História

Investigadores da NATGEO acreditam ter resolvido mistério de Kane, a Ilha Grega perdida

Arqueólogos acreditam ter encontrado a ilha grega perdida na cidade de Kane, local de batalha entre Atenas e Esparta durante a guerra do Peloponeso.

Atualizado em 25/11/2015

Segundo literaturas remotas e até então não, a cidade e ilha perdida de Kane, se localizaria nas proximidades da costa da Turquia. Pelo menos é o que aparece em relatos da Grécia antiga – local de uma grande batalha naval entre Atenas e Esparta, no fim da Guerra do Peloponeso.

O que existia de problema (ou mistério) relacionados a Kane – essa Ilha Grega é que os arqueólogos nunca tinham conseguido localizar essa ilha até então, que parece ter desaparecido até de mapas desde a Idade Média.

Uma equipe internacional de arqueólogos e geofísicos que investigam na região acreditam ter finalmente resolvido o mistério, pelo menos é o que relatou a National Geographic.

A cidade de Kane aparece na história como uma das três ilhas da cadeia Arginusae, que agora são chamadas de Ilhas Garip. O que deixou o mistério ainda mais difícil de ser resolvido é que hoje existem apenas duas dessas ilhas, e nenhuma mostraram evidências da cidade.

Confira Kane no Mapa

News_LostIsland_v1_2.ngsversion.1448035200388.adapt.352.1

Kane: Como a terceira ilha sumiu? O que pode ter acontecido com ela?

Guerra-de-esparta-e-atenas

Como todas as ilhas estavam próximas ao continente, a equipe olhou para uma península em especial, e descobriram que ela poderia ter sido uma “ponte de terra” que ligava as ilhas. Para verificar se suas suspeitas tinham fundamento, os pesquisadores utilizaram como estratégia a perfuração do solo.

Mas por que analisar o solo? Os motivos que explicam a análise do solo é que o exame detalhado em laboratório das amostras colhas podem revelar se o material colhido tem ou não a mesma formação que os pesquisadores suspeitam.

O que os pesquisadores concluíram sobre Kane com a investigação geológica?

02lostisland.ngsversion.1448035200367.adapt.768.1

“Não estava claro que essas terras eram, na verdade, as ilhas Arginus que estávamos procurando até que a nossa investigação”, explicou o Dr. Felix Pirson, um dos pesquisadores da equipe durante entrevista ao Jornal turco Zaman.

“Ao examinar as amostras geológicas obtidas através do método core-broca, nós reconhecemos que o fosso entre a terceira ilha Arginus e o continente foi de fato preenchido com terra solta e rocha, criando a península existente”, concluiu Pirson sobre a cidade de Kane.

Fonte: NatGeo
Crédito Foto: German Archaeological Institute / Divulgação (Histórica)
Crédito Mapa: NG Maps