História

O que foi Inconfidência Mineira e qual era seu objetivo?

A Inconfidência Mineira queria transformar o Brasil numa república, e isso ainda no século XVIII. Só não conseguiu porque foi traída.

Atualizado em 21/04/2019

A Inconfidência Mineira (ou Conjuração Mineira) foi uma tentativa de revolta abafada por Portugal em 1789, em pleno ciclo do ouro, na Capitania de Minas Gerais, contra, entre outras razões, a execução da derrama e o domínio português.

No final do século XVIII, o Brasil ainda era colônia de Portugal e padecia com a cobrança de altas taxas e impostos. Sem contar que Lisboa havia decretado leis que prejudicavam o desenvolvimento industrial e comercial do Brasil.

No início, era grande a extração de ouro em Minas Gerais. E os brasileiros não tinham dificuldade em pagar o imposto chamado quinto, que consistia em 20% de todo ouro encontrado.

Ideias iluministas e os insurgentes

Ocorre que, com o tempo, o ouro começou a diminuir. Mas, ainda assim, os impostos não baixavam. E, como os mineradores não conseguissem mais pagar, Portugal criou a Derrama, um outro imposto.

Basicamente, a Colônia estipulou que cada região de exploração de ouro deveria pagar 100 arrobas de ouro (1500 quilos) por ano. Quando a região não conseguia, soldados da coroa entravam nas casas das famílias para retirarem os pertences até completar o valor devido.

Com isso, cresceu a insatisfação popular. Fazendeiros e mineradores queriam pagar menos impostos e ter mais participação na vida política do país. Alguns membros da elite brasileira que estudaram na Europa, influenciados pelas ideias do iluminismo, começaram a tramar a independência do Brasil. Nascia, então, a Inconfidência Mineira.

Os inconfidentes planejavam transformar o Brasil numa república

O grupo era liderado pelo alferes Joaquim José da Silva Xavier, conhecido por Tiradentes. Também faziam parte os poetas Tomas Antonio Gonzaga e Cláudio Manuel da Costa, o mineiro Inácio de Alvarenga, o padre Rolim, entre outros representantes da elite mineira.

A ideia do grupo era conquistar a liberdade definitiva e implantar o sistema de governo republicano no Brasil. Como resultado, uma bandeira foi feita para a nova nação. Ela consistia em um triangulo vermelho, num fundo branco, e a inscrição em latim: Libertas Quae Sera Tamen (Liberdade ainda que Tardia). Mais tarde, essa bandeira foi adotada por Minas Gerais.

A revolta, então, foi marcada para o dia da derrama em 1788. Mas, os planos dos inconfidentes foram frustrados porque três participantes da conspiração: coronel Joaquim Silvério dos Reis, o tenente coronel Basílio de Brito Malheiro do Lago e o mestre de campo (militar) Inácio Correia Pamplona. Eles procuraram o governador, Visconde de Barbacena e delataram o movimento.

Tiradentes, que estava no Rio de Janeiro para adquirir armas,acabou sendo preso no dia 10 de maio de 1789. Ele foi apontado como o cabeça da Inconfidência.

O longo processo durou três anos. Ao final, todos os participantes foram perdoados ou condenados ao degredo. Apenas Tiradentes foi condenado à morte e enforcado no dia 21 de abril de 1792, no campo de São Domingos, no Rio de Janeiro. Após o cumprimento da sentença, o corpo dele foi esquartejado e ficou exposto para servir de exemplo.

Curiosidades sobre a Inconfidência Mineira

Na primeira noite em que a cabeça de Tiradentes ficou exposta em Vila Rica, foi furtada e nunca mais encontrada. Por ser uma condenação por traição à coroa, os sinos das igrejas não poderiam tocar durante sua execução. Ainda assim, um deles soou cinco badaladas.

No final, a casa de Tiradentes foi destruída e o local foi salgado para que mais nada ali nascesse.

O que foi Inconfidência Mineira e qual era seu objetivo?

Outra curiosidade interessante diz respeito à imagem de Tiradentes. Ela, basicamente, foi idealizada para que ele se parecesse com Jesus. Entretanto, ele jamais teve barba e cabelos grandes. Tiradentes, na verdade, era militar e só poderia deixar um bigode.

E mais, durante o tempo que passou na prisão, ele e os demais presos tinham os cabelos e a barba aparados. Isso evitava, por exemplo a evitar a proliferação de piolhos.

Nem mesmo durante sua execução ele tinha a aparência com a qual foi eternizado nas ilustrações. Era costume raspar os cabelos e a barba dos condenados à forca, para que os pelos não amortecessem a corda.

Interessante saber da história dos inconfidentes mineiros, não é? Então você não pode deixar de conhecer o iluminismo e suas ideias inovadoras.

Fonte: Só Historia,Toda Matéria, História do Mundo, Brasil Escola.