História

Império Britânico, o que foi? História, impacto e curiosidades

O Império Britânico foi um dos maiores do planeta, sendo que sua história foi regida por meio de conquistas, batalhas e poderes adquiridos.

Atualizado em 23/07/2020

O Império Britânico foi o maior império do planeta, sendo seu apelido “o império no qual o Sol nunca se põe”, devido ao fato de que dominou quase um quarto de todo o Planeta. Sua história foi regida por meio de conquistas, batalhas e poderes adquiridos.

A princípio, o termo Império Colonial Britânico começou a ser usado após o século XVI, durante a coroação da rainha Vitória como imperatriz da Índia.

Com o propósito de aumentar seus territórios, o Império Britânico seguiu os passos das explorações portuguesas e espanholas na América, África e Ásia. Apesar de ser uma busca tardia, países como França e Holanda expandiram seus tentáculos para novos territórios, pressionando os ingleses a aumentar seus campos de influências.

As explorações para a busca de novos territórios foram motivadas principalmente por mão de obra, metais preciosos e especiarias asiáticas. Por exemplo, comercio de escravos, buscando obra-prima e impulsionada pelas ambições comerciais da burguesia inglesa, especialmente depois das Revolução Inglesa.

Com o aumento das tecnologias disponíveis pela ciência, o Império Britânico começou a expandir seus territórios por meio de colônias ultramarinas, sobretudo no continente americano, africano e asiático.

Império Britânico, o que foi? história, impacto e curiosidades
Pintura sobre a frota mercante da Europa no século 17. Fonte: Estadão

No período da idade moderna, entre o século XV até o XVIII o Reino Unido se consagrava uma das maiores potenciais do mundo, sobretudo por causa da implantação de um modelo econômico imperial, cujo, contribuiu para a maturação do projeto colonial britânico. Diante disso, criando um sistema econômico conjunto com suas colônias ultramarinas.

O impacto do Império Britânico

Império Britânico, o que foi?
Mapa de domínio dos países que foram de domínio do Império britânico. Fonte: Revista Galileu

A Europa passou por grandes transformações após a Idade Média, principalmente por causa das revoluções e do desenvolvimento científico. Os ingleses fizeram parte da transição do feudalismo ao capitalismo, na Europa centro-ocidental. Deste modo, surgia uma visão de mundo que se impôs de forma progressiva.

O exercício do poder deixou de lado o uso da força, utilizou meios de coerção e de persuasão sutil. Como por exemplo, na Índia, com a expulsão dos franceses, em 1763, e a posse das colônias na América. Tudo isso contribuiu para que os ingleses aumentassem seus domínios.

Os passos seguidos pelos ingleses contribuíram para a colonização de diversos territórios, até o fim do século XVIII. Com a independência dos Estados Unidos, em 1783, o Império Britânico mudou de foco, apostando nas regiões marítima do Pacífico e na África. Conquistou a Índia, Austrália e Nova Zelândia. Essas colônias foram início do auge dos britânicos na corrida imperialista, especialmente no desenvolvimento de uma forte economia advinda dessas regiões no século XIX.

Nesse sentido alguns países africanos foram colonizados pelos ingleses, sobretudo aquelas colônias com posições estratégicas, facilitando o controle britânico sobre as rotas de navegação. O desenvolvimento desses países impulsionou as influências políticas, sobretudo durante a Primeira Guerra Mundial. Países como Índia, Canadá, Nova Zelândia e regiões da África ficaram ao lado da Inglaterra.

Embora essa influencia não conseguiu se firmar, principalmente após a Segunda Guerra Mundial. O Império Britânico entrava em decadência, sobretudo em decorrência das mudanças políticas no final do século XIX. Após a independência das colônias, uma das alternativas para a quebra abrupta com o império foi o Commonwealth.

Curiosidades sobre o Império Britânico

Caminhando para o auge do Império Britânico, o século XIX representou uma forte corrente política e supremacista para os ingleses. Buscando cada vez mais aumentar seus pontos de influência no mundo moderno. A Conferência de Berlim em 1885 garantiu que nações imperialistas expandissem seus tentáculos em países africanos. Partindo disso os britânicos se apropriam desses países para aumentar suas zonas de controle. Na África, contribuiu para o sonho de expansão do império inglês entre o Egito e África do Sul.

Após a independência de países ligados ao Império Britânico no meio do século XX. Surge uma alternativa para manter a Monarquia Britânica como Chefe de Estado. Os ingleses buscaram como alternativa uma forma de sustentar a unidade e a fidelidade à Coroa. O Estatuto de Westminster criou, em 11 de dezembro de 1931, o British Commonwealth of Nations (Comunidade Britânica de Nações). Por meio desse acordo os ingleses conseguiram manter seus domínios ideológicos sobre esses países

De acordo com uma pesquisa realizada pela YouGov  44% dos britânicos estavam orgulhosos da história do colonialismo britânico. Enquanto 21% lamentavam-na e 23% não tinham qualquer opinião. Esses dados demostram o impacto dessas ações nos dias de hoje, embora apresentem um status não tão positivo atualmente. Após a dominação esses países sofreram percas e danos causados nas populações dominadas.

Império Britânico, o que foi?
Pintura demostra como acontecia o comercio de negros. Fonte: Pinterest

De acordo com dados, mais de 4 milhões de negros foram traficados pelo Império Britânico. Embora no século XIX após as revoluções liberais, os ingleses começaram a apreender navios negreiros. Isso aconteceu em decorrência dos avanços provocados pelos Direitos Humanos.

E aí, gostou? Conheça mais sobre a história do Reino Unido – História, características, população, geografia e economia.

Fonte: Infopédia, Revista Galileu e Ensinar História.

Imagem: EstadãoRevista Galileu e Pinterest.