares, o que são? Definição, característica, surgimento e exemplos
As plantas são organismos pluricelulares que se alimentam por fotossíntese

Já os seres heterotróficos são aqueles que não produzem o próprio alimento e dependem dos seres autotróficos para produção de energia. Os animais, por exemplo, fazem parte do grupo dos multicelulares heterotróficos.

Origem dos pluricelulares

A origem dos seres pluricelulares ainda gera muitas dúvidas. Isso porque os estudiosos não sabem exatamente quando esses organismos começaram a existir. Acredita-se que a evolução dos organismos unicelulares tenha contribuído para o surgimento dos organismos multicelulares.

Pluricelulares, o que são? Definição, característica, surgimento e exemplos
O reino vegetal é formado por organismos pluricelulares

Ou seja, com a reprodução sexuada, vários organismos foram criados ocasionando na diversificação das espécies e na variabilidade genética. Dessa forma, alguns cientistas acreditam que o surgimento dos seres composto por várias células tenha ocorrido no fundo dos oceanos, mais ou menos, há 600 – 900 milhões de anos, ainda no período pré-cambriano. 

Apesar do surgimento dos multicelulares gerar dúvidas, existem teorias que tentam explicar como tudo começou. Assim, são teorias que mudam, apenas, o organismo ancestral e tratam das linhagens dos seres vivos.

Teorias evolutivas dos multicelulares

Existem três teorias que explicam como os multicelulares surgiram. A primeira, denominada Teoria Colonial, explica que os organismos pluricelulares surgiram de uma colônia de células. Neste caso, cada célula teria se especializado em alguma função para, juntas, proporcionarem a estrutura e funcionamento de um ser vivo. Inclusive, é a teoria aceita atualmente.

Pluricelulares, o que são? Definição, característica, surgimento e exemplos
Colônia de células

Outra teoria sobre o surgimento dos pluricelulares é a Teoria Sindical, também chamada de celularização. De acordo com essa teoria, os multicelulares teriam surgido a partir do desenvolvimento de uma membrana interna em seres unicelulares com vários núcleos. Entretanto, essa teoria não é comprovada, já que não existem indícios de formação pluricelular a partir de organismos que possuem múltiplos núcleos (sincício).

A terceira e última teoria é a chamada Teoria Simbiótica. Nessa teoria, os organismos pluricelulares se originaram do processo de simbiose entre os organismos protistas. Em síntese, as características dessa teoria se assemelham à Teoria Colonial. O único aspecto diferente é o organismo ancestral, que pertence a espécies diferentes.

O que achou da matéria? Se gostou, confira também qual a função do Cortisol no organismo e quais as características dos Carboidratos.

Fontes: Info Escola, Infopedia, Universidade das crianças e Conceito 

Imagens: Quero Bolsa, Estudo Prático, Mestre sabe, SinapseResearch Gate

Por <a href='https://conhecimentocientifico.r7.com/author/dayane/' rel='dofollow' class='dim-on-hover'>Dayane Borges</a>
Por Dayane Borges
Jornalista e redatora com experiência em escrita criativa, adequação e produção de conteúdos multimídia para a web.