Fauna

Pesquisadores descobrem ursos polares geneticamente idênticos

Seria possível animais geneticamente idênticos? Seria sim, veja o caso dos ursos polares descobertos no Canadá

Atualizado em 23/12/2015

O natal está quase chegando e, os ursos polares são lembrados por muitas pessoas nessa data do ano. Uma universidade do Canadá divulgou recentemente uma pesquisa, no campo da genética, que pode influenciar um pouco os rumos das pesquisas sobre a vida.

De acordo com pesquisadores, depois de analisar ursos polares que vivem na Western Hudson Bay, detectaram um par de gêmeos geneticamente idênticos – o primeiro caso já registrado em qualquer espécie de urso.

O que se sabe é que geralmente nascem dois ou três filhos de ursos por barrigada. Assim como outros “gêmeos” no mundo animal, os cientistas esperavam que apesar de serem irmãs os filhotes de ursos tinham informações genéticas diferentes.

Apesar disso, depois de analisar os DNA’s de 4.449 ursos, coletados em diferentes temporalidades e gerações – mais precisamente entre 1966 e 2011 – a equipe de pesquisadores de genética descobriu um fato curioso nos ursos analisados: um par de gêmeos monozigóticos.

Além da semelhança genética, o que mais sai do comum nos ursos estudados?

urso-polar-caracteristicas-alimentacao-habitat-e-reproducao

Além da questão genética dos ursos, que intriga pesquisadores ao redor do mundo, ao longo do anos de pesquisa, foi identificado também que seis casos de adoção: fêmeas adultas eram acompanhadas por filhotes que não foram gerados por ela.

Geneticistas afirmam que essa prática pode ser prejudicial para os animais, uma vez que a amamentação dos filhotes por parte de uma mãe não biológica pode acarretar em prejuízos de saúde para as duas partes envolvidas.

Que explicações os cientistas dão para o caso de adoção de ursos?

polar-bear-picture

Uma explicação considerada pelos pesquisadores é a de que as fêmeas pegam os filhotes acidentalmente. Essas duas descobertas foram importantes para entender a biologia dos animais. Por enquanto não se pode dar todas as conclusões, mas futuramente tanto o caso dos gêmeos quanto o da adoção podem auxiliar especialistas a tomar decisões ambientais que possam afetar as populações desses animais.

FonteIFLScience
Crédito Fotos: Divulgação